Nepenthes rajah

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Como ler uma caixa taxonómicaNepente-rajá de Bornéu
Nepenthes rajah.jpg

Estado de conservação
Status iucn3.1 EN pt.svg
Em perigo
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Eudicotiledôneas
Ordem: Caryophyllales
Família: Nepenthaceae
Género: Nepenthes
Espécie: N. rajah
Nome binomial
Nepenthes rajah
Hook.f.
Distribuição geográfica
(verde-limão) Monte Kinabalu e Monte Tambuyukon, no norte de Bornéu
(verde-limão) Monte Kinabalu e Monte Tambuyukon, no norte de Bornéu

Nepenthes rajah é uma planta carnívora da família das nepentáceas. É endêmica do Monte Kinabalu e também do Monte Tambuyukon em Sabah, Bornéu[1] . N. rajah cresce exclusivamente sobre substratos de serpentina, particularmente em áreas de infiltração de água do solo onde o solo é solto e permanentemente úmido. A espécie vive numa faixa de 1.500 a 2.650 m de altitude e é considerado como uma planta altiplana ou sub-alpina. Devido à sua distribuição localizada, N. rajah é classificada como uma espécie em perigo pela IUCN e listado no Anexo I do CITES.

Afloramentos ultramáficos (amarelo) no Parque Nacional de Kinabalu (verde).
Um lagarto fica preso no jarro do N. rajah.

N. rajah inicialmente foram coletados por Hugh Low no monte Kinabalu em 1858, e descrito no ano seguinte, por Joseph Dalton Hooker, que o nomeou de James Brooke, o primeiro rajá branco de Sarawak, Índia. Hooker chamou de "uma das plantas descobertas mais marcantes[2] ". Desde que foi introduzido para o cultivo em 1881, N. rajah sempre foi uma das mais procuradas. Por um longo tempo, a planta era raramente vista em coleções particulares, devido à sua raridade, preço e exigências especiais crescentes. No entanto, recentes avanços em tecnologia de cultura de tecidos resultaram na queda dos preços dramaticamente, e N. rajah é agora relativamente difundida no cultivo.

N. rajah é a planta mais famosa arvore que e a trepadeira que adora hum hum humem forma de jarro gigante, que pode crescer até 35 cm de altura e 18 cm de largura[1] . Esta planta é capaz de beber 3,5 litros de água [3] e 2,5 litros de líquido digestivo, tornando-se, provavelmente, o maior do gênero em volume. Outra característica morfológica do N. rajah é a penhora de folhas peltadas de lâmina e gavinha, que está presente em apenas algumas outras espécies.

A planta é capaz, ocasionalmente, prender pequenos vertebrados e até pequenos mamíferos, como ratos afogados tendo sido enganado nas armadilhas em forma de jarro[4] . É uma das duas únicas espécies de Nepenthes documentadas como capturadores de insetos, pequenos vertebrados, como sapos, lagartos e até mesmo aves e mamíferos, a outra é Nepenthes rafflesiana.

Outra característica fundamental do N. rajah é a relativa facilidade com que é capaz de hibridizar na natureza. Híbridos entre elas e todas as outras espécies de Nepenthes no monte Kinabalu foram registrados. No entanto, devido o crescimento natural lento do N. rajah, alguns híbridos foram artificialmente produzidos até o momento.

Referências

  1. a b Clarke 1997, p. 122-123.
  2. Hooker 1859
  3. Plantas no formato de jarro
  4. Phillipps 1988, p. 55.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui multimídias sobre Nepenthes rajah