Patricia Dagban-Zonvide

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Patricia Dagban-Zonvide (Lomé, 17 de março de 1960) é uma política togolesa.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Patricia Dagban-Zonvide em Lomé nasceu em Lomé, e frequentou a Tokoin High School. Ela tem um bacharelado e um mestrado em letras modernas pela Universidade Nacional da Costa do Marfim e um mestrado em geografia tropical da Universidade de Benin. A partir de 1982 leciona no Moderne College em Dabou, na Costa do Marfim, e na escola de meninos em Bingerville. Retornou ao Togo depois de dez anos no exterior para lecionar em escolas secundárias e no Centro Internacional de Pesquisa e Estudos da Linguagem (CIREL). Ela estudou para um doutorado em literatura africana e comparativa da Universidade de Lomé e depois trabalhou como professora assistente de artes e humanidades na universidade.[1] Dagban-Zonvide é casada e tem dois filhos.[2]

Dagban-Zonvide foi nomeada Ministra para o Avanço da Mulher em julho de 2012 no governo de Faure Gnassingbé.[1] Foi oficialmente empossada no dia 1 de agosto de 2012, em uma cerimónia formal com a ministra que estava a deixar o cargo, Henriette Kouévi-Amédjogbé.[2] Dagban-Zonvide liderou a lista do partido para Lomé para as eleições de julho de 2013, mas foi removida do cargo de ministra em setembro daquele ano.[3][4][5] Em abril de 2015, ela foi a 3.ª vice-presidente da Assembleia Nacional.[6]

Referências[editar | editar código-fonte]