Reza Pahlavi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Reza Xá Pahlavi
رضا پهلوی
Reza Xá Pahlavi
Xá da Pérsia
Reinado 15 de dezembro de 1925 - 16 de setembro de 1941
Coroação 24 de abril de 1926
Antecessor(a) Ahmad Qajar
Sucessor(a) Mohammad Reza Pahlavi
 
Cônjuge Maryam Khanum (m. 1904)
Tadj ol-Molouk
Qamar al Molk
Esmat Dowlatshahi
Casa Pahlavi
Nascimento 15 de março de 1878
  Alasht, Savadkuh,

Pérsia

Morte 26 de julho de 1944 (66 anos)
  Joanesburgo, África do Sul
Enterro Teerão, Irão
Pai Abbas Ali Khan
Mãe Noush-Afarin Ayromlou
Religião Xiita

Reza Xá Pahlavi (em persa: رضا پهلوی, Savadkuh, 16 de março de 1877 - Joanesburgo, 26 de julho de 1944), posteriormente conhecido como Reza Xá, o Grande (Reza Xá-e Kabir) foi do Irã (até então Pérsia) de 1925 a 1941. Primeiro monarca da dinastia Pahlavi, é considerado o responsável por um grande impulso modernizante de seu país.[1]

Foi precedido por Ahmad Shah Qajar e abdicou, forçado a abdicar pela invasão anglo-soviética do Irã em 16 de setembro de 1941, em favor de seu filho Mohammed Reza Pahlavi. Faleceu em exílio na África do Sul.[1]

Dois anos após o golpe de Estado persa de 1921, liderado por Zia ol Din Tabatabaee, Reza Pahlavi se tornou o primeiro-ministro do Irã. A nomeação foi apoiada pela complacente Assembleia Nacional do Irã. Em 1925, Reza Pahlavi foi nomeado monarca legal do Irã por decisão da assembleia constituinte do país. A assembléia depôs Ahmad Shah Qajar, o último Shah da dinastia Qajar, e emendou a constituição do Irã de 1906 para permitir a escolha de Reza Pahlavi. Ele fundou a dinastia Pahlavi que durou até a derrubada em 1979 durante a Revolução Iraniana. Reza Shah introduziu muitas reformas sociais, econômicas e políticas durante seu reinado, em última análise, lançando as bases do moderno estado iraniano.

Seu legado permanece controverso até hoje. Seus defensores afirmam que ele foi uma força modernizadora essencial para o Irã (cuja proeminência internacional diminuiu drasticamente durante o governo Qajar), enquanto seus detratores afirmam que seu reinado foi muitas vezes despótico, com seu fracasso em modernizar a grande população de camponeses do Irã, eventualmente semeando as sementes para o Revolução iraniana quase quatro décadas depois, que encerrou 2 500 anos de monarquia persa.[2][3] Além disso, sua insistência no nacionalismo étnico e no unitarismo cultural, junto com a destribalização forçada e a sedentarização, resultou na supressão de vários grupos étnicos e sociais. Embora ele mesmo fosse de Descendência Mazandarani,[4][5][6][7] seu governo realizou uma ampla política de persianização tentando criar uma nação única, unida e amplamente homogênea, semelhante à política de turquificação de Mustafa Kemal Atatürk.[8][9]

Referências

  1. a b «Reza Shah Pahlavi (shah of Iran) : Introduction – Britannica Online Encyclopedia». Consultado em 16 de junho de 2012 
  2. Abrahamian, History of Modern Iran, (2008), p.91
  3. Roger Homan, "The Origins of the Iranian Revolution," International Affairs 56/4 (Autumn 1980): 673–7.
  4. «سندی نویافته از نیای رضاشاه» (PDF). پرتال جامع علوم انسانی 
  5. معتضد, خسرو (1387). تاج های زنانه چاپ اول ed. تهران: نشر البرز. pp. 46 47 48 49 50 51 جلد اول. ISBN 9789644425974 
  6. نیازمند, رضا (1387). رضاشاه از تولد تا سلطنت چاپ ششم ed. تهران: حکایت قلم نوین. pp. 15 16 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 39 40 43 44 45. ISBN 9645925460 
  7. زیباکلام, صادق (1398). رضاشاه اول ed. تهران: روزنه،لندن:اچ انداس. pp. 61, 62. ISBN 9781780837628 
  8. Abrahamian, Ervand (1982). Iran Between Two Revolutions. Princeton, New Jersey: Princeton University Press. pp. 123–163. ISBN 9780691053424. OCLC 7975938 
  9. Amanat, Abbas. Iran: A Modern History. [S.l.: s.n.] ISBN 9780300231465 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.