Skit Company Records

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A Skit Company Records é uma editora angolana independente fundada em 2010 por Skit Van Darken. Em 2016, a editora lançou uma coletânea intitulada Sujo que juntou grandes nomes do Horrorcore e do Hardcore Rap independente, como Chapa Blasfemo, Semdó, Sajko Psychobrat, Exorcistas Ocultos, Movimento Kampa Preta, Mimax Corpsegrind, Assassino das Palavras, U Ghoxmico, Phezty Humana, Guardião Poeta Mistiko. Há representantes da gravadora em países como Brasil, México e Moçambique.

Alguns artistas da editora já foram "All Star Rap Game[1]", chart do portal de divulgação do Rap da lusofonia aPalavrado como Skit Van Darken em 2019, que teve seu álbum Il Lycathrope Vocifera La Sophia nos "Essenciais 2019[2]" do mesmo portal, ao lado de obras de grandes artistas lusófonos como NGA. A editora antigamente tinha um enfoque mais Horrorcore com artistas como como Chapa Blasfemo, Sajko Psychobrat, Skit Van Darken, Grindblack Psychadelicz Nekroxxiztas, Sulfúrico, e  Hoje em dia, a gravadora tem também trabalhado com artistas como Ngana MC.

História[editar | editar código-fonte]

A Skit Company foi fundada em 2010, por Skit Van Darken, como um selo musical sob qual pretendia lançar todas suas produções e criações[3]. Tendo crescido e se afirmado como uma editora independente de Underground Rap, Metal e Dubstep.

Grandes nomes do horrorcore angolano já juntaram-se à Skit Company em vários projectos, como por exemplo Raf Tag, Sulfúrico (Templo de Xiento/Trifonia),. Vários artistas independentes pelo mundo todo possuem trabalhos ou possuíram  com a editora, por exemplo: Rzeznick (República Checa), Taurus Earth Cleanser(República Cehca), Nekropolis(França e Canadá),  Joens Gore (Brasil) Kata Klown (França).

O primeiro artista a vincular com a editora foi Flash MC, rapper moçambicano em 2011. O selo também lançou 2 bandas de rock e ainda trabalha com o gênero.

No México a representação tornou-se oficial com afiliação directa de Chapa Blasfemo. Já no Brasil, teve representação oficial por curto tempo artisticamente através de Joens Gore[4] e administrativamente por intermédio da QXIZ Produções de Octávio Fiedler (2015). Que resultou em lançamento de alguns singles álbuns instrumentais. Em 2016 terminou a representação brasileira e logo a seguir  em 2017, foi absorvida pela startup angolana Fluxodigital.

A Skit Company é umas das únicas editoras do continente africano orientada à música extrema[5], activa desde 2010 sem períodos de inactividade[5].

Lançamentos[editar | editar código-fonte]

Skit Van Darken

- 2010: Where is Mr Bob (beat-tape)

- 2011: Raportagem (compilação)

- 2012: Aurora dos Corações Negros (Single)

- 2013: Aurora dos Corações Negros (EP)

- 2013: Núpcias de Osíris (Single)

- 2014: Relatos da Ultratumba (Single)

- 2014: Tragam-me a cabeça do c... do Edir Macedo (single)

- 2014: Subsolo (Single)

- 2014: Prefácio (Single)

- 2014: Specimen 32 (beat-tape)

- 2014: Iniciação à Láctea (Beat-tape)

- 2014: Alkool daz Kolinaz Magickaz ft. Antídoto Nekrólogo (beat-tape)

- 2014: XII Tábuas (beat-tape)

- 2015: Specimen 32 Vol 2 (beat-tape)

- 2015: Comunicando para as campas (beat-tape)

- 2015: Morticidio ft Phezty Humana

- 2015: Grimorium Sakrilegium (beat-tape)

- 2015: MH370 ft. QXiz (Beat-tape)

- 2016: Declaradamente Sujo

- 2016: The Bloody Van Orchestra ft. Bloody Beat

- 2016: Selos (Single)

