Sala Samobójców

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde janeiro de 2017).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Sala Samobójców
Sala Samobójców logo.svg
 Polônia
2011 •  110 min 
Direção Jan Komasa
Produção Jerzy Kapuściński
Roteiro Jan Komasa
Gênero Drama
Cinematografia Radosław Ładczuk
Edição Bartosz Pietras
Lançamento 4 de março de 2011
Idioma Língua Polonesa
Orçamento 6 milhões PLN
Receita $7,226,940
Página no IMDb (em inglês)

Sala Samobójców (Suicide Room, em inglês/O Quarto do Suicídio, em português), é um filme polonês de drama, dirigido por Jan Komasa. O filme teve sua estréia em 12 de fevereiro de 2011 no Festival de Berlim[1], e em 28 de fevereiro de 2011 no Złote Tarasy (Varsóvia, Polônia). Foi lançado nos cinemas no dia 4 de março de 2011. O filme ganhou diversos prêmios, incluindo melhor ator (Jakub Gierszał), melhor atriz (Roma Gąsiorowska), melhor roteiro (Jan Komasa), e melhor filme.

O filme é centrado em torno de Dominik Santorski, um garoto sensível e perdido, que é filho de pais ricos e bem sucedidos. Depois de desafios e eventos de humilhação, colegas de classe dizem que Dominik é homossexual e zombam dele em redes sociais. Ele, humilhado, se recusa a ir para a escola e pára de se preparar para os exames finais. Esses problemas se agravam com seus pais, que estão quase sempre fora de casa. Entrando numa profunda depressão, Dominik se isola em seu quarto. Nesse período, ele conhece uma garota suicida na internet, e eles criam um laço emocional e intelectual. Com o passar do tempo, Dominik perde o contato com o mundo real, se tornando mais absorto num mundo virtual.

Enredo[editar | editar código-fonte]

O filme começa num teatro, onde Dominik Santorski e seus pais ouvem Der Doppelgänger, de Schubert, o que nos providencia uma chave para a interpretação do filme todo. Seus pais têm carreiras bem sucedidas e são ausentes na vida de seu filho. Dominik é popular na escola particular em que estuda, mas também é mimado pelas regalias que seus pais o dão. Na escola, os amigos de Dominik assistem a um vídeo de auto-mutilação em seu computador. Mais tarde, ele assiste ao resto do vídeo e deixa um comentário a quem o postou.

Depois da festa de formatura, Dominik bebe com seus amigos, quando uma garota admite que teve uma experiência lésbica. Ela, então, demonstra isso para seus amigos beijando outra garota. Depois, os amigos de Dominik o pedem para beijar seu amigo, Aleksander, para o grupo continuar entretido. Um vídeo do beijo é postado em uma rede social, e os amigos de Dominik ficam o provocando por causa do beijo nos dias seguintes. Ele entra na brincadeira, retornando ao falso olhar de saudade de Aleksander. Mais tarde, na aula de judô, Dominik e Aleksander estão disputando, e Dominik fica preso em baixo de seu amigo. Depois do esforço que se segue, Dominik se excita ao ponto de ejacular. Esse evento é retransmitido na rede social, o que enfurece Dominik.

Por seu comentário feito no vídeo de auto-mutilação, ele é convidado a se juntar numa rede social em 3D. Ele conhece Sylwia, uma garota com tendências suicidas que se corta e usa uma máscara no Sala Samobójców (Quarto do Suícidio, em português). Lá, os membros do grupo assistem a filmes de pessoas se matando. Sylwia e Dominik criam um laço, e ele começa a faltar na escola para passar mais tempo com ela.

Dominik e sua família vão a outro espetáculo de ópera, onde tentam uní-lo com a filha de outra família. Ele, então, insiste que é gay e começa a beijar um busto masculino no hall de entrada. Seus pais, envergonhados pela atitude do filho, ficam bravos com ele e o forçam a voltar para a escola. Ele volta para casa e vê um vídeo postado que mostra fantoches de sombra (nomeados Dominik e Aleksander), se envolvendo em diversos atos sexuais. O vídeo faz Dominik chorar e fazer alvoroço em seu quarto.

