Onfalo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Onfalo de Delfos

Onfalo[1][2] ou Ônfalo[3] (em grego: Ὀμφαλός) é uma palavra de origem grega que significa umbigo. O umbigo é, desde tempos remotos, o símbolo do centro a partir do qual se dá a criação do mundo e está presente em muitas culturas. É representado, normalmente, por uma pedra, que pode ou não ser trabalhada, junto da qual se fazem diversos rituais religiosos.

O historiador e geógrafo grego Pausânias escrevia que o onfalo era o símbolo do centro cósmico, onde se cria a comunicação entre o mundo dos homens, o mundo dos mortos e o mundo dos deuses. No santuário de Delfos foi encontrada uma cópia romana do onfalo que aí se encontrava. Acreditava-se que esta era a pedra que Reia tinha dado a Cronos, embrulhada em roupas. Este teria engolido a pedra, pensando que se tratava de Zeus. Cronos engolia os seus filhos para que estes não o viessem a destronar, como havia sido profetizado por Urano e Gaia.

Este costume de adoração de pedras sagradas, consideradas como o centro do universo está muito difundido. Encontramos, assim as lingam na cultura Hindu, ou a Cúpula da Rocha, sob as fundações da Mesquita de Omar, considerada sagrada por judeus e muçulmanos, e ainda a Caaba em Meca, dentro da qual se encontra a Hajar el Aswad ou Pedra Negra que assinala o local mais sagrado do mundo.

Referências

  1. «Onfalo». Priberam. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  2. «Onfalo». Aulete. Consultado em 14 de agosto de 2014 
  3. «Ônfalo». Aulete. Consultado em 14 de agosto de 2014 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Onfalo
Portal A Wikipédia possui o portal: