Jacareí

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Emblem-scales.svg
A neutralidade deste artigo ou se(c)ção foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão. (desde junho de 2013)
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Jacareí (desambiguação).
Município de Jacareí
"Capital da Cerveja"
"Capital do Motocross"
Pista de Bicross Luciano Bruni

Pista de Bicross Luciano Bruni
Bandeira de Jacareí
Brasão de Jacareí
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 3 de abril
Fundação 3 de abril de 1653 (366 anos)
Gentílico jacareiense
Lema Pro Pavlistarvum ivre et honore
"Pelo Direito e pela Honra dos Paulistas"
Prefeito(a) Izaias José de Santana (PSDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Jacareí
Localização de Jacareí em São Paulo
Jacareí está localizado em: Brasil
Jacareí
Localização de Jacareí no Brasil
23° 18' 18" S 45° 57' 57" O23° 18' 18" S 45° 57' 57" O
Unidade federativa São Paulo
Região intermediária

São José dos Campos IBGE/2017 [1]

Região imediata

São José dos Campos IBGE/2017

Região metropolitana Vale do Paraíba e Litoral Norte
Municípios limítrofes Norte/Nordeste: São José dos Campos;
Leste: Jambeiro;
Sul/Sudeste: Santa Branca;
Sudoeste: Guararema;
Oeste: Santa Isabel;
Noroeste: Igaratá.
Distância até a capital 82 km[2]
Características geográficas
Área 464,272 km²
População 231 863 hab. (SP: 33º) –  estimativa IBGE/2018[3]
Densidade 499,41 hab./km²
Altitude 567 a 730 m
Clima tropical de altitude a subtropical [[Classificação climática de Köppen-Geiger|cfa, cwa a cwb]]
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,777 (SP: 80°) – alto PNUD/2010[4]
PIB R$ 8 290 851 mil (BR: 95º) – IBGE/2013[5]
PIB per capita R$ 37 168 04 IBGE/2013[5]

Jacareí é um município da Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte, no estado de São Paulo, no Brasil. Localiza-se a leste da capital do estado, distando desta cerca de 82 quilômetros.[2] Suas coordenadas geográficas são 23º18'10" sul e 45º17'31" oeste. O município é formado pela sede e pelos distritos de Parque Meia Lua e São Silvestre de Jacareí[6][7].

A população em 2010, segundo o Censo Populacional do IBGE, era de 211 214 habitantes e a estimativa de 2018 foi de 231 863[3] habitantes.

Jacareí faz parte do chamado Complexo Metropolitano Expandido, que ultrapassa os 29 000 000 de habitantes e que compõe, aproximadamente, 75 por cento da população do estado de São Paulo. As regiões metropolitanas de Campinas, São Paulo, Baixada Santista e do Vale do Paraíba e Litoral Norte já formam a primeira macrometrópole do hemisfério sul.

Os seus municípios limítrofes são: São José dos Campos a norte e nordeste; Jambeiro a leste; Santa Branca a sudeste; Guararema a sudoeste; Santa Isabel a oeste e Igaratá a noroeste.

História[editar | editar código-fonte]

Os documentos históricos de Jacareí registram o início de um povoamento em 1652, com o nome de Nossa Senhora da Conceição da Paraíba, pela iniciativa de Antônio Afonso e seus três filhos. Em 22 de novembro de 1653, o local foi elevado a vila pelo donatário da Capitania de Itanhaém, dom Diogo de Faro e Sousa, desmembrado da antiga vila de Mogi das Cruzes. Tornou-se cidade em 3 de abril de 1849.

Antigo caminho para as Minas Gerais, usando o Rio Paraíba do Sul, Jacareí passou de humilde pousada colonial de tropeiros, ao longo dos anos, para cidade progressista, a partir de 1790.

Segundo pesquisas, o núcleo inicial da cidade está nas redondezas da Capela do Avareí (1728) e, depois, nas redondezas do Largo da Matriz (século XIX), que foi urbanizado na década de 1930. O Largo da Matriz continua, desde aquela época, palco das festas em homenagem à padroeira da cidade, Nossa Senhora da Imaculada Conceição. O dia da padroeira é 8 de dezembro, feriado municipal. Em 1920, a igreja passou por uma reforma, na qual foram impressos os seus traços atuais.

Outro monumento histórico da cidade é a Santa Casa de Misericórdia, com suas instalações oficializadas em 1850. A edificação foi construída graças aos donativos arrecadados e pelo trabalho gratuito dos negros escravos, cedidos pelos senhores abastados. Em 1854, terminada a primeira parte da construção e feitas as instalações preliminares, a Santa Casa começou a funcionar. O Brasão, a Bandeira e o Hino Oficial da cidade foram instituídos por lei municipal em 1952, 1968 e 1969, respectivamente.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O termo "Jacareí" é proveniente da língua tupi e significa "rio dos jacarés", através da junção dos termos îakaré (jacaré) e 'y (água, rio)[8].

Geografia[editar | editar código-fonte]

  • Área total do município: 459,7 km²
  • Área da zona rural: 367,4 km²
  • Área da zona urbana: 92,3 km²
  • Área inundada (Rio e represas): 31 km²

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

A cidade é banhada pelos rios Comprido, Paraíba do Sul, Turi e Parateí.

Clima[editar | editar código-fonte]

O clima da cidade é subtropical. A média de temperatura anual é de 21,3 graus centígrados, sendo o mês mais frio Julho (média de 17,5 graus centígrados) e o mais quente Fevereiro (média de 24,4 graus centígrados). O índice pluviométrico anual é de 1 232,8 mm.[9]

Relevo[editar | editar código-fonte]

O relevo é irregular, formado por morros e várzeas, entre elevações da Serra da Mantiqueira. A cidade se localiza em um vale, aproximadamente a 23° S e 45º N, com altitude máxima em torno dos 730 metros e, nas áreas de várzea, beirando os 570 metros. A altitude média é de 580 metros.[9]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Fachada da Igreja Nossa Senhora do Bonsucesso.

Dados do Censo - 2010

População total: 211.214

  • Urbana: 208.297
  • Rural: 2.917
  • Homens: 103.092
  • Mulheres: 108.122

Densidade demográfica (hab./km²): 459,46

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 16,67

Expectativa de vida (anos): 70,80

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,19

Taxa de alfabetização: 93,97%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,777 (alto)

  • IDH-M Renda: 0,749 (alto)
  • IDH-M Longevidade: 0,837 (muito alto)
  • IDH-M Educação: 0,749 (alto)

(Fontes: IPEADATA, PNUD, IBGE)

Economia[editar | editar código-fonte]

Após a abolição da escravatura, em 1888, e o advento da República, em 1889, em Jacareí ocorreu a formação de um polo fabril, consolidando o trabalho assalariado. Essa mão de obra operária formou-se por ex-escravos e imigrantes europeus. Os imigrantes japoneses atuaram na agricultura, enquanto os sírio-libaneses se direcionaram para as atividades comerciais.

O crescimento urbano intensificou-se com as fábricas têxteis instaladas nas primeiras décadas do século XX e a Rodovia SP-66 (Estrada Velha Rio - São Paulo). Esses fatores fizeram com que a cidade crescesse em áreas próximas a esses eixos.

A partir de 1950, houve uma aceleração da industrialização, com a vinda de empresas de grande porte e grupos multinacionais. Consequentemente, aumentaram as oportunidades de emprego, atraindo trabalhadores do próprio Vale do Paraíba e da região Sudeste e, posteriormente, da região Nordeste.

A inauguração da Rodovia Presidente Dutra, em 1951, a instalação de indústrias nas margens dessa Via, e a valorização de terras na região central levaram à formação de bairros populares distantes do centro. As classes mais privilegiadas ocuparam as áreas mais altas em torno do centro e, posteriormente, as áreas de várzea, não mais inundáveis após a construção da Represa de Santa Branca, em 1960.

O processo de crescimento urbano deu-se de forma acentuada até a década de 70, decorrente de um novo parque industrial e da migração, sendo constante até a atualidade. Nesse contexto, emergiram os problemas das moradias populares, da insuficiência de equipamentos urbanos na periferia e da violência urbana.

Nas décadas de 1980 e 1990, o parque industrial diversificou-se e cresceram os setores de serviços e comércio, ocupando respectivamente 36% e 60% da população economicamente ativa.

As principais empresas instaladas em Jacareí são: AmBev, Heineken, Fibria Celulose, Cebrace, Dow Química, Latasa, Parker Hannifin, Pirelli, Fademac, Freudenberg, Metalúrgica Ipê, IKK, Adatex, Emerson, White Martins, Latecoere, Gates, Kadarfit, Adatex, Sadefem, Volex, Inylbra, Chery e Teknia Tecnotubo.

