Sistema estelar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Impressão artísitca das órbitas de HD 188753, um sistema estelar múltiplo.

Um sistema estelar normalmente é composto por um pequeno número de estrelas que orbitam entre si, conectadas por atração gravitacional. 1 O termo sistema estelar também pode ser usado para referir-se a sistemas planetários de estrelas solitárias, similares ao Sistema Solar. 2 3 Um número muito grande de estrelas que estão agrupadas gravitacionalmente, embora sejam também sistemas estelares, é normalmente chamado de aglomerado estelar.

Sistema planetário[editar | editar código-fonte]

Um sistema planetário consiste em objetos não-estelares que orbitam uma estrela, tal como planetas, Satélites Naturais, asteróides, meteoros, cometas e poeira cósmica. 4 5 O sistema planetário ao qual pertence o planeta Terra é denominado Sistema Solar. Aos demais, se dá a denominação de extra-solares.

Sistema binário[editar | editar código-fonte]

Um sistema estelar binário é um sistema composto por duas estrelas orbitando em torno de um centro gravitacional comum. Segundo recenseamentos efetuados entre as estrelas da Via Láctea, ao menos um terço dos sistemas estelares são binários. Normalmente aparentam ser uma única estrela à olho nu, ou dependendo das distâncias envolvidas, até mesmo quando vistas por sistemas especiais.

O período de revolução do sistema pode ser breve - menos de 20 minutos em certos casos extremos; outras vezes, ao contrário, é muito longo. Gama de Virgem, próxima de Spica (Alfa da Virgem), é constituída por duas estrelas que tem exatamente o mesmo brilho, com período de revolução de 180 anos.

Sistemas estelares multiplos[editar | editar código-fonte]

Sistemas estelares múltiplos sao sistemas compostos por mais de duas estrelas. 6 Sistemas estelares múltiplos com tres estrelas são denominados triplos; com quatro, quádruplos; com cinco, quíntuplos, e assim sucessivamente. Estes sistemas sao menores do que os chamados clusters, grupos de estrelas compostos em torno por 100 a 1.000 estrelas.7

Em teoria, compreender um sistema estelar múltiplo é mais difícil do que compreender um sistema binário, já que a dinâmica do sistema pode ser aparentemente caótica, e inicialmente nao se sabe o número exato de corpos celestes envolvidos.

Dependendo de sua configuração, um sistema múltiplo pode ser instável, já que uma estrela, devido ao excesso de aproximação com uma de suas companheiras, pode receber uma aceleração que a faça ser ejetada do sistema. 8 A instabilidade não ocorre em sistemas denominados hierárquicos. 9 Em um sistema hierárquico as estrelas pertencentes ao conjunto se encontram divididas em dois ou mais sub-grupos e os sub-grupos orbitam em torno de um centro gravitacional comum. 10 .

Devido à mencionada instabilidade, sistemas estelares triplos geralmente são hierárquicos: duas estrelas em um sistema binário formando um sistema triplo com uma companheira mais distante. O sistema estelar Castor (Alpha Geminorum), por exemplo, constituido por seis estrelas, consiste em duas estrelas binárias distantes orbitando dois pares de binárias mais próximos. 11

Referências

  1. "Star system" in Modern Dictionary of Astronomy and Space Technology. A.S. Bhatia, ed. New Delhi: Deep & Deep Publications, 2005. ISBN 81-7629-741-0
  2. Astronomers discover a nearby star system just like our own Solar System, Joint Astronomy Centre, press release, 8 de julho de 1998. Acessado em 23 de setembro de 2007.
  3. Life unlikely in asteroid-ridden star system, Maggie McKee, NewScientist.com news service, 7 de julho de 2004. Accessed on line 27 de agosto de 2009.
  4. Dsrling, David J.. The Universal Book of Astronomy, from the Andromeda Galaxy to the Zone of Avoidance (em inglês). New Jersey: Wiley, 2004. p. 394. ISBN 0471265691
  5. Illingworth, Valerie. Collins Dictionary of Astronomy (em inglês). Londres: Collins, 2000. ISBN 0007102976
  6. Understanding Variable Stars, John R. Percy, Cambridge: Cambridge University Press, 2007, ISBN 0521232538. (em inglês)
  7. p. 24, Galactic Dynamics, James Binney and Scott Tremaine, Princeton University Press, 1987, ISBN 0691084459. (em inglês)
  8. Multiple Stellar Systems: Types and Stability, Peter J. T. Leonard, in Encyclopedia of Astronomy and Astrophysics, P. Murdin, ed., online edition at the Institute of Physics, orig. ed. published by Nature Publishing Group, 2001.
  9. Stars of Higher Multiplicity, David S. Evans, Quarterly Journal of the Royal Astronomical Society 9 (1968), 388–400.
  10. Dynamics of multiple stars: observations, A. Tokovinin, in "Massive Stars in Interacting Binaries", August 16–20, 2004, Quebec (ASP Conf. Ser., in print).
  11. Castor A and Castor B resolved in a simultaneous Chandra and XMM-Newton observation, B. Stelzer and V. Burwitz, Astronomy and Astrophysics 402 (May 2003), pp. 719–728.
Ícone de esboço Este artigo sobre astronomia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.