Owen Thor Walker

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Owen Thor Walker (conhecido pelo pseudônimo online de AKILL) era um cracker de computadores da Nova Zelândia, que foi absolvido sem convicção, apesar de ser culpado por várias acusações de 'cybercrime'.[1][2] Em 2008, ele admitiu ter comandado uma organização internacional de hackers que tinha causado danos estimados em 26 milhões de dólares.[3][1]

História[editar | editar código-fonte]

Walker era um autodidata aos 13 anos de idade, expulso da escola devido a agressão.[4][5] Ele treinou informalmente em computadores, e por si mesmo aprendeu programação e encriptação.[5][1] De acordo com sua mãe, Walker foi diagnosticado com síndrome de Asperger. [6]

Prisão[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Akbot

Walker foi preso sob as seções 248-252 da Lei Criminal da Nova Zelândia após as investigações internacionais do FBI ter encontrado o seu envolvimento no ataque a rede de computadores da Universidade da Pensilvânia.[7] O ataque foi orquestrado via botnet criado por Walker, usando servidores que exploraram e disseminaram o programa, a maior parte deles localizados na Malásia.[8]

Provas[editar | editar código-fonte]

Apesar de ser culpado pela conexão do crime, foi multado pelos custos dos danos aos computadores da Universidade da Pensilvânia e foi absolvido sem convicção, o juiz concluiu que a convicção pode aquecer o seu futuro.[9]

Referências

  1. a b c «Superhacker convicted of international cyber crime». New Zealand Herald 
  2. «NZ teenage hacker charges dropped». BBC News. 16 de julho de 2008. Consultado em 17 de janeiro de 2009 
  3. «Internet pushes boundaries in 2007». New Zealand Herald 
  4. «Named: NZ teen in cyber-scam». New Zealand Herald 
  5. a b «Self-taught hacker admits worldwide attacks». New Zealand Herald 
  6. «The cyber star left to shine». New Zealand Herald. Consultado em 22 de julho de 2008 
  7. «Bot-boy caught in his own net». New Zealand Herald 
  8. «Owen 'Akill' Walker was part of botnet 'A-team'». Computerworld. Consultado em 7 de fevereiro de 2009. Arquivado do original em 12 de abril de 2008 
  9. Computer hacker walks free after multi-million dollar crime[ligação inativa], New Zealand Herald