Ordem dos Engenheiros

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sede da Ordem dos Engenheiros, Lisboa.
Edifício da Ordem dos Engenheiros, Porto.

A Ordem dos Engenheiros ComSEMHIHMHM é a associação pública representativa dos diplomados em cursos de Engenharia, graus académicos de bacharel, licenciado, mestre ou doutor em engenharia no âmbito do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março, alterado pelo Decreto lei nº 107/2008, de 25 de Junho que exercem a profissão de engenheiro e de regulação profissional dos engenheiros Portugueses.

História[editar | editar código-fonte]

A Ordem dos Engenheiros foi criada em 1936, pelo Decreto-Lei n.º 27288, de 24 de Novembro. Sucedeu à Associação dos Engenheiros Civis Portugueses, fundada em 1869.

A 16 de Junho de 1946 foi feita Comendadora da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada, a 28 de Janeiro de 1987 Membro-Honorário da Ordem do Infante D. Henrique e a 25 de Novembro de 2011 Membro-Honorário da Ordem do Mérito.[1]

Atribuições[editar | editar código-fonte]

Uma das suas atribuições é a responsabilidade pela atribuição do título profissional de "Engenheiro", legalmente necessário para a actuação em determinadas áreas do âmbito da Engenharia.

Podem ser membros da Ordem dos Engenheiros, os titulares de Licenciatura pré-Bolonha, licenciatura pós-Bolonha, Mestrado pré-Bolonha e mestrado pós-Bolonha ou Doutoramento em Cursos de Engenharia, sendo estes distinguidos por categoria de membros E1, E2 e E3 de de acordo com os seus conhecimentos científicos/qualificações acreditados pela Ordem. Os diplomados em cursos não acreditados poderão ser admitidos, mediante a realização de um exame de acesso. Em todo o caso todos têm que prestar provas através de estágio formal ou curricular para se tornarem Membros Efectivos.

Nem todos os cursos de engenharia que são ministrados pelas diversas instituições de ensino superior português (ensino universitário, ensino politécnico, sector público e sector privado) estão acreditados pela Ordem dos Engenheiros. Ainda que, não tendo o direito para tal, a Ordem dos Engenheiros faça tal discriminação, a mesma deixou de acreditar novos cursos mantendo os que acreditou até 2007.[2]

A tutela da acreditação de cursos do ensino superior português é da competência da A3ES - Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior.[3]

Bastonários[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg
Por favor, melhore este artigo ou secção, expandindo-o(a). Mais informações podem ser encontradas na página de discussão. Considere também a possibilidade de traduzir o texto das interwikis.

Órgãos Nacionais[editar | editar código-fonte]

Atualmente, e em funções desde 2016, o Bastonário da Ordem dos Engenheiros é o Eng.º Carlos Alberto Mineiro Aires.

Órgãos Regionais[editar | editar código-fonte]

A Ordem dos Engenheiros organiza-se de acordo com as seguintes regiões:

Região Norte[editar | editar código-fonte]

Conselho Diretivo

  • Presidente: Joaquim Manuel Veloso Poças Martins
  • Vice-Presidente: José Manuel Reis Lima Freitas
  • Secretário: Carlos Alberto Sousa Duarte Neves
  • Tesoureiro: Pedro Nuno Mêda Magalhães
  • Vogal: Rosa Maria Guimarães Vaz da Costa
  • Vogal: José Tadeu Marques Aranha
  • Vogal: Pilar Alexandra Baylina Machado
  • Suplente: Joaquim José Borges Gouveia
  • Suplente: António Alberto Freitas da Costa
  • Suplente: José Carlos Pimenta Machado da Silva
  • Suplente:Paulo Jorge Ramísio Pernagorda

Região Centro[editar | editar código-fonte]

Conselho Diretivo

  • Presidente: Armando Baptista da Silva Afonso
  • Vice-Presidente: Altino de Jesus Roque Loureiro
  • Secretário: Isabel Cristina Gaspar Pestana da Lança
  • Tesoureiro: Maria Emília Mota Fernandes de Carvalho Homem
  • Vogal: Elisa Manuela Domingues Almeida
  • Vogal: Álvaro José Ribeiro Saraiva
  • Vogal: Pedro José da Silva Monteiro

Região Sul[editar | editar código-fonte]

Conselho Diretivo

  • Presidente:António Carlos Laranjo da Silva 
  • Vice-Presidente:Jorge Domingues Grade Mendes
  • Secretário: Maria Helena Kol de Carvalho Santos Almeida de Melo Rodrigues
  • Tesoureiro: Arnaldo Lobo Moreira Pêgo
  • Vogal: Maria Filomena de Jesus Ferreira
  • Vogal: Arménio de Figueiredo
  • Vogal: Gil Manuel Esperança Manana

Madeira[editar | editar código-fonte]

Conselho Diretivo

  • Presidente: Pedro Brito Amaro Jardim Fernandes
  • Vice-presidente: Amílcar Magalhães de Lima Gonçalves
  • Secretário: Rui Jorge Dias Velosa
  • Tesoureira: Nélia Maria Sequeira de Sousa
  • Vogal: José Miguel Brazão Andrade da Silva Branco
  • Vogal: Manuel António Marques Madama de Sousa Filipe
  • Vogal: Sara Patrícia Sousa Olim Marote

Açores[editar | editar código-fonte]

Conselho Diretivo

  • Presidente: Paulo Alexandre Luís Botelho Moniz
  • Vice – Presidente: André do Canto Brandão Cabral
  • Secretário: José António Silva Brum
  • Tesoureiro: Manuel Hintze Almeida Gil Lobão
  • Vogal: Teresa Maria Soares Costa
  • Vogal: Bruno Fausto de Medeiros Melo Cardoso
  • Vogal: Manuel Francisco Tavares Sousa

Sítio na Internet[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

  1. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Ordem dos Engenheiros". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 2013-03-01. 
  2. «Lista do Cursos que conferem dispensa de prestação de provas de admissão à OE» (PDF). Ordem do Engenheiros. 29 de outubro de 2007. Consultado em 13 de fevereiro de 2011. 
  3. O que é a A3ES » Funções, A3ES - Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior
Ícone de esboço Este artigo sobre Portugal é um esboço relacionado ao Projeto Portugal. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre Engenharia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.