Pseudo-Tertuliano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Pseudo-Tertuliano é o nome pelo qual os estudiosos se referem ao autor desconhecido de Adversus Omnes Haereses, um apêndice da obra De praescriptionem haereticorum, de Tertuliano. Ela lista trinta e duas heresias e há consenso atualmente de que esta obra não é de autoria de Tertuliano[1].

História[editar | editar código-fonte]

Uma teoria tradicional é que a obra seria uma tradução para o latim de um original grego, uma obra perdida chamada Syntagma, escrita por Hipólito em ca. 220 d.C. Recentes estudos, concordando com a teoria de Richard Adelbert Lipsius, sugerem que Syntagma também seria a fonte de Filástrio e também de Panarion, de Epifânio[2].

O nome "Pseudo-Tertuliano" também serve para designar o autor de um poema escrito contra Marcião. A Enciclopédia Católica o descreve como "hexâmetros de baixa qualidade" e menciona duas teorias: que o poema teria sido escrito por Comodiano; e que Adversus Omnes Haereses teria sido escrita por Vitorino de Pettau[3]

Referências

  1. Pummer, Reinhard (2002). Early Christian Authors on Samaritans and Samaritanism (em inglês). [S.l.: s.n.] 32 páginas 
  2. R. van den Broek, Cis van Heertum (2000). From Poimandres to Jacob Böhme: Gnosis, Hermetism and the Christian Tradition (em inglês). [S.l.: s.n.] 262 páginas 
  3. Wikisource-logo.svg "Marcionites" na edição de 1913 da Enciclopédia Católica (em inglês). Em domínio público.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]