Paraibuna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Paraibuna (desambiguação).
Paraibuna
  Município do Brasil  
Represa de Paraibuna
Represa de Paraibuna
Símbolos
Bandeira de Paraibuna
Bandeira
Brasão de armas de Paraibuna
Brasão de armas
Hino
Lema Super Flumina
"Sobre as águas"
Gentílico paraibunense
Localização
Localização de Paraibuna em São Paulo
Localização de Paraibuna em São Paulo
Paraibuna está localizado em: Brasil
Paraibuna
Localização de Paraibuna no Brasil
Mapa de Paraibuna
Coordenadas 23° 23' 09" S 45° 39' 43" O
País Brasil
Unidade federativa São Paulo
Região intermediária[1] São José dos Campos
Região imediata[1] São José dos Campos
Região metropolitana Vale do Paraíba e Litoral Norte
Municípios limítrofes Jambeiro, Redenção da Serra, Natividade da Serra, Caraguatatuba, Salesópolis e Santa Branca.
Distância até a capital 125 km[2]
História
Fundação 13 de junho de 1666 (353 anos)
Aniversário 13 de junho
Administração
Prefeito(a) Victor de Cássio Miranda (PSDB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [3] 809,576 km²
População total (Estimativa IBGE/2019[3]) 18 222 hab.
Densidade 22,5 hab./km²
Clima subtropical (Cfb)
Altitude 635 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2000[4]) 0,771 alto
PIB (IBGE/2008[5]) R$ 132 645,402 mil
PIB per capita (IBGE/2008[5]) R$ 7 866,06

Paraibuna é um município brasileiro do estado de São Paulo, na microrregião de Paraibuna/Paraitinga. Localiza-se a uma latitude 23º23'10" sul e a uma longitude 45º39'44" oeste, estando a uma altitude de 635 metros. Sua população estimada em 2019 era de 18 222 habitantes.

Sua fundação ocorre em 1666, quando os primeiros ocupantes ali chegaram. Mas suas origens não param aí… O hoje conhecido município de Paraibuna tem suas origens ligadas à ocupação dos bandeirantes, ocorrida no século XVII. Vale também ressaltar, que boa parte de sua formação histórica está ligada à primeira sesmaria doada em suas terras, no ano de 1773, ocasião em que fora então fundada pelo governador de São Luiz do Paraitinga, Manuel Antônio de Carvalho. Este Governador passou, então, a controlar os dois núcleos (São Luiz do Paraitinga e Paraibuna), de forma que o núcleo recebe o título de vila em 1832, com o nome de "Santo Antônio da Paraibuna" e, em 1857 já era cidade.

Décadas após, Paraibuna começa a se desenvolver na metade do século XIX, com a cultura de café. Posteriormente, Paraibuna assistiu a construção das barragens da CESP (Companhia Energética de São Paulo.

Hoje, a cidade busca novas possibilidades com o uso da Represa de Paraibuna para atividades recreativas e educacionais, em especial educação e conscientização ambiental, tais como atividades de Turismo Rural, Ecológico, Náutico, Gastronômico e Histórico.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Os municípios limítrofes são Jambeiro a norte, Redenção da Serra a nordeste, Natividade da Serra a leste, Caraguatatuba a sul, Salesópolis a sudoeste e Santa Branca a oeste.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2000 População total: 17.009

  • Urbana: 5.295
  • Rural: 11.714
  • Homens: 8.703
  • Mulheres: 8.306

Densidade demográfica (hab./km²): 21,00 Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 15,31 Expectativa de vida (anos): 71,52 Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,33 Taxa de alfabetização: 86,66% Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,771

  • IDH-M Renda: 0,692
  • IDH-M Longevidade: 0,775
  • IDH-M Educação: 0,846

(Fonte: IPEADATA)

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Pela cidade destacam-se três rios:

Chega do município de Cunha, o rio Paraibuna e, do município de Areias, o rio Paraitinga que deságua no rio Paraibuna e juntos combinam suas águas para formar o rio Paraíba do Sul, um dos mais importantes da Região Sudeste do Brasil.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Comunicações[editar | editar código-fonte]

A cidade era atendida pela Companhia de Telecomunicações do Estado de São Paulo (COTESP), que construiu em 1971 a central telefônica que é utilizada até os dias atuais. Em 1975 passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[6], até que em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica. Em 2012 a empresa adotou a marca Vivo para suas operações de telefonia fixa[7][8][9][10].

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  2. «Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista». Consultado em 24 de janeiro de 2011 
  3. a b «Estimativa populacional 2010». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Julho de 2019 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  7. «Telesp vai servir mais 86 cidades do estado». Acervo Folha de São Paulo 
  8. «Patrimônio da COTESP incorporado pela TELESP» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  9. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  10. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]