Rakesh Sharma

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rakesh Sharma

Astronauta do Intercosmos
Nacionalidade Índia indiano
Nascimento 12 de Janeiro de 1949 (65 anos)
Punjab, Índia
Missões Soyuz T-11, Soyuz T-10
Insígnia
da missão
Insígnia da Soyuz T-11

Rakesh Sharma (Punjab, 13 de janeiro de 1949) foi o primeiro e até hoje único (2010) cosmonauta indiano, tripulante da missão Soyuz T-11 lançada ao espaço em 2 de abril de 1984 como parte do programa espacial soviético Intercosmos.

Piloto e líder de esquadrão da força aérea indiana, Sharma passou sete dias em órbita a bordo da estação Salyut 7, realizando fotografias multi-espectrais do noroeste da Índia, tendo em vista o planejamento da construção de diversas usinas hidrelétricas nas encostas indianas do Himalaia. Ainda a bordo da Salyut, ele foi o primeiro a experimentar elaboradas sessões de ioga em gravidade zero.

Ele foi protagonista de um famoso incidente diplomático ocorrido na missão, acontecido durante sua conversa em órbita com a Primeira-Ministra Indira Gandhi; perguntado por ela como a Índia se parecia vista do espaço, Sharma respondeu que parecia melhor que todo o resto do mundo, frase inicial de um conhecido poema indiano, mas que causou constrangimento entre seus companheiros soviéticos e com os diretores do programa espacial.

De volta da missão, recebeu a condecoração de Herói da União Soviética e a maior condecoração civil da Índia, a Ashoka Chakra, junto com os tripulantes soviéticos Gennady Strekalov e Yuri Malyshev.

Hoje retirado das operações na força aérea, ele faz parte do grupo de cientistas espaciais indianos reunidos pela Organização de Pesquisa Espacial da Índia, que recebeu do governo o sinal verde para a ampliação dos estudos e experiências capazes de levar uma nave tripulada indiana ao espaço no futuro.[1]

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]