Sangue-de-dragão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Sanguis draconis («sangue de dragão»), nas formas de pigmento pulverizado e de incenso (usada para fins de medicina tradicional).
Sangue de dragão (como raspado da planta).

Sangue de dragão (quando em preparados farmacêuticos sanguis draconis) é uma resina vermelha, brilhante, obtida a partir da seiva de algumas espécies dos géneros botânicos Croton, Dracaena, Daemonorops, Pterocarpus e Calamus, sendo na antiguidade em geral obtida a partir da espécie Dracaena draco (o dragoeiro).[1] Esta resina vermelha foi usada desde a Antiguidade Clássica europeia como verniz e pigmento vermelho em pintura artística e como aditivo em preparados de medicina tradicional, produção de incenso e como pigmento em tinturaria.[2] Embora de forma restrita, continua a ser empregue para esses propósitos.

Notas

  1. Safety data for mercuric sulphide
  2. De Hamel, Christopher. Scribes and Illuminators.Medieval Craftsmen series. Toronto: U Toronto P,1992. Print. 62.