Radioiodoterapia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde março de 2016). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Radioiodoterapia é uma forma de tratamento de doenças.

Consiste no uso do isótopo 131 do iodo (I131), que é um átomo emissor de partículas beta para o tratamento de tumores da glândula tireóide e suas metastases. A especialidade médica que se utiliza de substâncias radioativas para tratamentos de saúde é chamada medicina nuclear.

A radioiodoterapia consiste na ingestão de líquido ou capsulas contendo doses maiores de iodo 131, geralmente 100 microcuries de iodo 131. A maior dose utilizada é de 200 microcuries e o paciente não deve ser tratado com mais de 600 microcuries.

o doente recebe geralmente uma medicação para evitar o vomito e a ansiedade e então ingere a dose de iodo 131, gerelamente permanece internado em um centro de tratamento por 24 a 48 horas, então é liberado para o domicilio.

Antes de receber a dose de iodo 131 o paciente é submetido a uma dieta pobre em iodo.

Apesar de gerar tensões o tratamento é bastante simples e eficaz, aumentando as chances de cura dos tumores da tireóide para próximo de 100%.

Após o tratamento o paciente é submetido a uma pesquisa de corpo inteiro para um melhor rastreamento de metástases.

Ícone de esboço Este artigo sobre Medicina é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.