A cidade possui PAT (Posto de Atendimento ao Trabalhador) e Banco do Povo. Destaque-se que a cidade é a única da região que possui entreposto aduaneiro.[carece de fontes?] Possui rede de gás natural com 26,8 km de tubulação que atende a 10 indústrias.[carece de fontes?]

Jacareí é destaque no panorama nacional como uma das melhores cidades para se viver. Pesquisa publicada em 2005 pela revista Você S/A mostra que a cidade subiu no ranking entre as 100 melhores para se trabalhar. Cada vez mais, o município atrai novas empresas e investimentos, aumentando a oferta de trabalho e renda da população.[carece de fontes?]

Jacareí possui também um shopping com seis salas de Cinema (duas 2D e uma 3D),sendo uma delas a maior da região com 284 assentos e uma tela de 75m2. Além dos espaços da Fundação Cultural de Jacarehy "José Maria de Abreu" para a manifestação artística da população.

Jacareí também possui quatro Rádios e três emissoras de TV: Rádio Mensagem - AM 1470 kHz - (atualmente pertence à Igreja Católica); Rádio 8 - FM 100,5M Hz - (atualmente pertence a Igreja Deus é Amor); Rádio Luz - FM 106,1 MHz - (atualmente pertence à Igreja Assembleia de Deus, mas esta fora do ar por problemas com a Anatel; Rádio Jovem Pan Sat - FM 94,3 MHZ - (afiliada Rede Jovem Pan Sat); TV Novo Tempo Canal 30(pertence a Igreja Adventista do Sétimo Dia); TV Câmara (Jacareí) Canais 17 e 24 da televisão a cabo NET (pertence à Câmara Municipal de Jacareí) e TV Cidade Jacareí canal 9 da televisão a cabo NET.

Jacareí possui biblioteca, museus, parques, o famoso evento anual "Fapija" e muitas outras atrações.

Estrutura urbana[editar | editar código-fonte]

Comunicações[editar | editar código-fonte]

A cidade foi atendida pela Telefônica Jacareí até 1973, quando passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP), que transferiu a concessão para a Companhia Telefônica da Borda do Campo (CTBC)[10]. Em 1979 a cidade volta a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[11], até que em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica[12]. Em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[13] para suas operações de telefonia fixa.

Transporte[editar | editar código-fonte]

Jacareí tem como empresa responsável pelo transporte coletivo a Jacareí Transporte Urbano[14] e conta com as seguintes linhas de ônibus:[15]

  • 01- Vila Branca
  • 02 - Campo Grande (via Jardim do Vale)
  • 03 -Parque Meia Lua
  • 05 - Cidade Salvador
  • 06 - Parque Califórnia
  • 07 - Conjunto 1 de Maio - Igarapés
  • 08 - Parque Santo Antônio
  • 09 - Jardim Emília
  • 10 - Parque Imperial - Jardim Pedramar
  • 11 - Rio Comprido - Balneário Paraíba
  • 13 - Jardim Maria Amélia
  • 15 - Bandeira Branca
  • 16 - Veraneio Ijal - Irajá
  • 18 - Jardim Paraíso - Rio Abaixo
  • 19 - Vila Garcia - Conjunto São Benedito
  • 21 - Jardim Panorama - Sto Antônio Boa Vista
  • 22 - Pagador Andrade - Balneário Paraíba
  • 23 - Jardim Luíza - Nova Jacareí
  • 26 - Jardim do Portal
  • 27 - Conjunto 22 de Abril
  • 28 - Jardim Santa Marina
  • 29 - Jardim Novo Amanhecer
  • 81 - Remedio
  • 82 - Parateí
  • 83 - Recanto dos Pássaros
  • 84 - Figueira

Infraestrutura de saneamento básico[editar | editar código-fonte]

  • Rede de água: 99,6%
  • Rede coletora de esgoto: 89%

Limites[editar | editar código-fonte]

Sudeste: Santa Branca

Sul: Guararema

Norte: São José dos Campos

Leste: Jambeiro

Oeste: Igaratá e Santa Isabel

Saúde[editar | editar código-fonte]

Hospitais e clínicas: Valecor (especialidade em doenças do coração), Hospital São Francisco, Hospital Policlin, Hospital Alvorada, Hospital Antônio Afonso (24 horas), Unimed (pronto atendimento) e Santa Casa de Misericórdia.

