População economicamente ativa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A População Economicamente Ativa (PEA) é muito analisada em estudos sobre mercado de trabalho, emprego e rendimento e um importante componente da Taxa de Atividade e da Taxa de desemprego.

Definição geral[editar | editar código-fonte]

A PEA é formada pela parcela da População em Idade Ativa (PIA) que foram classificadas como pessoas ocupadas ou desocupadas no âmbito de uma determinada pesquisa (Censo, Pesquisa domiciliar, etc).

Nesse sentido "Pessoas ocupadas" são as pessoas que exerceram trabalho, remunerado ou sem remuneração, ou que tinham trabalho remunerado do qual estavam temporariamente afastadas; e "Pessoas desocupadas" são aquelas sem trabalho, mas que estavam disponíveis para assumir um trabalho e que tomaram alguma providência efetiva para conseguir trabalho.[1]

Dessa forma têm-se que:



Sendo PEA a População Economicamente Ativa, PO a População Ocupada e PD a População Desocupada.

Conceitos[editar | editar código-fonte]

    • População Ocupada: aquelas pessoas que trabalham, incluindo:
      • Empregados - pessoas que trabalham para um empregador ou mais, cumprindo uma jornada de trabalho, recebendo em contrapartida uma remuneração em dinheiro ou outra forma de pagamento (moradia, alimentação, vestuário, etc.). Incluem-se entre as pessoas empregadas aquelas que prestam serviço militar obrigatório e os clérigos. Os empregados são classificados segundo a existência ou não de carteira de trabalho assinada.
      • Conta Própria - aqueles que exploram uma atividade econômica ou exercem uma profissão ou ofício e não têm empregados.
      • Empregadores - aqueles que exploram uma atividade econômica ou exercem uma profissão ou ofício, com um ou mais empregados.
      • Não Remunerados - pessoas que exercem uma ocupação econômica, sem remuneração, pelo menos 15 horas na semana, ajudando a um membro da unidade domiciliar em sua atividade econômica, ou ajudando a instituições religiosas, beneficentes ou cooperativas, ou, ainda, como aprendiz ou estagiário.
    • População Desocupada: pessoas que não têm trabalho, mas estão dispostas a trabalhar, e que, para isso, tomam alguma providência efetiva (consultando pessoas, jornais, etc.).
  • População não Economicamente Ativa (PNEA) ou População Economicamente Inativa (PEI): são as pessoas não classificadas como ocupadas ou desocupadas, ou seja, pessoas incapacitadas para o trabalho ou que desistiram de buscar trabalho ou não querem mesmo trabalhar. Inclui os incapacitados, os estudantes e as pessoas que cuidam de afazeres domésticos.[2] Inclui também os "desalentados" - pessoas em idade ativa que já não buscam trabalho, uma vez que já o fizeram e não obtiveram sucesso. O IBGE considera desalentado aquele que está desempregado e há mais de um mês não busca emprego.

Taxa de Atividade[editar | editar código-fonte]

A Taxa de Atividade é medida em percentual (%) e calcula-se dividindo-se a População Economicamente Ativa (PEA) pela População em Idade Ativa (PIA), multiplicado por 100.[3]

Assim:



Sendo, PEA a População Economicamente Ativa e PIA a População em Idade Ativa.

Referências

  1. IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua: Notas Metodológicas. Vol. 1. Rio de Janeiro: IBGE, 2014. Acesso em 9 de julho de 2015.
  2. Bruschini, M. "Trabalho e gênero no Brasil nos últimos dez anos". Cadernos de Pesquisa vol.37 no.132 São Paulo Sept./Dec. 2007 ISSN 0100-1574
  3. IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Taxa de atividade - População de 10 anos ou mais de idade. Séries Históricas e Estatísticas. Acesso em 9 de julho de 2015.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]