Esperança de vida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Expectativa de vida)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Esperança de vida, esperança de vida à nascença, esperança de vida ao nascer ou expectativa de vida é o número aproximado de anos que um grupo de indivíduos nascidos no mesmo ano irá viver, se mantidas as mesmas condições desde o seu nascimento. Em outras palavras, a expectativa de vida é uma medida estatística da média de tempo de vida de um organismo, com base no ano de seu nascimento, sua idade atual e outros fatores demográficos, incluindo sexo.[1] A expectativa de vida da população de uma determinada área, em um determinado ano, corresponde à média ponderada das idades das pessoas do lugar que morreram naquele ano.

A expectativa de vida é também um indicador de qualidade de vida de um país, região ou localidade. Pode também ser utilizada para aferir o retorno de investimentos feitos na melhoria das condições de vida e para compor vários índices, tais como o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

A esperança de vida ao nascer pode ser estratificada segundo a classe de renda, o acesso a serviços de saúde, saneamento, educação, cultura e lazer, bem como os índices de violência, criminalidade e poluição do local onde vive a população. Desta forma, é possível calcular diferenças na expectativa de vida de determinados setores da população (por exemplo, entre ricos e pobres). Esta é uma medida prática para analisar os níveis de equidade em saúde da área em questão.

Padrões humanos[editar | editar código-fonte]

Máximo[editar | editar código-fonte]

Registros de expectativa de vida humana acima de 100 anos são altamente suscetíveis a erros.[2] Por exemplo, a idade confirmada mais antiga para todos os seres humanos é de 122 anos, alcançada por Jeanne Calment, que viveu entre 1875 e 1997, embora mesmo esse período seja contestado com base em evidências que sugerem que a morte de sua filha Yvonne em 1934 pode ter sido de fato a morte de Jeanne, e Yvonne assumiu a identidade de sua mãe.[3]

Os cientistas distinguiram caminhos celulares sinérgicos da longevidade que intensificam a expectativa de vida em C. elegans, um nematóide utilizado como modelo em pesquisas de envelhecimento. O estudo sugere que o aumento da vida útil seria equivalente à vida humana por 400 ou 500 anos.[4]

No Brasil[editar | editar código-fonte]

Mapa brasileiro da esperança de vida (2015).
  78+
  76+
  74+
  72+
  70+
  68+

Segundo dados do IBGE, no Brasil em 2017 a expectativa de vida ao nascer era de 76 anos, um aumento de 30,5 anos em relação a 1940 e de 2,1 anos em relação ao ano de 2010[5]

  1. S. Shryok, J. S. Siegel et al. The Methods and Materials of Demography. Washington, DC, US Bureau of the Census, 1973
  2. Newman, Saul Justin (20 de dezembro de 2018). «Errors as a primary cause of late-life mortality deceleration and plateaus». PLOS Biology (em inglês). 16 (12): e2006776. ISSN 1545-7885. PMC 6301557Acessível livremente Verifique |pmc= (ajuda). PMID 30571676 Verifique |pmid= (ajuda). doi:10.1371/journal.pbio.2006776 
  3. Zak, Nikolay (30 January 2019). «Evidence that Jeanne Calment died in 1934, not 1997». Rejuvenation Research. 22: 3–12. PMC 6424156Acessível livremente Verifique |pmc= (ajuda). PMID 30696353 Verifique |pmid= (ajuda). doi:10.1089/rej.2018.2167  Verifique data em: |data= (ajuda)
  4. «Scientists may have cracked a cellular secret to living a longer life». Tech Explorist (em inglês). 11 de janeiro de 2020. Consultado em 13 de janeiro de 2020 
  5. «Tábuas Completas de Mortalidade | Estatísticas | IBGE». www.ibge.gov.br. Consultado em 28 de fevereiro de 2019 

Portugal[editar | editar código-fonte]

No período 2015-2017, a esperança de vida à nascença foi estimada em 80,8 anos para o total da população, sendo 77,7 anos para os homens e 83,4 anos para as mulheres. No periodo de uma década verificou-se um aumento de 2,3 anos de vida para o total da população (2,6 anos para os homens e 1,8 anos para as mulheres). Nas mulheres esse aumento resultou essencialmente da redução na mortalidade em idades iguais ou superiores a 60 anos, nos homens esse aumento continua a ser fundamentalmente da redução da mortalidade em idades inferiores a 60 anos, embora a contribuição da redução na mortalidade nas idades mais avançadas tenha vindo a ganhar importância. A esperança de vida aos 65 anos atingiu 19,5 anos para o total da população. Aos 65 anos os homens podem esperar viver, em média, mais 17,6 anos e as mulheres mais 20,8 anos, o que representa ganhos de 1,4 anos e de 1,3 anos, respectivamente, na última década.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Esperança de vida
Ícone de esboço Este artigo sobre demografia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.