O desenvolvimento em Jacareí inclui a melhoria da qualidade de vida da população, contando com um dos menores índices de mortalidade infantil do estado de São Paulo, um moderno laboratório de análises clínicas e está construindo uma nova e ampla unidade de especialidades para melhorar ainda mais a qualidade dos serviços do setor. Além disso, a cidade investe na saúde da população por meio do Programa Saúde em Casa, entre outras ações.

Lazer[editar | editar código-fonte]

Um ponto de lazer e esporte é o Parque da Cidade, o local possui quadra de tênis, quadras de Futebol de Salão e Poliesportivas, possui também pista de caminhada e aparelhos de ginástica, palco para apresentações artísticas, recinto para exposições, ciclovia e um amplo estacionamento. Para garantir a segurança dos visitantes, o Parque conta com sistema de monitoramento por câmera. Possui também sinal gratuito de internet banda larga. Foram construídos vários jardins e plantadas cerca de 100 espécies de árvores, entre palmeira-imperial, pau-brasil e pau-ferro, na área interna. A parte externa do Parque recebeu mudas de ipê e aroeira-salsa.

Espaço Educamais Parque Santo Antônio

Existem pela cidade vários pontos de esporte, lazer e cultura. O mais novo investimento da cidade são os Espaços Educamais. Estes espaços foram criados para atender diversas regiões da cidade conta com locais para a prática de esportes e ambientes para cursos e eventos. Na cidade, existem, hoje, 4 Espaços Educamais abertos ao público: os espaços Santo Antônio, Jardim Paraíso, Centro e Lamartine. Outros 3 estão sendo construídos: são os espaços São João, Esperança e Parque dos Sinos. Este último, um projeto arquitetônico do renomado arquiteto Ruy Ohtake.[16][17]

O Espaço Jardim Liberdade e outras praças de esportes localizadas no interior dos bairros são outros locais frequentados por quem quer praticar esporte. O Espaço Jardim Liberdade possui quadra de areia, onde podem-se disputar partidas de vôlei de praia e futebol de areia, uma pista de skate vertical (halfpipe) e, também, uma pista de caminhada e aparelhos de ginástica.

A cidade também possui vários campos de futebol society, tendo dois deles uma área para a prática do paintball.

Para quem não busca a prática de esportes, mas somente o lazer, Jacareí possui o Shopping Center Jacareí, que possui 6 salas de cinema e grande praça de alimentação. Existe, na cidade, um museu de antropologia, a Biblioteca Municipal Macedo Soares e diversos eventos realizados pela Fundação Cultural de Jacarehy.


Mídia[editar | editar código-fonte]

Jacareí é a sede da Rede Novo Tempo de Comunicação ou RNTC, que é um conglomerado de mídia pertencente à Organização Mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Na cidade encontram-se a TV Novo Tempo, a Gravadora Novo Tempo e a Rádio Novo Tempo. A localização dos estúdios fica às margens da SP-66, na Rodovia Henrique Eroles. A rede atende todas as emissoras adventistas da América do Sul, em português e também em espanhol.[18]

A cidade também abriga a TV Câmara Jacareí, canal de televisão legislativo brasileiro pertencente à Câmara Municipal de Jacareí. A TV Câmara Jacareí é transmitida em sinal aberto, 24 horas por dia, no canal 39.2 UHF e no canal 12 da NET. Sua abrangência se dá no município de Jacareí e em algumas regiões de São José dos Campos. Hoje é considerada referência de termos de TV legislativa em todo o país.[19]

Jacareí também tem veículos de mídia impressa com sede na cidade sendo eles: o Diário de Jacareí e o Semanário de Jacareí. Na internet há os portais: Nossa Jacareí, Jornal de Jacareí, Semanário Online e Diário de Jacareí Online. No rádio, Jacareí conta com a Rádio Mensagem[20], que ocupou o espaço da antiga Rádio Clube. Além dela, Jacareí também teve a rádio 8 fm.

