Sexto Nônio Quintiliano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o cônsul em 8. Para o cônsul em 38 e filho dele, veja Sexto Nônio Quintiliano (cônsul em 38).
Sexto Nônio Quintiliano
Cônsul do Império Romano
Consulado 8 d.C.

Sexto Nônio Quintiliano (em latim: Sextus Nonius Quinctilianus) foi um senador romano nomeado cônsul em 8 com Marco Fúrio Camilo.

Ancestrais[editar | editar código-fonte]

Quintiliano provavelmente era filho de Lúcio Nônio Asprenas, que era filho de Lúcio Nônio Asprenas, cônsul em 36 a.C., com Quintila, irmã de Públio Quintílio Varo, infame pela derrota na Batalha da Floresta de Teutoburgo em 9[1][2]. Já foi proposto que ele pode também ter sido um filho biológico do próprio Varo que foi adotado por Asprenas, que era cunhado dele[3].

Carreira[editar | editar código-fonte]

Em 6 a.C., Quintiliano foi triúnviro monetário e, dois anos depois, acompanhou Varo até a Síria, provavelmente como um tribuno militar[4]. Sua "eleição" como cônsul em 9 ocorreu em circunstâncias pouco usuais, pois as eleições foram tão conturbadas que o imperador Augusto foi forçado a nomear ele próprio um dos cônsules, justamente Quintiliano[5]. Depois de seu mandato, Quintiliano foi nomeado procônsul da Ásia, onde serviu entre 16 e 17[6].

Família[editar | editar código-fonte]

Nônio Quintiliano se casou com Sósia, uma filha de Caio Sósio, cônsul em 32 a.C., e os dois tiveram dois filhos, Sexto Nônio Quintiliano, cônsul sufecto em 38[7], e Lúcio Nônio Quintiliano[8].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Cônsul do Império Romano
Vexilloid of the Roman Empire.svg
Precedido por:
'Quinto Cecílio Metelo Crético Silano

com Aulo Licínio Nerva Siliano
com Lucílio Longo (suf.)

Marco Fúrio Camilo
8

com Sexto Nônio Quintiliano
com Lúcio Aprônio (suf.)
com Aulo Víbio Hábito (suf.)

Sucedido por:
'Caio Popeu Sabino

com Quinto Sulpício Camerino
com Marco Pápio Mutilo (suf.)
com Quinto Popeu Segundo (suf.)


Referências

  1. Syme, pgs. 57, 318
  2. Saller, Richard P., Patriarchy, Property and Death in the Roman Family (1996), pg. 88
  3. Levick, pg. 36
  4. Syme, pg. 315
  5. Levick, pg. 42
  6. Syme, pg. 327
  7. Lanore, Fernand, Les gouverneurs de province a l'epoque augusteenne, pgs., 190-191
  8. Badel, Christophe, La noblesse de l'Empire romain: les masques et la vertu (2005), pg. 129

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Levick, Barbara (1999). Tiberius the Politician (em inglês). [S.l.: s.n.] 
  • Swan, Peter Michael (2004). The Augustan Succession: An Historical Commentary on Cassius Dio's Roman History Books 55-56 (9 B.C.-A.D. 14) (em inglês). [S.l.: s.n.] 
  • Syme, Ronald (1986). The Augustan Aristocracy (em inglês). [S.l.]: Clarendon Press  via Questia