Sumo Sacerdote de Israel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2010). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
O Sumo Sacerdote.


Sumo Sacerdote de Israel (em hebraico guita, transl. Kohen Gadol) é o nome dado ao mais alto posto religioso do antigo povo de Israel e posteriormente a época do exílio babilônico. O sumo sacerdote coordenava o culto e os sacrifícios, primeiro no tabernáculo e depois no Templo de Jerusalém. De acordo com a tradição bíblica, apenas os descendentes de Arão, irmão de Moisés, poderiam ser elevados ao cargo, ainda que posteriormente esta norma foi abolida por eventos políticos. Posteriormente à época do exílio babilônico, durante o período do Império Aquemênida persa, do Egito da dinastia ptolomaica e do império selêucida, submetido ao governador da Síria, até o ano de 37 a.c. Posteriormente, os sumo sacerdotes passariam a ser indicados por Roma. Durante este período, o sumo sacerdote presidia o Sinédrio, a assembleia sacerdotal de Israel. Para alguém exercer o cargo de sacerdote, deveria ser da linhagem da tribo de Levi e escolhido pelo Deus de israel Jeová .

Lista de Sumos-Sacerdotes de Israel[editar | editar código-fonte]

Bíblia Sagrada Aitube as datas referem-se ao período em que exerceram suas funções de sumo sacerdote. As datas de Aarão até Josué são baseadas nos cálculos de Jerónimo de Estridão, no livro A Crônica.[1] As datas de Jadua até Onias II são do mesmo livro.[2] As demais datas não tem fonte.

Referências

  1. «Texto do Chronicon (parte 1)» (em (em inglês)) 
  2. «Texto do Chronicon (parte 2)» (em (em inglês)) 

Ver também[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre judaísmo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.