- 2017: Sarcasmo (Single)

- 2017: A verdadeira história (single)

- 2017: Acredite em mim ft. Abesboy (single)

- 2017: Zeitgeist (EP)

- 2017: Sete anos (Demo)

- 2018: Quem tem o controlo (single)

- 2018: Il Lycathrope Vocifera La Sophia (álbum)

- 2019: Bodes (Instrumental)

Ektoplazma

2020: A Besta Bicéfala ft. Skit Van Darken e Ngana (EP)

Flash MC

-2016: Não queria que fosse assim (Single)

-2016: Dedicado aos meus (single)

-2016: O pesadelo ainda continua (single)

-2018: Eu falo (single)

Chapa Blasfemo

- 2019: Chapa Blasfemo Eliminamos Falsedads ft. Vyrus (Single)

Raf Tag

2016: África Democrata (Single)

Sajko Psychobrat

-2016: Notatnik Smierci (Álbum)

- 2016: Sennik (EP)

- 2019: Run-Away ft. Skit Van Darken

Muralha Defensiva

- 2011: Linhas Defensivas (single)

- 2012: Golpeagem ft. Skit Van Darken & Bambaklata

Green Cow Effect

2015: Insónia (EP)

2016: Impicaixão, Galeria Cadavérica (EP)

Grindblack Psychadelic

- 2016: Grindcorpse (single)

- 2016: Black Sacrifice ft. Dudão K2 (Single)

Violence Fonk

-2015: Culto Vaginal (EP)

Slice Putrefação Etérica:

- 2013: Parafuso Telúrico (beat-tape)

- 2015: Om Parasitarium (beat-tape)

Guardião Poeta Mistiko

- 2015: U Outro Lado (single)

Rzeznick

- 2016: Brudne Dziecko (Single)

Monarcas da Besta

- 2015: Alkool das Kolinaz Magickaz Vol 2

- 2015: Alkool das Kolinaz Magickaz Vol 3

- 2015: Alkool das Kolinaz Magickaz Vol [[1]]

Limpeza Étnica

-2016: Limpeza Étnica (EP)

-2016: Pró-ditadura (EP)

MC Patou (Falecido)

2013: Fogo da Rua (Mixtape)

Abesboy

- 2016: Águas Paradas & Perdidos no Maya (Singles)

Heterogêneo

- 2016: Persistência (single)

- 2017: Alternativo (mixtape)

- 2017: Música da Alma ft. Inspirados (single)

- 2018: Eu e outras poesias (single)

- 2018: Rapazes do Bando (single)

Deep Dope aka DPG

- 2014: O que sinto (Single)

- 2018: Belial Skill (single)

- 2018: Distante de vocês (single)

Nekroxxiztas

- 2015: Grimório Arcaico de Composições Macabras (Single)

Draxtiko

- 2015: Viajem (single)

Sulfúrico

- 2014: Gruta Sónica & Xpirologia (Singles)

Templo de Xiento

- 2014: Índice das Brumas (EP/Álbum)

Muralha Defensiva

2011: Linhas Defensivas (Single)

Ciclónico

2015: Nekrologia (LP)

Referências

  1. «Sangue na gaveta». aPALAVRAdo... Consultado em 10 de fevereiro de 2020 
  2. «ÁLBUNS ESSENCIAIS 2019». aPALAVRAdo... Consultado em 10 de fevereiro de 2020 
  3. «Underground Lusófono Entrevista: Skit Van Darken». Underground Lusófono. Consultado em 10 de fevereiro de 2020 
  4. skitcompanyent (22 de setembro de 2016). «Joens Gore, assinou recentemente pela Skit Company | Entrevista Semanal Com: Joens Gore (www.rapsemanal.com)». Skit Company. Consultado em 10 de fevereiro de 2020 
  5. a b «Skit Van Darken». Music In Africa (em inglês). 14 de junho de 2016. Consultado em 10 de fevereiro de 2020