Península de Paraguaná

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde setembro de 2015). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Imagem de satélite da península
Mapa da região do lago Macaraibo, que inclui a península de Paraguaná do lado direito.

Paraguaná é uma península no norte do estado de Falcón, na Venezuela.[1] [2] É uma zona xerófila e de solo árido quase em toda a sua extensão. A área total é de 3.405 km². O seu extremo norte é o cabo San Román, que é também o extremo setentrional do território continental da Venezuela.

Este acidente geográfico deve ser visto como uma ilha que se uniu no Holoceno[2] ao continente sul-americano pelo istmo de Médanos, o qual é basicamente rochoso construído pelo aporte de areias marinhas e que é um estreito corredor de ligação, formando assim a terra firme mais avançada para o mar das Caraíbas do território venezuelano.

Logo nas primeiras relações feitas durante os descobrimentos por exploradores como Juan de la Cosa, Américo Vespúcio e Alonso de Ojeda a península foi denominada Paraguaná, que significa "terra de cultivo entre o mar".

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Gustavo Feo Codecido; et al. (1997). «Excursion geológica a la península de Paraguana». Petroleo de Venezuela S.A. 
  2. a b Walter Herman Bucher (1952). Geologic Structure and Orogenic History of Venezuela Geological Society of America [S.l.] p. 113. ISBN 9780813710495. 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Península de Paraguaná