Sylwia zomba dele por ele estar triste. Ela diz que ele é diferente dos outros e o encoraja a assustar as pessoas normais. Dominik muda seu estilo, adotando o estilo do cabelo e das roupas da subcultura emo, e leva a arma de seu pai para a escola. Quando Aleksander e alguns amigos o abordam depois da aula, Dominik fica em pânico e corre para a segurança de um táxi. Quando conta o incidente para Sylwia, ele afirma que assustou seus amigos e que estava no controle total da situação. Eles retornam ao Sala Samobójców, e Dominik descobre que Sylwia não sai de seu quarto há 3 anos. Ele passa 10 dias trancado em seu quarto conversando com ela e se recusa a comer. Esses eventos passam despercebidos por seus pais, que por vezes passam dias fora de casa a negócios, e se envolvem em relações sexuais extraconjugais. Por fim, a governanta chama a polícia, que arromba a porta do quarto de Dominik e o encontra sentado numa poça de seu próprio sangue ao lado de um espelho quebrado. Ele é enviado à um hospital e mantido em uma ala psiquiátrica por 3 dias. Seus pais chegam para levá-lo para casa afirmando que não há nada de errado com ele, e que ele não deveria estar desperdiçando seu tempo no hospital quando deveria estar estudando para os exames finais.

Quando Dominik volta para casa e retorna ao Sala Samobójców, ele ouve o grupo discutindo seus planos de suicídio, mas eles se recusam a discutí-los perto dele. Ao ouvir que seus pais estão tentando fazê-lo falar com um psiquiatra, Sylwia se abre com ele. Ela conta para Dominik uma história de amor que acaba com os amantes se matando com pílulas e álcool. Depois de dizer dizer que é assim que ela quer morrer, ela implora que ele consiga pílulas com o médico para dar a ela.

Com a ordem do psiquiatra, os pais de Dominik o escrevem uma carta. Ele a lê para Sylwia, que a acha hilária, antes de rasgá-la. Seus pais decidem que os métodos do médico não curarão Dominik antes dos exames finais, então eles procuram o nome de um que vai simplesmente dar drogas para ele. Quando o novo médico chega e entrevista Dominik, Sylwia guia suas respostas para que o médico o dê as pílulas certas. Ele segue as ordens que Sylwia dá, mas menciona continuamente que ninguém deveria querer morrer, num apelo para que ela reconsidere seu suicídio.

Enquanto Dominik e Sylwia discutem aonde se encontrarão para trocarem as pílulas, o pai de Dominik arranca o roteador antes de seus planos estarem definidos. Dominik entra em pânico, pulando da ameaça de matar os pais, para a imploração que sua mãe o ajude. Ela tenta ligar os fios novamente, mas é impedida pelo marido. Dominik explode em seu quarto, e tem um colapso. Depois, ele explica para seus pais o que é o Sala Samobójców. Ele diz que os membros são como uma família, e seus pais o proíbem de voltar, nem mesmo para explicar que ele não poderá mais retornar.

Ainda querendo falar com Sylwia, Dominik leva as pílulas para o bar que eles haviam discutido. O bartender o força a pedir alguma coisa, o que o leva a beber uma cerveja grande. Ele vai até o banheiro e decide despejar as pílulas. Depois de jogar alguns punhados na privada, ele toma uma das pílulas seguidas por mais dois punhados. Dominik encontra um casal se beijando e começa a filmá-los. Eles pegam a câmera dele e filmam seu delírio. Ele zomba de seu pai e de si mesmo, rindo de sua própria imitação de embriagado. Quando volta ao bar, Dominik vê Sylwia esperando por ele. Eles vão para o meio da pista de dança e se beijam apaixonadamente. Pela primeira vez no filme, ele está feliz.

Mais tarde no Sala Samobójców, Sylwia está falando com seus seguidores e discutindo sobre a longa ausência de Dominik no grupo. Eles veem o avatar de Dominik se aproximar e descobrem que é sua mãe que está usando sua conta. Ela os agradece por estarem lá e apoiarem seu filho, e anuncia que ele está morto (o encontro no bar é provavelmente uma alucinação). Sylwia arranca o fio da internet da parede e tropeça através de seu quarto, derrubando pilhas de lixo. Ela abre a porta e sai de lá pela primeira vez em três anos, berrando e gritando no gramado à frente.