Em questão de rádio, Jacareí tem uma vasta história com grandes radialistas como Jota Pereira[21], Angelo Ananias[22], José Carlos Guedes[23], Loureiro Júnior[24], Darcy Reis[25], entre outros. Essas duas últimas figuras citadas: Loureiro Júnior e Darcy Reis tiveram papel fundamental na ida de Galvão Bueno para a TV Bandeirantes, no Rio de Janeiro, no fim dos anos 70.[26]

Cultura[editar | editar código-fonte]

A cultura em Jacareí até a primeira metade do século XIX era o próprio fazer cotidiano dos indígenas, dos negros africanos e europeus radicados aqui e dos descendentes desses grupos, resultando em uma ampla diversidade cultural (no campo da musicalidade, da religião, do vestuário, da culinária, da linguística, do trabalho etc.).

A partir do apogeu do período cafeeiro às primeiras décadas do século XX, foram sendo criados equipamentos e veículos culturais em Jacareí, como teatro, jornais, cinemas, rádio e reafirmadas as festividades religiosas. Essa promoção cultural teve, como característica, o seu vínculo com famílias jacareienses e a Igreja Católica.

Na década de 1960, criou-se o Conselho Municipal de Cultura Artística com o objetivo de fomentar as ações culturais do município. Na década seguinte, o Departamento de Educação e Cultura promoveu vários eventos, dentre eles o Festival de Música Popular (FEMPO), que havia sido criado na Escola Francisco Gomes da Silva Prado.

No final da década de 1970, houve uma preocupação com o patrimônio cultural da cidade, que resultou na criação do Museu de Antropologia do Vale do Paraíba (MAV). Na década de 1980, a Fundação Cultural foi criada, voltando-se durante dez anos para os trabalhos de recuperação do edifício Solar Gomes Leitão (sede do MAV), formação do acervo do museu e exposições.

Até 1993, as atividades referentes às modalidades artísticas estavam sob responsabilidade do Departamento de Cultura, vinculado à Secretaria de Educação e Cultura. Desde então, a Fundação Cultural de Jacarehy José Maria de Abreu passou a ser o principal agente articulador da cultura local, organizando também o Carnaval da cidade e a Festa do Bolinho Caipira.

Diversos grupos e eventos artísticos culturais atuam na cidade. O teatro conta com dezenas de companhias. Na música havia o Som de Garagem, o Encontro de Violas, e a Batalha nos Trilhos nos anos 2010. No cinema, desde 2007 a cidade conta com o Cineclube Jacareí, que exibe e produz, além de organizar a premiação do Corvo de Gesso, funcionando como um ponto de encontro dos produtores e cineastas da região.

Primeiro Casamento Homoafetivo do Brasil[editar | editar código-fonte]

Jacareí foi a primeira cidade do Brasil a realizar casamento civil entre pessoas do mesmo sexo, o evento aconteceu no dia 28 de junho de 2011, no 1º Cartório de Registro Civil de Jacareí.

O evento só foi possível graças a decisão do juiz Fernando Henrique pinto da 2º Vara da Família de Jacareí, cujo favorecia a conversão da união estável do casal em casamento, esta realizada no dia 17 de maio do mesmo ano.[27]

Industrialização[editar | editar código-fonte]

Com o fim iminente do café na região do Vale do Paraíba, fato este que viria a inspirar a obra “Cidades Mortas” de Monteiro Lobato, uma alternativa econômica era necessária de ser encontrada. Jacareí no final do século XIX para o começo do século XX investe, procurando uma alternativa ao café investe em sua industrialização, onde futuramente seria conhecida por sua produção têxtil e de artigos alimentícios.

O investimento no setor industrial faz com que Jacareí seja a primeira cidade do Vale do Paraíba a ter energia elétrica e a sétima do Brasil. Quem oferecia esse recurso para a cidade era a empresa “Companhia Luz Electrica Jacarehyense, fundada em 25 de agosto de 1895. O inicio do século XX se mostrou prospero, apesar da crise de 1906 de superprodução de café, a industrialização regional crescia, e Jacareí não era afetada pelas greves da capital.

Em 1909 devido ao grande crescimento da indústria, é construída uma nova hidroelétrica pelo Major José Bonifácio, sendo inaugurado no ano seguindo com o nome de “Usina do Putim”, com uma capacidade de geração de 560 Kwatts. No ano de 1919 a companhia canadense “Light & Power” comprou os meios de produção de energia em Jacareí.

