Sistema cristalino cúbico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Um exemplo de cristais cúbicos de sal, NaCl. Halita.

O sistema cristalino cúbico ou isométrico, em cristalografia, caracteriza-se por três eixos cristalográficos de mesmo tamanho e mutuamente perpendiculares. Possui quatro eixos ternários de rotação, o que permite um grande número de grupos espaciais (36). Como os três eixos cristalográfícos têm o mesmo tamanho, os cristais desse sistema são equidimensionais, ou seja, não são nem alongados, nem achatados. O fato de o sistema chamar-se cúbico não significa que os cristais todos têm a forma de um cubo. Eles podem ser, por exemplo, octaedros, dodecaedros, etc. Os cristais do sistema cúbico têm uma característica que nenhum outro têm: isotropia térmica e óptica. Isso significa que a luz e o calor neles se propagam com a mesma velocidade, seja qual for a direção. Pertencem ao sistema cúbico os cristais de 7,8 % das espécies minerais conhecidas, entre elas diamante, ouro, granadas, prata, espinélio, pirita e sodalita.

Existem três variedades principais desses cristais:

  • Cúbico primitivo (abreviado cP[1] e alternativamente chamado cúbico simples);
  • Cúbico de corpo centrado (abreviado cI[1] ou bcc);
  • Cúbico de face centrada (abreviado cF[1] ou fcc).

Cada um é subdivido em outras variantes. Note que embora a célula unitária nesses cristais é convencionalmente considerada um cubo, a célula unitária primitiva frequentemente não é. Isto esta relacionado ao fato de que na maioria dos sistemas cristalinos cúbicos há mais de um átomo por célula unitária cúbica.

Um cristal isométrico clássico tem faces quadradas ou pentagonais.

Rede de Bravais[editar | editar código-fonte]

As três redes de bravais no sistema cristalino cúbico são:

Redes de bravais Cúbico
primitivo
Cúbico de corpo
centrado
Cúbico de face
centrada
Símbolo de Pearson cP cI cF
Célula unitária Cubic.svg Cubic-body-centered.svg Cubic-face-centered.svg

Referências[editar | editar código-fonte]

BRANCO, Pércio de Moraes. Dicionário de Mineralogia e Gemologia. São Paulo: Oficina de Textos, 2008. 608 p. il.

Ícone de esboço Este artigo sobre Cristalografia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. a b c International Tables for Crystallography (2006). Vol. A, Seção 2.1.3, pp. 14–16. Link