Podosfera

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Podosfera (do inglês, Podosphere) o nome que se dá à noosfera composta por dois ou mais podcasts. Na cultura pop, podosfera pode ser considerada toda a esfera relacionada aos Podcasts.[1]

É similar ao fenômeno que ocorre com a blogosfera, compreendendo muitos podcasts, como uma comunidade ou rede social.[2] Tal qual a blogosfera se constitui em algo diferente de um livro, a podosfera, como união de podcasts é considerada uma forma de Comunicação Contemporânea diferente de um modelo radiofônico.[3]

Para funcionar, a podosfera depende dos feeds, gerados pelos podcasts, que contém informações como o caminho para o arquivo de áudio, resumo por escrito, descrição, tempo de duração. Cada podcast tem seu feed, e esses feeds em conjunto, bem como a participação de integrantes de um podcast em outro (crossover), compõe a podosfera. Tratam de assuntos que vão desde bate-papos rápidos até profundas discussões sobre um tema.[4]

Comunidade[editar | editar código-fonte]

Existem grupos que funcionam como uma sociedade do podcast, onde em muitos casos, há colaboracionismo e solidariedade, juntando forças em prol de um objetivo comum, o que em alguns casos é chamado de Podosfera Unida. Exemplo disso é a o que ocorre no mês de Março, quando há a campanha coletiva #OPodcastÉDelas, onde podcasts se unem para incentivar a participação de mulheres na mídia.[5]

Ao contrário de podcasts de grandes grupos de mídia, geralmente independentes entre si, a podosfera em geral conta com o trabalho de produtores amadores. Grandes grupos de mídia em geral, não conseguem sucesso com essa comunidade, onde geralmente ouvintes e produtores se confundem. Muitos já são – ou se tornarão – podcasters.

Apesar do caráter independente, a podosfera faz uso de plataformas consagradas para disponibilização de seu conteúdo. Em geral utilizam SoundCloud e MixCloud para disponibilizar os arquivos de áudio e Itunes, Blubrry, Megafono, opção nacional, e Podflix para disponibilizar feeds. Há plataformas menores e gratuitas, como SensCast, Podflix e Dissonante, mas estes contam com curadoria e não aprovam todos os materiais enviados. Mais recentemente, TuneIn, que tradicionalmente só aceitava Rádios, passou a fornecer suporte esse tipo de material. essenciais à distribuição desse conteúdo.[6]

Características[editar | editar código-fonte]

  • Uso maciço de edição e pós-produção, inclusive para corrigir falhas na redação ou desenvolvimento dos temas
  • Uso de offs (gravações independentes, unidas na edição) e softwares de VoIP.
  • Crossovers com mais de 3 ou 4 indivíduos discutindo por mais de 60 minutos.
  • Técnicas de captação de áudio simples, com microfones de eletreto conectados a notebooks.
  • Excessiva repetição de temas de fandoms de material audiovisual, como animações, séries, reality shows e filmes. Em seguida aparecem temas ligados à política, cultura e quadrinhos
  • Crossovers entre podcasts com integrantes participando em conjunto[7]

Diferenças entre Rádio e Podosfera[editar | editar código-fonte]

Mesmo com plataformas como TuneIn, que tradicionalmente só aceitava Rádios, fornecendo suporte a podcasting, estes podem não apresentar características de programa de rádio e também não há como afirmar isso em relação à podosfera. Nem todos os fenômenos de transmissão sonora digital podem ser considerados rádio. O modelo radiofônico é aquele que segue dois critérios fundamentais: o fluxo de transmissão contínuo (streaming) e a presença dos elementos radiofônicos. A ausência de um ou outro critério classifica o fenômeno como não radiofônico. Dentro desse contexto, na podosfera, apenas podcasts que integram o catálogo da Sens podem ser considerados rádio, pois mantém streaming 24 horas por dia e com elementos como locução e jingles.[8]

Como possui audiência temática bastante específica, quando unidos em torno da podosfera temáticas, os podcasts se ampliam e amadurecem, apresentando crescimento quantitativo e qualitativo. É neste ponto, da informação de nicho e diversificação dos temas, que a podosfera se diferencia ainda mais do rádio e pode atrair inclusive o mercado publicitário.[9]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Etimologia». Dicio. Consultado em 11 de abril de 2018 
  2. «Podosfera e blogosfera». Consultado em 10 de abril de 2018 
  3. «Estudo na Universidade Federal». Consultado em 10 de abril de 2018 
  4. «Temas». Consultado em 9 de abril de 2018 
  5. «O Podcast É Delas». Editor Senhor. 10 de abril de 2018. Consultado em 10 de abril de 2018 
  6. «Definição de Podosfera». SensCast. Consultado em 11 de abril de 2018 
  7. «Características». Sens. Consultado em 11 de abril de 2018 
  8. «Tema na Universidade Federal do Rio Grande do Sul». UFRS. Consultado em 11 de abril de 2018 
  9. «Estudo Podosfera». Tema no Scribd. Consultado em 11 de abril de 2018