O filme acaba com os pais de Dominik no balé, apesar de divorciados, e sentando em lugares diferentes. As cenas do casal bêbado que ele filmou são intercaladas com o balé. É revelado que, ao invés de ter retornado ao bar, Dominik estava gritando por seus pais no banheiro enquanto morria de overdose. Ele coloca os dedos na garganta numa tentativa de vomitar as pílulas, mas já é tarde demais. O vídeo acaba no mural do Sala Samobójców.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Jakub Gierszał Dominik Santorski
Roma Gąsiorowska Sylwia
Agata Kulesza Beata Santorska
Krzysztof Pieczyński Andrzej Santorski
Filip Bobek Marcin
Bartosz Gelner Aleksander
Danuta Borsuk Nadia
Piotr Nowak Jacek
Krzysztof Dracz o ministro
Aleksandra Hamkało Karolina
Kinga Preis a psiquiatra
Anna Ilczuk Ada
Bartosz Porczyk o estilista
Wiesław Komasa o diretor
Karolina Dryzner Jowita
Ewelina Paszke a mulher do ministro
Tomasz Schuchardt o escolta

Festivais e Prêmios[editar | editar código-fonte]

Em abril de 2011, o filme ganhou um prêmio da Federação Internacional de Críticos de Cinema no International Festival of Independent Cinema Off Plus Camera. Em junho, no 36. Festiwal Polskich Filmów Fabularnych w Gdyni, ganhou o prêmio Silver Lions, e muitos outros prêmios individuais:[2] para Bartosz Purkiewicz (som), e Dorota Roqueoplo (vestuário). Jakub Gierszał pelo papel principal de Dominik, foi nomeado ao Prize of Zbigniew Cybulski 2011. Na competição, o filme ganhou um prêmio de audiência. Em novembro de 2011, ganhou 3 estatuetas nas categorias: Melhor Shooting, Melhor Escrita e Melhor Filme 2010/2011. Jakub Gierszał, no papel principal de Dominik, também ganhou um prêmio de melhor ator.

Ganhou

  • 14th Polish Film Awards[3][4]
    • Águia de melhor edição: Bartosz Pietras
    • Águia de descoberta do ano: Jan Komasa
  • Gold Ducks 2011[3][5]
    • Melhor filme: Jan Komasa
    • Melhor atriz: Roma Gąsiorowska
    • Melhor ator: Jakub Gierszał
    • Melhor roteiro: Jan Komasa
    • Melhor photoshooting: Radosław Ładczuk
  • New Horizons Film Festival 2011[3]
    • Novos Filmes Poloneses: Jan Komasa
    • Melhor Estreia: Jan Komasa
  • 36th Polish Film Festival[2][3]
    • Silver Lions pelo filme
    • Silver Lions pelo produtor: Jerzy Kapuściński
    • Outros 2 prêmios individuais e 5 prêmios especiais
  • Camerimage 2011[3][6]
    • O Melhor Filme Polonês

Trilha Sonora[editar | editar código-fonte]

N.º Título Duração

Referências[editar | editar código-fonte]

[7][1][2][3][4][5][6]

  1. a b «Sala samobójców». www.berlinale.de. Consultado em 11 de janeiro de 2017 
  2. a b c AXE. «Festiwal Filmowy w Gdyni». FFG 
  3. a b c d e f Sala samobójców, consultado em 11 de janeiro de 2017 
  4. a b «Polskie Nagrody Filmowe: Orły 2011 Ogłoszenie nominacji do ORŁÓW 2011». 26 de setembro de 2013. Consultado em 11 de janeiro de 2017 
  5. a b «Złote Kaczki 2012 - Gala 2011». 6 de dezembro de 2013. Consultado em 11 de janeiro de 2017 
  6. a b «Plus Camerimage - PC 2011». 28 de dezembro de 2011. Consultado em 11 de janeiro de 2017 
  7. «Sala samobójców (Suicide Room) (2011)». www.boxofficemojo.com. Consultado em 11 de janeiro de 2017