Pero Meogo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Monumento dedicado aos poetas, cantores e trovadores da Ria de Vigo, Martín Codax, Pero Meogo, Mendiño e Paio Gómez Chariño, A fada e o dragão de Xaime Quessada, na rua Alfonso XII de Vigo.

Pero Meogo (ou Pedro Meogo) foi um jogral galego-português de que não se tem quase informação. Sabemos que deve ter sido contemporâneo do rei D. Dinis (que reinou desde 1279 até 1325), já que este rei-trovador compôs uma cantiga de seguir que está relacionada com cantiga de Meogo Levantous´a velida. Conservam-se nove cantigas de amigo da autoria de Meogo.

Os especialistas na lírica medieval galego-portuguesa Carlos Alvar e Vicente Beltrán situam a obra de Pero Meogo a meio caminho entre a cantiga narrativa e a de amigo. Neste autor vemos um amplo uso de símbolos da natureza, e sobre tudo, do cervo.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • MÉNDEZ FERRÍN, X. L., O cancioneiro de Pero Meogo, Vigo, Galaxia, 1966.
  • L. A. de AZEVEDO FILHO, As cantigas de Pero Meogo, Brasília, 1981.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikisource
O Wikisource possui obras de
Pero Meogo