Sabino de Heracleia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Sabino de Heracleia
Ocupação padre

Sabino de Heracleia foi bispo de Heracleia, na Trácia, e um líder do partido e da seita Macedônio e um dos primeiros escritores dos Concílios eclesiásticos. Ele foi o autor de uma coleção de Atos dos Concílios da Igreja Católica, a partir do Primeiro Concílio de Niceia ao seu próprio tempo. O historiador William Cave[1]fixa como sendo o ano de 425 o auge da atuação de Sabino. É afirmativo que ele viveu até o final do reinado de Teodósio II, que reinou de 422 à 450 .

[editar | editar código-fonte]

Ele foi juntamente com Eustáquio de Sebaste;[2] Cirilo de Jerusalém;[3] Maratônio de Nicomédia;[4] Elêusio de Cízico;[5][6] Sofrônio de Pompeiópolis;[7] um dos defensores da reformulação do semi arianismo, promovida pelo bispo de Constantinopla, Macedônio I. Eles negavam a divindade do Espírito Santo [8] e por isso eram também chamados de pneumatómacos, "adversários do Espírito".[9] Esta corrente (Os macedonianos) não negaram a consubstancialidade, mas (para eles) o Espírito Santo era inferior ao Filho já que por este fora criado.[10]

O historiador[editar | editar código-fonte]

Muitos escritores serviram-se dos textos de Sabino para pesquisa e incrementar seus pontos de vista sobre os fatos da época em que este viveu. O seu livro A história da igreja (Συναγωγὴ τῶν Συνοδῶν) serviu de referência e consulta, por exemplo, para o historiador Sócrates de Constantinopla, autor de oHistória Eclesiástica[11] que a ele muitas vezes se refere, citando-o, como não confiável, sob a alegação de que Sabino era partidário e tendencioso e, por isso, omitiu e deliberadamente alterou fatos e declarações adversas aos seus pontos de vista e interesses.[12] Sócrates demonstra como Sabino tenta desmerecer os pais de Niceia, em face das evidências em contrário dos escritos de Eusébio de Cesareia, e não faz qualquer menção a Macedônio, cujos fatos e narrativas ele omite.

Barônio[13] fala fortemente da manipulação sem escrúpulos de Sabino em sua A história da igreja e o chama de "homo mendacissimus", e sugere que Sozomeno dá um relato distorcido da eleição de Atanásio, "ex officina Sabini."

Referências

  1. Historia Literaria i. 411.
  2. Sócrates Escolástico, História da Igreja, livro 2, capítulo 45
  3. Sócrates Escolástico, História da Igreja, livro 2, capítulos 38 e 42
  4. Sócrates Escolástico, História da Igreja, livro 2, capítulos 38 e 45
  5. Filostórgio, em Fócio, Epítome da História Eclesiástica de Filostórgio, livro 8, capítulo 17
  6. Sócrates Escolástico, História da Igreja, livro 2, capítulos 38, 42 e 45
  7. Sócrates Escolástico, História da Igreja, livro 2, capítulos 39, 40, 42 e 45
  8. Sócrates Escolástico. História Eclesiástica: The Heresy of Macedonius. (em inglês). [S.l.: s.n.]. Capítulo: 45, vol. II.
  9. "Pneumatomachi" na edição de 1913 da Catholic Encyclopedia (em inglês)., uma publicação agora em domínio público.
  10. Elwell, Walter A. ed. Evangelical Dictionary of Theology, 2ed. Grand Rapids: Baker Academic, 2001. pp.291
  11. Sócrates Escolástico, História da Igreja, livro 1, capítulo 8 e livro 2, capítulo 15
  12. Socr. i. 8; ii. 15
  13. ad ann. 325, xxxix., Ad ann. 344, iii. etc

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Dicionário de Biografias Cristãs e Literatura para o fim do século VI / Dicionário / S / Sabino, pb. de Heraclea