Privação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde setembro de 2018). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Portal A Wikipédia possui o:
Portal de Filosofia

Privação, tal como a negação, é algo que não é. Todavia, diferentemente da negação, a privação é aquilo que não é mas deveria ter sido. Por exemplo, pedras e cegos não tem visão. Quando dizemos que as pedras não tem visão, estamos realizando uma simples negação. Mas quando dizemos que os cegos não tem visão, estamos realizando mais do que uma negação, pois estamos dizendo que certo ente não tem uma propriedade que deveria ter.

O conceito de privação é fundamental para a teodicéia. Ver:

Spinoza se opõe ao conceito de privação. Para ele, não faz sentido falar em algo que deve ser, mas não é.

Ícone de esboço Este artigo sobre filosofia/um(a) filósofo(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.