Peregrina (navio)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


Peregrina
Carreira Flag of France.svg
Características gerais
Armamento 18 canhões

Peregrina foi uma navio francês do século XVI pertencente ao barão de Saint Blanchard (Bertrand d'Ornesan), dono de uma esquadra no Mediterrâneo. O Peregrina era uma nau com capacidade de mais de uma centena de tripulantes e possuía 18 canhões.

Esta nau teve papel importante para a colonização portuguesa no Brasil, pois após sua capturada, por Portugal na costa de Andaluzia, na Espanha, o Rei Don João III concluiu que a única forma de conter o tráfico das riquezas brasileira seria a colonização de seu território e assim, iniciam-se as capitanias hereditárias no Brasil .[1]

História[editar | editar código-fonte]

Em 1532 o Peregrina foi capturada por uma frota portuguesa comandada por Antônio Correia e descoberto em seus porões 15 mil toras de pau-brasil contrabandeados da colônia pertencente ao Reino de Portugal. Meses antes, o Peregrina se apoderou de uma feitoria portuguesa instalada em Igaraçu, no litoral de Pernambuco, e ali instalara 70 homens fortemente armados para tornar-se ponto de embarque de contrabando de pau-brasil para a França.[2]

Referências