Pagode de viola

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura outros significados do termo pagode, veja Pagode (desambiguação).

Pagode de viola (também conhecido como pagode caipira ou pagode sertanejo) é uma variante da música sertaneja brasileira, marcada pelo ritmo diferente dado ao modo de tocar juntos o violão e a viola caipira, que incluía um "recortado".

É uma mistura do ritmo do coco com o do calango de roda, o primeiro tocado com violão, e o segundo, com a viola. Foi inventado por Tião Carreiro em 1959, juntamente com Lourival dos Santos;[1] como sugere o nome, foi feito para ser executado na viola caipira. É comumente acompanhado pelo ritmo cipó preto, que pode ser executado pela própria viola caipira ou, na maioria dos casos, no violão.

Nesse ritmo, a dupla compôs "Jangadeiro Cearense", "Pagode em Brasília", "A Viola e o Violeiro" e vários outros. Em 1979, Tião Carreiro lançou o LP O criador e o rei do pagode em solo de viola caipira.[1]

Referências

  1. a b «Verbete "Tião Carreiro"». Dicionário Cravo Albin de Música Brasileira. Consultado em 22/09/2008. 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Corrêa, Roberto (2000). A Arte de Pontear Viola (Brasília/Curitiba: Edição do Autor). p. 259. ISBN 85-901603-1-9. 
  • Viola, Braz da (2003). Pagode de Cabo a Rabo (São Paulo: Edição do autor). 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.