Serum Institute of India

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
O primeiro-ministro Narendra Modii visitando o Instituto em novembro de 2020

O Serum Institute of India (Instituto de Soro da Índia) é um fabricante indiano de medicamentos imunobiológicos, incluindo vacinas. [1]

Serum Institute of India Private Limited
Serum-Institute-of-India-logo.png
Atividade
Fundação 1966; há 55 anos
Pessoas-chave Adar Poonawalla (Chairman, President & CEO)
Produtos
Website oficial seruminstitute.com


A empresa é uma subsidiária da holding Poonawalla Investment & Industries fundada em 1966 e controlada pelo bilionário Cyrus Poonawalla. [2] [3]

O instituto é o maior produtor mundial de vacinas em número de doses produzidas, com cerca de 1,3 bilhão de doses de vacinas a cada ano. Segundo o website na seção About, "estima-se que cerca de 65% das crianças no mundo receberam pelo menos uma vacina fabricada pelo Instituto Serum". [3]

Os produtos desenvolvidos pelo instituto incluem também comprimidos, xaropes e injeções. [4]

Destaques[editar | editar código-fonte]

Bilthoven Biologicals[editar | editar código-fonte]

Em 2012, o Instituto fez sua primeira aquisição internacional ao adquirir a Bilthoven Biologicals, uma empresa de bioengenharia e farmacêutica do governo da Holanda.

Rabishield[editar | editar código-fonte]

Em 2016, com o apoio da Mass Biologics da Escola de Medicina da Universidade de Massachusetts, com sede nos EUA, a empresa desenvolveu um agente antirrábico de ação rápida, o Anticorpo Monoclonal Humano da Raiva (RMAb), também conhecido como Rabishield. [5]

Vacina covid-19[editar | editar código-fonte]

Em 2020, a empresa farmacêutica AstraZeneca, em colaboração com a Universidade de Oxford, contratou o instituto para produção de 1 bilhão de doses para sua vacina, a ChAdOx1. [6]

Em janeiro de 2021, a Anvisa anunciou que 2 milhões das doses desta vacina viriam do Instituto para o Brasil. [7]

Incêndio[editar | editar código-fonte]

No dia 21 de janeiro de 2021, em plena pandemia de covid-19, com a produção da vacina a todo vapor, um dos prédios do complexo pegou fogo, matando inicialmente cinco pessoas. Em seu Twitter, Adar Poonawalla, filho do fundador da empresa e atual CEO, além de se solidarizar com as famílias das vítimas, garantiu que não haveria prejuízos à produção das vacinas covid-19. [8]

Exportações[editar | editar código-fonte]

O Instituto produz uma série de vacinas que são exportadas, principalmente, para países subdesenvolvidos, entre elas vacinas contra sarampo, caxumba, rubéola, difteria, tétano e coqueluche, hepatite B, rotavírus e gripe, além da vacina BCG e soro antirrábico. [4]

Segundo o seção About, "as vacinas fabricadas pelo Serum Institute são credenciadas pela Organização Mundial da Saúde de Genebra e estão sendo usadas em cerca de 170 países em seus programas nacionais de imunização, salvando milhões de vidas em todo o mundo". [3]

Referências

  1. «Serum Institute of India Pvt. Ltd.: Private Company Information». bloomberg.com. Consultado em 30 de setembro de 2018 
  2. «About Serum Institute Of India Pvt. Ltd.». www.seruminstitute.com. Consultado em 3 de janeiro de 2021 
  3. a b c «Cyrus Poonawalla». Forbes (em inglês). Consultado em 3 de janeiro de 2021 
  4. a b «Serum Institute Of India.». www.seruminstitute.com. Consultado em 3 de janeiro de 2021 
  5. «Fast-acting anti-rabies drug set for India launch - Times of India». The Times of India. Consultado em 12 de junho de 2016 
  6. «AstraZeneca & Serum Institute of India sign licensing deal for 1 billion doses of Oxford vaccine». The Economic Times. Consultado em 15 de junho de 2020 
  7. «Anvisa aprova importação de dois milhões de doses de vacinas pela Fiocruz». Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa. Consultado em 3 de janeiro de 2021 
  8. «Cinco morrem em incêndio em prédio do Instituto Serum, fabricante de vacinas contra Covid-19 na Índia; produção não é afetada». G1. Consultado em 21 de janeiro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]