Sacrifício vicário

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Sacrifício vicário ou sacrifício expiatório é conhecido em teologia cristã como o sacrifício substituto de Jesus Cristo pelo pecado do homem na cruz.[1]

Segundo o Dicionário Bíblico Universal, era a expiação do pecado por meio de uma vida dada em substituição.[1] E segundo o dicionário Michaelis, também conhecido pelo termo "propiciação" (lat propitiatione), que pode ser compreendida como a "intercessão para obter o perdão de culpa", bem como o "sacrifício para aplacar a ira ou a justiça divina".[2] [3]

Novo Testamento se refere a morte de Cristo Jesus como ele tendo sido a vítima da expiação[1] [4] [5] [6]

Fundamentos[editar | editar código-fonte]

Antigo Testamento[editar | editar código-fonte]

O princípio é instituido no antigo testamento em Levítico e Livro dos Números, quando o sacerdote ou a nação tinha inadvertidamente pecado. O Sumo Sacerdote punha a mão sobre a cabeça da vítima, confessando o pecado pessoal. Quando o pecado era da nação, um ancião punha a mão sobre a pessoa que trazia a oferta pelo pecado.[1]

Havia uma grande cerimônia festiva de expiação e era muito significativa entre os judeus[1] Um bode era sacrificado e um outro era solto.[1] Um pagava pelo pecado do povo e era sacrificado e o outro bode era solto simbolizando o bode emissário que levava consigo os pecados do povo.

Hilasterion & kopporeth[editar | editar código-fonte]

A palavra ἱλαστήριον (hilasterion) no grego é traduzido Hebreus 9:5 e Romanos 3:25 na King James por "propiciatório" e "propiciação" respectivamente. Em o Livro do Êxodo 25:17 a palavra traduzida para propiciatório [de ouro] é a palavra hebraica kapporeth que aqui teria o significado de "cobrir", segundo a versão LXX,[7] e é usado com o significado de "tampa" da arca da aliança em Êxodo 25:21[8] Desta forma hilasterion e kapporeth denotam propiciação, e em teologia cristã conciliação de sangue. Visto de no grande dia da expiação o sumo sacerdote adentrava o véu e aspergia com sangue do sacrifío o propiciatório.[9] [10] E a soteriologia define o apaziguamento da ira de Deus por meio do sangue de Cristo Jesus.[11] [10]

Jesus como propiciação[editar | editar código-fonte]

Buckland refere-se a propiciação como promover perdão pelo proceder misericordioso, e citando a primeira epístola de João[12] , refere que Jesus é a "propiciação pelos nossos pecados".[7] e reforça com os argumento do Apóstolo Paulo, referindo "como propiciação" a "redenção que há em Cristo Jesus".[7]

Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus.[13]

O Apóstolo Paulo expressa que haveria "propiciação pela fé no seu sangue" [de Jesus], e que gratuitamente haveria "remissão de pecados".[13]

Referências

  1. a b c d e f Buckland, pp. 389
  2. Michaelis online, verbete propiciação
  3. Priberam; verbete: propiciação
  4. Epístola aos Romanos 8:3
  5. II Coríntios 5:21
  6. Hebreus 1:3, 9:28
  7. a b c Buckland, A. R. (Arcediago de Norfolk), Dicionário Bíblico Universal, Editora Vida, 1981, pp 362 - ISBN 85-7367-226-9
  8. "Porás o propiciatório por cima da arca"
  9. Easton's Bible Dictionary, third edition, 1897 (domíno público).
  10. a b Theopedia.com
  11. Charles C. Ryrie (1999-01-11). Basic Theology: A Popular Systematic Guide to Understanding Biblical Truth (Kindle Locations 5503-5504). Moody Publishers. Kindle Edition.
  12. I Jo 2:2 e 4:10
  13. a b Epístola aos Romanos 3:24,25
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.