Pesca do bacalhau pelos portugueses

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde dezembro de 2013)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.

A história da pesca do bacalhau pelos portugueses (muitas vezes referida por a Faina Maior) é pela primeira vez referenciada em 1353, quando D. Pedro I e Eduardo II da Inglaterra estabelecem um acordo de pesca para pescadores de Lisboa e do Porto poderem pescar o bacalhau nas costas da Inglaterra por 50 anos. A necessidade de estabelecer um acordo indica que a actividade já se realizava em anos anteriores, e em tal quantidade, que justificava a necessidade de a enquadrar nas relações entre os dois reinos.

O fim[editar | editar código-fonte]

Em 1967, Fernando Alves Machado, Secretário do Comércio, aboliu, por portaria,[1] o regime proteccionista do comércio do "bacalhau", que se encontrava em vigor desde meados de trinta, o que determinou o fim da tabela de preços e do condicionamento das importações, sentenciando o fim da cartelização estatal das importações, com sinais de insustentabilidade há muito evidenciados, desmantelando uma das obras de referência do início do Estado Novo, conduzida por Henrique Tenreiro, «patrão das pescas».[2] [3]

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • Ferreira, Nuno Estêvão (2006). «O Estado Novo e a Campanha do Bacalhau». Anál. Social (Nº 178). Consultado em 1 de Junho de 2014. 
  • Garrido, Álvaro (2010). O Estado Novo e a Campanha do Bacalhau. [S.l.: s.n.] ISBN 9789896441111 
  • Garrido, Alvaro (2006). «Henrique Tenreiro — «patrão das pescas»» (PDF). Anál. Social. XXXVI (Nº 160): 839-862. Consultado em 1 de Junho de 2014. 
  • Villiers, Alan (2014) [1951]. A Campanha do Argus. [S.l.]: Cavalo de Ferro. ISBN 9789896231873  Texto "edição/reimpressão " ignorado (ajuda)
  • Mário Moutinho, História da Pesca do Bacalhau, por uma antropologia do “fiel amigo”, Imprensa Universitária, editorial Estampa, Nº 40, 1985.
  • As póvoas marítimas, A. Sampaio, Estudos Históricos e Económicos, Vol. I Porto, 1923.
  • Breve Resenha Histórica”, in Boletim de Pesca, nº 28, Setembro 1950
  • SILVA, A. J. M. (2015), The fable of the cod and the promised sea. About portuguese traditions of bacalhau, in BARATA, F. T- and ROCHA, J. M. (eds.), Heritages and Memories from the Sea, Proceedings of the 1st International Conference of the UNESCO Chair in Intangible Heritage and Traditional Know-How: Linking Heritage, 14-16 January 2015. University of Evora, Évora, pp. 130–143. PDF version
  • Histoire des explorations polaires, Paris, 1961
  • Os Grandes Trabalhadores do Mar - Repotagens na Terra Nova e na Groenlândia, Lisboa, 1942 (reedição Caleidoscópio Edição: "Heróis do mar, Viagem à Pesca do Bacalhau", Casal de Cambra 2007, ISBN 978-989-8010-89-6)

Referências

  1. Ministério da Economia - Secretaria de Estado do Comércio (22 de Julho de 1967). «Portaria n.º 22790, NÚMERO : 170/67 SÉRIE I». Diário da República. Consultado em 2 de junho de 2014. 
  2. Garrido 2010, p. 857.
  3. Ferreira 2006, p. 1.