Peixe Urbano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Peixe Urbano
Razão social Web Serviços Digitais, LTDA.
Slogan Explore a cidade
Atividade E-Commerce Local
Fundação 2010
Fundador(es) Julio Vasconcellos, Alex Tabor, Emerson Andrade
Sede Florianópolis, SC
Locais Brasil
Presidente Ilson
Website oficial peixeurbano.com.br

Peixe Urbano foi a primeira e maior empresa brasileira de e-commerce local.[1] A primeira cidade em que o Peixe Urbano esteve presente foi Rio de Janeiro, seguida de São Paulo, posteriormente se expandindo para todo o Brasil. Em fevereiro de 2021, a empresa encerrou suas atividades com uma dívida de pelo menos R$ 50 milhões.[2]

A empresa foi fundada em março de 2010[3] por três amigos empreendedores: Julio Vasconcellos, Alex Tabor e Emerson Andrade. O portal já esteve na Argentina, no México e no Chile, e contém mais de 27 milhões de usuários.[4][5][6][7]

Em 9 de outubro de 2014, a empresa chinesa Baidu, dona do segundo maior serviço global de buscas na web, comprou fatia majoritária do Peixe Urbano. [8][9]

Em maio de 2015, o cofundador Alex Tabor passa a liderar a empresa, como CEO, e Julio Vasconcellos, que ocupava a função até então, assume a Presidência do Conselho. [10]

Evolução[editar | editar código-fonte]

O Peixe Urbano foi pioneiro no modelo de compras coletivas na América Latina. Porém, com o tempo, evoluiu seu modelo de negócios e se reposicionou[11] como uma plataforma de e-commerce local[12], disponibilizando milhares de ofertas nos segmentos de gastronomia, entretenimento, estética, turismo e produtos. Com o novo modelo, a empresa continua fiel à sua missão de ajudar as pessoas a explorarem o que há de melhor em cada cidade, porém as ofertas ficam no ar por mais tempo e não exigem um número mínimo de compradores. Cada vez mais é possível comprar e usar uma oferta na mesma hora[13] por meio do aplicativo móvel da empresa.[14]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2012,[15] foi a primeira empresa da América Latina a receber o prêmio de Melhor Startup Internacional do Ano pelo Crunchies Awards,[16], um dos mais conceituados prêmios da área de Internet e tecnologia dos Estados Unidos. Alguns meses depois, o Peixe Urbano foi homenageado pelo governo estadual do Rio de Janeiro,[17] durante cerimônia no Palácio Guanabara, no Rio de Janeiro. O objetivo foi homenagear a empresa pelo estímulo ao empreendedorismo no Estado.

Antes disso, em dezembro de 2011, o co-fundador e então CEO do Peixe Urbano, Julio Vasconcellos, foi eleito Empreendedor do Ano na Tecnologia pela revista IstoÉ Dinheiro.[18]

Entre outros reconhecimentos, o Peixe Urbano conquistou, em 2012 e 2014, o Prêmio Época ReclameAQUI[19] pela qualidade no atendimento e foi finalista em 2015[20].

Crise financeira[editar | editar código-fonte]

No início de 2021, o Peixe Urbano acumulava dívidas milionárias com milhares de estabelecimentos comerciais cujos serviços eram vendidos através de cupons. Além disso, consumidores não conseguiam utilizar os cupons que haviam comprado, nem conseguiam contato com a empresa, fato que levou o Procon a notificar o Peixe Urbano.

O site do Peixe Urbano saiu do ar em fevereiro de 2021, e a empresa demitiu 130 dos seus 150 funcionários. A indenização não foi paga a nenhum deles e a empresa, questionada, afirmou que não tinha dinheiro, tendo seus computadores penhorados por ordem judicial.[21][22][23]

Notas e referências

  1. startupi
  2. Fern, Raphael; es (5 de abril de 2021). «Fora do ar desde fevereiro, Peixe Urbano encerra atividades com dívida milionária». Diário do Rio de Janeiro. Consultado em 29 de junho de 2021 
  3. UOL - Dinheiro
  4. Revista Veja
  5. «Peixe Urbano e McDonald's fecham parceria para o McDia Feliz». exame.abril.com.br. Consultado em 20 de agosto de 2011 
  6. «Site de compras coletivas Peixe Urbano bate 1 mi de usuários». tecnologia.terra.com.br. Terra Networks. Consultado em 20 de agosto de 2011 
  7. «Peixe Urbano quer fisgar clientes no México». meioemensagem.com.br. Consultado em 20 de agosto de 2011 
  8. «Baidu anuncia compra do Peixe Urbano». Consultado em 9 de outubro de 2014. Arquivado do original em 13 de dezembro de 2014 
  9. G1 - Chinhesa Baidu compra a brasileira Peixe Urbano
  10. Revista Exame
  11. UOL
  12. «Revista Veja». Consultado em 28 de setembro de 2015. Arquivado do original em 26 de outubro de 2015 
  13. O Globo
  14. Revista Exame
  15. Folha - UOL
  16. Crunchies Awards
  17. Site do Governo do Rio de Janeiro
  18. Revista IstoÉ Dinheiro
  19. Prêmio Época ReclameAQUI
  20. Prêmio Época ReclameAQUI
  21. «Consumidores fazem reclamações e Procon notifica Peixe Urbano sobre falhas». Tribuna de Jundiaí. 10 de fevereiro de 2021. Consultado em 12 de março de 2021 
  22. «Peixe Urbano é notificado pelo Procon de Santa Catarina». ND Mais. 18 de fevereiro de 2021. Consultado em 12 de março de 2021 
  23. «Peixe Urbano demite quase todos os funcionários, mas não paga a ninguém». Mundo Sindical. 11 de março de 2021. Consultado em 12 de março de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]