Plataforma GMT

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade (desde Fevereiro de 2008).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A plataforma GMT é usada pela General Motors em seus SUVs/caminhões.[1] Foi fabricado em diversos países. Sua produção teve início no ano de 1973, na Alemanha, e encerrou-se em 1995, no Brasil.

O veículo contava com configuração mecânica tradicional, com motor quatro cilindros em linha, posicionado longitudinalmente, na dianteira e tração traseira. Os motores variavam de país para país. Sendo o de menor potência produzido na Alemanha (1.2 litros e 60HP, do Kadett básico) e o de maior potência produzido na Inglaterra (2,3 litros e 200 HP, do Chevette HS).

Veículos utilizadores da Plataforma T[editar | editar código-fonte]

  • Alemanha - Opel Kadett C (1973 - 1979)
  • Argentina - Opel K-180 (1974 - 1977)
  • Austrália - Holden Gemini (1975 - 1984)
  • Brasil - Chevrolet Chevette (1973 - 1993), Chevrolet Marajó (station wagon) (1982 - 1990) e Chevrolet Chevy (pick-up)(1984 - 1995)
  • Coreia do Sul - Daewoo Maepsy / Saehan Bird, Daewoo / Saehan Max (pick-up) (1982 - 1986)
  • Estados Unidos - Buick Opel (importado da Alemanha) (1973 -1979), Chevrolet Chevette (1976 - 1987) e Pontiac 1000 / Arcadian (1976 - 1987)
  • Inglaterra - Vauxhall Chevette (1975 -1983)
  • Japão - Isuzu Gemini (1974 - 1984)

Referências

  1. All The cars (28 de novembro de 2009). «GM continuará usando chassis de longarinas em seus SUVs». Consultado em 14 de novembro de 2017 
Ícone de esboço Este artigo sobre Automobilismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.