Escritor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Machado de Assis, um dos grandes expoentes da literatura brasileira.

Escritor é uma pessoa que utiliza palavras escritas, com várias técnicas e uso de vários estilos, para comunicar ou passar ideias. Escritores produzem variadas formas de literatura como contos, poesia, romances, ensaios, textos jornalísticos, posts em blogues, peças de teatro, artigos científicos, entre outros, de forma a atrair o interesse de um determinado público e passar ideias ou informações. Um escritor é alguém hábil em usar a linguagem para expressar ideias que, normalmente, contribuem para ampliar a cultura de uma sociedade.[1]

A palavra escritor, em sentido mais amplo, é normalmente empregada para o conceito de pessoa que escreve qualquer obra de própria autoria ou documento. Em sentido mais estrito, designa uma pessoa que escreve de maneira profissional e que tem a vida dedicada à escrever e compor obras escritas, impressas ou publicadas em qualquer outro meio oficial, sendo este o conceito mais amplamente utilizado.[2] O termo escritor costuma ser usado como sinônimo de autor, porém aquele tem um significado mais próximo ao da responsabilidade legal de escrever. A publicação de obras pode acontecer de maneiras diversas e em várias plataformas: escritor não é necessariamente o profissional que escreve romances (romancistas), pois o autor de livros de outros tipos, como autoajuda e de textos jornalísticos, pode também ser considerado um escritor. Qualquer um que escreve qualquer tipo de artigo, resenha, texto, poema, poesia, pode ser considerado um escritor.

Eça de Queirós, escritor português (foto de 1882).

Além de produzirem trabalho escritos, ficcionais ou não, escritores também falam sobre o ofício e a arte da escrita, muitas vezes ensinando os passos para escrever determinados gêneros ou como ser um escritor de sucesso[3] e sobre a importância da escrita, sua motivação e propósito.[4] Também faz parte do ofício do escritor tecer críticas literárias sobre trabalhos de outros escritores para jornais, revistas ou periódicos científicos.

Nisia Floresta, uma das pioneiras na escrita jornalística e feminista no Brasil

Escritores produzem material em variados gêneros literários, ficcionais ou não-ficcionais, através de mídias diversas, com uso ocasional de ilustrações, gráficos ou links. Casos recentes, como o de Bob Dylan, que ganhou o Prêmio Nobel de Literatura, mostram que a arte da escrita pode ser expressa na forma de músicas e assim ser reconhecida como literatura.[5] Para Luis Fernando Verissimo, o ofício do escritor é como qualquer outro, mas que não deve ser banalizado.[6]

Escritores em língua portuguesa[editar | editar código-fonte]

No Brasil, podem-se citar muitos exemplos de escritores considerados célebres, como Rachel de Queiroz, Machado de Assis, Mário de Andrade, Lima Barreto, Clarice Lispector, Paulo Coelho e Monteiro Lobato, além de poetas como Ana Cristina César, Cecilia Meirelles, Carlos Drummond de Andrade e Vinícius de Moraes, e ainda críticos, como Antonio Candido.

Em Portugal, além de José Saramago, que foi laureado com o Nobel de Literatura, há ainda nomes como Lídia Jorge, António Lobo Antunes, Eça de Queiroz, Miguel Torga, Camilo Castelo Branco, Alexandre Herculano, Ramalho Ortigão, além de poetas como Luiz de Camões, Fernando Pessoa, Cesário Verde, José Régio, Florbela Espanca e o dramaturgo Gil Vicente.

Em Angola, podem-se citar escritores como Agostinho Neto, Óscar Ribas, Pepetela, Luandino Vieira, Ondjaki, António Jacinto, Viriato da cruz e Ana Paula Tavares.

Em Moçambique, destaca-se Mia Couto.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Magill, Frank N. (1974). Cyclopedia of World Authors. I, II, III revisada ed. Englewood Cliffs, Nova Jérsei: Salem Press. pp. 1–1973  [Uma compilação de bibliografias e biografias curtas de autores notáveis até 1974.]
  2. «Conceito de Escritor». Que Conceito. Consultado em 9 de janeiro de 2017 
  3. Nicolson, Adam (2011). When God Spoke English: The Making of the King James Bible. Londres: Harper Press. ISBN 978-0-00-743100-7 
  4. Will Blythe, ed. (c. 1998). Why I write: thoughts on the practice of fiction. Boston: Little, Brown. ISBN 0316102296 
  5. UOL Entretenimento (ed.). «Bob Dylan agradece Nobel e diz: "Nunca pensei se eu fazia literatura"». UOL. Consultado em 9 de janeiro de 2017 
  6. «Luis Fernando Verissimo fala sobre o ofício de escritor e seu novo livro de crônicas». Saraiva Conteúdo. Consultado em 9 de janeiro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Escritor
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Escritor


Ícone de esboço Este artigo sobre uma profissão é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.