Dentre as empresas pioneiras no setor industrial em Jacareí estão as “Meias Filhinha”, “Fabrica de Tintas Castelo”, “Tapetes Santa Helena”, “Lavalpa”, “Biscoutos Jacareí” , entre outros.[28]

Esportes[editar | editar código-fonte]

Basquetebol[editar | editar código-fonte]

Jacareí tem uma grande tradição no basquetebol. O time que representa a cidade nesta modalidade é o Jacareí Basketball. Com a lei de incentivo fiscal, empresas da cidade como a Fíbria, a JTU e a Ativia tornaram-se os principais patrocinadores das equipes masculinas e femininas da cidade estampando seus logos nas camisas do time. Além disso, as equipes contam com grande investimento da prefeitura do município, que cede o espaço Educamais Centro para as partidas da equipe.

O propósito é de voltar aos velhos tempos, em que a cidade era nome significativo no basquetebol estadual.[29] Os times atingem a faixa etária a partir dos dezoito anos, almejando campeonatos oficiais como:

  • Equipe Masculina - Torneio Novo Milênio (F.P.B.), Campeonato Paulista Série A1, Jogos Regionais e Jogos Abertos do Interior.
  • Equipe Feminina - Jogos Regionais e Jogos Abertos do Interior.

Bicicross[editar | editar código-fonte]

Pista de Bicicross Luciano Bruni

Jacareí possui uma boa tradição também quanto ao bicicross, com o Jacareí Bicicross Clube, que treina na Pista Luciano Bruni localizada ao lado do Espaço Educamais Parque Santo Antônio.

Rugby[editar | editar código-fonte]

Fundado em 2003, o Jacareí Rugby é a equipe que representa Jacareí nas competições de rugby sevens e rugby union. Tendo iniciado as competições pelas equipes de base, especialmente na modalidade de sevens, o Jacareí Rugby já conquistou os títulos nacionais do Brasil Sevens categorias M16 (menores de 16 anos de idade), em 2012, e o M18 em 2011, e o título estadual do Campeonato Paulista de Rugby Union M16 (2012).[30]

O ano de 2013 foi o primeiro em que Jacareí competiu com a equipe adulta masculina. Logo em seu primeiro ano na Série B do Campeonato Paulista, Jacareí conquistou o título e o acesso à primeira divisão estadual. Em 2014, Jacareí disputou o a Taça Tupi e sagrou-se campeã do torneio garantindo assim uma vaga na elite do rúgbi brasileiro em 2015. Sem muito sucesso, os jacarés foram rebaixados novamente para o Campeonato Brasileiro da Série B. Em 2016, voltaram a conquistar a Taça Tupi e retornaram à elite nacional.

Em 2017, Jacareí teve uma temporada mágica. A equipe chegou à final do Campeonato Paulista de Rugby, mas ficou com o vice-campeonato estadual. Entretanto, conquistou os títulos do Brasileiro de 7's[31] e do Campeonato Brasileiro Série A[32], ou Super 8. A conquista do Brasileiro de Sevens aconteceu sobre o Desterro, de Santa Catarina. Já o Super 8 teve sua final disputada em Blumenau (SC) contra o Farrapos[33], do Rio Grande do Sul.

Em 2019, o Jacarei Rugby venceu novamente o Campeonato Brasileiro de 7's[34].

Equipe do Jacareí Rugby campeã brasileira em 2017

Futebol[editar | editar código-fonte]

Jacareí possui um time profissional de futebol, o Jacareí Atlético Clube, chamado carinhosamente por seus torcedores de JAC, que disputa a Série B do Campeonato Paulista.

No futebol de salão, o time Jacareí Futsal/SER/Fademp[35] disputa o Campeonato Metropolitano de Futebol de Salão Série A2 e o Campeonato Paulista de Futebol de Salão Série A1.[36]

As principais equipes da cidade são:

Clube Esporte Estádio / Ginásio Fundação
Jacareí Atlético Clube Futebol Estádio Stavros Papadopoulos 1980
Jacareí Basketball Basquete Educamais Centro 2010
Jacareí Rugby Rugby Campo do Balneário Parahyba 2003
Jacareí Futsal Futsal Educamais Paraíso

Relações Internacionais[editar | editar código-fonte]

Cidades-irmãs[editar | editar código-fonte]

Jacareí tem oficialmente a seguinte cidade-irmã:

