Seleção negativa (política)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde junho de 2016). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.

Seleção negativa é um processo político que ocorre especialmente em hierarquias rígidas, notavelmente ditaduras, mas também em locais como corporações ou na política eleitoral moderna.

A pessoa no topo da hierarquia, desejando permanecer no poder para sempre, escolhe seus associados propositadamente pelo critério da incompetência, estes não devem ser competentes o suficiente para removê-lo do poder. Visto que os subordinados muitas vezes imitam o seu líder, esses colaboradores fazem o mesmo com os que estão abaixo deles na hierarquia e a hierarquia é progressivamente preenchida com agentes incompetentes.

Se o ditador ainda assim se considerar ameaçado, no entanto, ele irá remover aqueles que pensa ameaçá-lo de suas posições. Posições vacantes na hierarquia normalmente são preenchidas por subordinados, aqueles que eram menos competentes do que seus mestres anteriores. Assim, no decorrer do tempo, a hierarquia torna-se mais e mais ineficaz. Uma vez que o ditador morre ou é removido por alguma influência externa o que resta é uma hierarquia ineficiente.

Veja Também[editar | editar código-fonte]

Referências