Solar Gomes Leitão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde março de 2010)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Solar Gomes Leitão
Data da construção 1857
Estilo arquitetônico Colonial com elementos do neoclássico
Cidade Jacareí, SP
Tombamento 6 de dezembro de 1978
Órgão Condephaat

O Solar Gomes Leitão, construído em Jacareí, é um exemplar da arquitetura residencial da aristocracia cafeeira do Vale do Paraíba.

História[editar | editar código-fonte]

Jacareí, cujo povoamento iniciou-se em meados do século XVII, na região do Vale do Paraíba, era um importante ponto de parada para a penetração bandeirista. A cidade passou por um grande período de desenvolvimento no século XIX impulsionado pela economia cafeeira.

Um dos personagens mais importantes deste período na cidade era o alferes João da Costa Gomes Leitão, participante ativo da vida política local e um dos maiores traficantes de escravos da província. Em 1857, mandou construir o edifício conhecido por Solar Gomes Leitão, em que se misturam as tradições coloniais e elementos do neoclássico, utilizando as técnicas da taipa de pilão e pau-a-pique. Com planta retangular e implantada em lote de esquina, o Solar possui, no interior, paredes e forros com pinturas decorativas e artísticas.

De 1895 até fins da década de 1970, o edifício sediou o Grupo Escolar Coronel Carlos Porto e, desde 1980, nele encontra-se instalado o Museu de Antropologia do Vale do Paraíba.

Tombamento[editar | editar código-fonte]

Foi tombado pelo Condephaat em 1978 (processo nº 20546/78).


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre patrimônio histórico no Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.