Jacareienses ilustres[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «O recorte das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias de 2017» (PDF). Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2017. p. 20–34. Consultado em 10 de agosto de 2017 
  2. a b «Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista». Emsampa.com.br. Consultado em 24 de janeiro de 2011 
  3. a b «Estimativa populacional 2018 IBGE». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de agosto de 2018. Consultado em 16 de setembro de 2018 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 3 de agosto de 2013 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2010 a 2013». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de abril de 2016 [ligação inativa]
  6. «Municípios e Distritos do Estado de São Paulo» (PDF). IGC - Instituto Geográfico e Cartográfico 
  7. «Divisão Territorial do Brasil». IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 
  8. NAVARRO, E. A. Método moderno de tupi antigo: a língua do Brasil dos primeiros séculos. Terceira edição revista e aperfeiçoada. São Paulo. Global. 2005.
  9. a b «Clima dos Municípios Paulistas_Jacareí». Cepagri Unicamp. Consultado em 12 de abril de 2014 
  10. «CTBC - Relatório Anual de 1975» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  11. «CTBC - Relatório Anual de 1979». Acervo Folha de São Paulo 
  12. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  13. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 
  14. «Jacareí Transporte Urbano». Jtu.com.br 
  15. «Itinerários do Transporte Urbano». Jtu.com.br. Consultado em 21 de junho de 2010 
  16. «Projeto Educamais Parque dos Sinos assinado por Ruy Ohtake». Jacarei.sp.gov.br. Consultado em 29 de julho de 2011 [ligação inativa]
  17. «Projeto Educamais». Jacarei.sp.gov.br. Consultado em 29 de julho de 2011 
  18. «Entenda a Rede Novo Tempo de Comunicação». Comunicação. Consultado em 22 de maio de 2019 
  19. «Câmara comemora aniversários de 70 anos de legislativo e 10 anos de TV Câmara – Jornal Joseense News». Consultado em 22 de maio de 2019 
  20. «Jacareí na Imprensa - Blog de Jacareí». Consultado em 22 de maio de 2019 
  21. «Morre o "Jota da Oito"». NJ. 14 de agosto de 2011. Consultado em 22 de maio de 2019 
  22. «Angelo Ananias - Que fim levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 22 de maio de 2019 
  23. «José Carlos Guedes - Que fim levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 22 de maio de 2019 
  24. «Loureiro Júnior - Que fim levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 22 de maio de 2019 
  25. «Darcy Reis - Que fim levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 22 de maio de 2019 
  26. Bueno, Galvão; Ostrovsky, Ingo (9 de abril de 2015). Fala, Galvão!. [S.l.]: Globo Livros. ISBN 9788525060822 
  27. https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2011/06/28/primeiro-casamento-civil-gay-do-brasil-acontece-hoje-em-jacarei-sp.htm
  28. Zenzen, Conceição Aparecida de Oliveira. "A energia elétrica em Jacareí (1895 - 1928). São José dos Campos: UNIVAP, 2000.
  29. «Jacareí Basketball resgata a tradição do esporte na cidade». Lancenet.com.br. 5 de outubro de 2011. Consultado em 6 de outubro de 2013 
  30. «Portal do Rugby» [ligação inativa] (Nem tão) Anônimos do Rugby: Jacareí Rugby. Acessado em 4/3/2013.
  31. Fünf. «Pela primeira vez na história, Jacareí é campeão do Super Sevens Masculino de Rugby - Rugby - Notícias - Funf Sports». Funf Sports. Consultado em 23 de março de 2018. Arquivado do original em 23 de março de 2018 
  32. «Em final épica, Jacareí é campeão brasileiro pela primeira vez! | Portal do Rugby». www.portaldorugby.com.br. Consultado em 23 de março de 2018 
  33. «No apagar das luzes, Jacareí Rugby bate Farrapos (RS) e conquista título do Super 8 – Valendo Esportes». valendoesportes.com.br. Consultado em 23 de março de 2018 
  34. «Jacareí Rugby conquista o bicampeonato brasileiro de sevens». Olimpíada Todo Dia. 25 de fevereiro de 2019. Consultado em 25 de fevereiro de 2019 
  35. «Jacarei Futsal». Jacareifutsal.com. Consultado em 15 de maio de 2010 
  36. «Federação Paulista de Futsal». Futsal.com.br. 18 de abril de 2010. Consultado em 18 de abril de 2010 
  37. «LEI Nº. 1800, DE 11 DE AGOSTO DE 1977». Consultado em 12 de janeiro de 2017 
  38. «LEI Nº. 1800» (PDF). Câmara Municipal de Jacareí. Consultado em 12 de janeiro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Jacareí