Sodalita

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sodalita
Detalhe de uma placa de sodalita
Esta peça decorativa esculpida em sodalita mostra a clivagem pobre do mineral através da pedra.
General
Categoria Mineral
Fórmula química Silicato de sódio-alumínio com cloro (Na4Al3(SiO4)3Cl)
Identificação
Cor Azul royal, verde, amarelo, violeta, frequentemente com veios brancos
Hábito cristalino Maciço; raramente dodecaédrico
Estrutura do cristal Cúbico
Clivagem Dodecaédrica (6 direções), pobre
Fratura Conchoidal a irregular; frágil
Dureza na escala de Mohs 5.5-6
Brilho Vítreo a graxo
Índice refrativo 1.48 - isotrópico
Pleocroísmo Nenhum - isotrópico
Traço Branco
Peso específico 2.27-2.33
Fusibilidade Fácil até tornar-se um vidro transparente; chama de sódio amarela
Solubilidade Solúvel em ácido clorídrico e ácido nítrico
Variedades principais
Hackmanita Fotocromática; vermelho-violeta ou verde tendendo ao branco
Sodalita polida, Brasil.
Colar em sodalita ouro platina brilhantes e um rubi central, design Andree Guittcis

A sodalita é um mineral raro de coloração geralmente azul ou violeta-azulada, amplamente usado como gema e em objetos ornamentais. Pode ser também cinza, amarela, verde ou rosa e é frequentemente manchada de branco, o que diminui seu valor. É lapidada em cabuchão ou em forma de contas. Translúcida, muito raramente transparente. Quando azul, assemelha-se ao lápis-lazúli, dele diferindo pela densidade e pela presença de pirita, rara na sodalita. Seu azul é diferente, sendo do tipo azul royal e não ultramarino, como o lápis-lazúli e a lazurita. Distingue-se ainda de minerais semelhantes por seu traço branco. Possui seis direções de clivagem pobre, que se traduzem em fendas incipientes através da pedra. É um mineral relativamente frágil, assim chamado pela presença de sódio em sua composição. Mineralogicamente, é classificada como feldspatoide. . O grupo da sodalita inclui outros três silicatos cúbicos: hauynita, noseana e lazurita.

Descoberta em 1806 na Groenlândia, a sodalita só se tornou uma pedra ornamental importante a partir de 1891 quando vastos depósitos de material de boa qualidade foram descobertos em Ontario, Canada. Passou então a ser chamada de Azul Princesa em homenagem à Princesa Patrícia, que visitou Ontario algum tempo depois de sua descoberta e que escolheu a sodalita para decorar o interior de Marlborough House na Inglaterra. Atualmente muito usada na joalheria como gema semi preciosa.

A hackmanite é uma importante variedade de sodalita que exibe tenebrescência: em fratura recente, ela é violeta a vermelha, mas gradualmente passa a branca ou verde à luz solar. Se deixada em ambiente escuro por algum tempo, a cor violeta reaparecerá. O processo é acelerado se for usada luz ultravioleta de comprimento de onda curto. Muitas sodalitas também fluorescem com cor laranja sob luz UV.

Com hábito tipicamente maciço, é encontrada na forma de veios em rocha ígneas ácidas como nefelinassienitos. Associa-se a outros minerais típicos de ambientes insaturados, principalmente leucita, cancrinita and natrolita.

Importantes depósitos de sodalita são encontrados em poucas localidades: Bancroft, Ontario e Mont-Saint-Hilaire, Quebec no Canadá; e Litchfield, Maine e Magnet Cove, Arkansas nos Estados Unidos. Jazidas menores são encontradas na América do Sul (Brasil e Bolívia), Portugal, Romênia, Myanmar e Rússia. A hackmanite é encontrada principalmente em Mont Saint-Hilare (Canadá) e Groenlândia. Nesta última localidade, é produziada uma variedade verde chamada sodalita camaleão. Cristais euédricos, transparentes são encontrados no norte da Namibia e nas lavas do Vesúvio, Itália. Estes espécimes raros são altamente valorizados pelos colecionadores.

Veja também[editar | editar código-fonte]