Rita Jeptoo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rita Jeptoo
Atletismo
Modalidade maratona
Nascimento 15 de fevereiro de 1981
Eldoret, Quênia
Nacionalidade Quénia queniana
Conquistas
Maratona de Boston 2006–2013–2014
Maratona de Chicago 2013–2014

Rita Jeptoo (Eldoret, 15 de fevereiro de 1981) é uma corredora de longa distância queniana.

Estreou em maratonas em 2004, vencendo a Maratona de Estocolmo.[1] Venceu três vezes a Maratona de Boston, em 2006, 2013[2] e 2014, quando se tornou a primeira mulher a correr esta maratona em menos de 2:20, fazendo sua melhor marca pessoal – 2:18.57[3] – e duas vezes a Maratona de Chicago, em 2013 com 2:19.57,[4] e em 2014 com 2:24.35, tornando-se bicampeã desta prova.[5]

Suas vitórias em Boston e Chicago estão sendo contestadas junto ao Tribunal Arbitral do Esporte após Jeptoo ter testado positivo para EPO em setembro de 2014 e ter sofrido uma suspensão de dois anos por doping pela Federação Queniana de Atletismo.[6]

Doping[editar | editar código-fonte]

Duas semanas após a vitória em Chicago, foi anunciado que Jeptoo testou positivo para EPO na urina em uma amostra A durante um controle de surpresa feito no Quênia pela WADA e divulgada pela Federação Queniana de Atletismo e pela IAAF. A relevação, que provocou choque em todo país e na comunidade internacional do esporte, impediu que a queniana recebesse o prêmio de 500.000 dólares da World Marathon Majors como melhor maratonista de 2014, que lhe seria entregue durante a Maratona de Nova York e teve a entrega adiada.[7] Pelas regras do esporte, a maratonista teve ainda o direito de solicitar um reexame em uma amostra B antes de ser anunciada qualquer suspensão ou punição; com o anúncio do doping confirmado pela amostra B em dezembro, ela foi suspensa por dois anos pela IAAF e terá que devolver o dinheiro ganho em premiações assim como não mais receberá o prêmio da WMM.[8]

Em janeiro de 2015, a Athletics Kenya , a federação de atletismo queniana, também a suspendeu por dois anos, retroativamente, fazendo com que Jeptoo só possa voltar a competir em outubro de 2016, ficando de fora dos Jogos Olímpicos da Rio 2016.[9]

Referências