Oestophora barbula

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaOestophora barbula
Cinco vistas de Oestophora barbula (Rossmässler, 1838), dos Açores e da Península Ibérica, onde é a espécie mais abundante do gênero Oestophora.[1]
Cinco vistas de Oestophora barbula (Rossmässler, 1838), dos Açores e da Península Ibérica, onde é a espécie mais abundante do gênero Oestophora.[1]
Estado de conservação
Espécie pouco preocupante
Pouco preocupante
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Mollusca
Clado: clado Heterobranchia
clado Euthyneura
clado Panpulmonata
clado Eupulmonata
clado Stylommatophora
grupo informal Sigmurethra
Classe: Gastropoda
Superfamília: Helicoidea
Família: Trissexodontidae[2]
Género: Oestophora
P. Hesse, 1907[3]
Espécie: O. barbula
Nome binomial
Oestophora barbula
(Rossmässler, 1838)[1]
Sinónimos
Helix barbella Servain, 1880[1]
Oestophora barbella (Servain, 1880)[4]

Oestophora barbula é uma espécie de pequeno gastrópode terrestre da família Trissexodontidae,[2] encontrada na Península Ibérica, arquipélago dos Açores e Região Autónoma da Madeira. Foi classificada por Rossmässler, em 1838.[1]

Descrição da concha e hábitos[editar | editar código-fonte]

Esta espécie apresenta concha lenticular, circular quando vista por cima ou por baixo e de dimensões reduzidas a menos de dois centímetros quando desenvolvida. São caracterizadas por sua superfície dotada de relevo em finas estrias radiais aparentes, espiral baixa, umbílico circular e profundo, lábio externo levemente expandido, apresentando duas calosidades dentiformes na região basal. A coloração da concha é acastanhada.[4][5][6]

É a mais comum espécie do gênero Oestophora, mostrando predileção por locais úmidos e sombreados em áreas de troncos caídos, bancos, biótipos ruderais e terras de cultivo, sendo freqüentemente encontrada em matagal com espécies de Cistus, associadas ou não a florestas de Azinheira e Sobreiro, com baixa cobertura herbácea. É fácil encontrá-la debaixo de pedras ou árvores caídas e em buracos nas paredes.[1]

Distribuição geográfica[editar | editar código-fonte]

Oestophora barbula é uma espécie europeia, ocupando a sua porção oeste, na Península Ibérica, região oeste da Espanha e em Portugal. Também ocorrendo no arquipélago dos Açores e Região Autónoma da Madeira.[1]

Referências

  1. a b c d e f Arrébola, J. (2013). «Oestophora barbula» (em inglês). The IUCN Red List of Threatened Species. 1 páginas. Consultado em 10 de junho de 2016 
  2. a b Gómez-Moliner, B. J.; Elejalde, A. M.; Arrébola, J. R.; Puente, A. I.; Martínez-Ortí, A.; Ruiz, A.; Madeira, M. J. (março de 2013). «Molecular phylogeny of the Helicodontidae and Trissexodontidae (Gastropoda (em inglês). Zoologica Scripta Volume 42, Issue 2 (Wiley Online Library). pp. 170–181. Consultado em 10 de junho de 2016 
  3. «Oestophora P. Hesse, 1907» (em inglês). Pan-European Species directories Infrastructure. 1 páginas. Consultado em 10 de junho de 2016 
  4. a b «Oestophora barbella (Servain, 1880)» (em espanhol). Asturnatura. 1 páginas. Consultado em 10 de junho de 2016 
  5. Snailman, Alejandro (11 de abril de 2009). «Oestophora barbula» (em inglês). Flickr. 1 páginas. Consultado em 10 de junho de 2016 
  6. Evanno, Claude; Evanno, Amandine (7 de julho de 2013). «Oestophora barbula portugal» (em inglês). Flickr. 1 páginas. Consultado em 10 de junho de 2016 


Ícone de esboço Este artigo sobre gastrópodes, integrado no Projeto Invertebrados é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.