Operação Ametista Real

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Operação Ametista Real
Guerra Colonial Portuguesa
Data 18 de Maio de 1973
Local Guidaje, Guiné
Desfecho Sucesso da missão portuguesa
Beligerantes
Portugal Forças Armadas Portuguesas Guiné-Bissau PAIGC
Comandantes
Major Almeida Bruno
Forças
450 militares
Baixas
10 mortos
22 feridos
3 desaparecidos
67 mortos

A Operação Ametista Real foi o nome dado a uma operação militar levada a cabo pelo Batalhão de Comandos da Guiné, decorrida em 8 de Maio de 1973 no decurso da Guerra Colonial na Guiné-Bissau, que tinha como finalidade «aniquilar ou, no mínimo, desarticular a organização do lN na região de Guidaje-Bigene».

A operação dividiu as forças executantes em três agrupamentos:

  • Agrupamento Romeu - 1.ª Companhia de Comandos - capitão António Ramos;
  • Agrupamento Bombox - 2.ª Companhia de Comandos - capitão Matos Gomes;
  • Agrupamento Centauro - 3.ª Companhia de Comandos - capitão Raul Folques.

Após o embarque do Batalhão de Comandos numa lancha de desembarque grande (LDG) escoltada por duas LFD e desembarque em Ganturé seguido de um briefing em Bigene, a operação teve início pelas 23h50m em direcção a Norte. O primeiro contacto com as forças do PAIGC foi desencadeado pelo Agrupamento Bombox, após bombardeamento aéreo inicial por aeronaves Fiat G-91.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre História de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.