São Sebastião (São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outras localidades com este nome, veja São Sebastião (desambiguação).
Estância Balneária de São Sebastião
  Município do Brasil  
Praia de Maresias, na costa sul do município
Praia de Maresias, na costa sul do município
Símbolos
Bandeira de Estância Balneária de São Sebastião
Bandeira
Brasão de armas de Estância Balneária de São Sebastião
Brasão de armas
Hino
Lema Pavlistarvm Vigilarivs
"Vigiado por Paulistas - Sob Vigilância dos Paulistas"
Gentílico sebastianense
Localização
Localização da Estância Balneária de São Sebastião em São Paulo
Localização da Estância Balneária de São Sebastião em São Paulo
Mapa da Estância Balneária de São Sebastião
Coordenadas 23° 45' 36" S 45° 24' 36" O
País Brasil
Unidade federativa São Paulo
Região intermediária[1] São José dos Campos
Região imediata[1] Caraguatatuba-Ubatuba-São Sebastião
Região metropolitana Vale do Paraíba e Litoral Norte
Municípios limítrofes Caraguatatuba, Bertioga, Salesópolis e Ilhabela (Ilha de São Sebastião).
Distância até a capital 197 km[2]
História
Fundação 16 de março de 1636 (384 anos) (elevação à categoria de vila)
Emancipação 20 de abril de 1875 (145 anos)
Aniversário 16 de março
Administração
Prefeito(a) Felipe Augusto (PSDB, 2017 – 2020)
Características geográficas
Área total [3] 402,395 km²
População total (IBGE - Estimativa 2019) [3] 88 980 hab.
 • Posição SP: 91.º
Densidade 221,1 hab./km²
Clima Subtropical úmido (Cfa)
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
Indicadores
IDH (PNUD/2010[4]) 0,772 alto
PIB (IBGE/2011) R$ 2.892.006 mil
PIB per capita (IBGE/2015) R$ 44 470,05

São Sebastião é um município do estado de São Paulo, localizado na microrregião de Caraguatatuba. Sua população foi estimada no ano de 2019 em 88 980 habitantes. A área total do município é de 402,395 km².[3] O município é formado pela sede e pelos distritos de Maresias e São Francisco da Praia[5][6].

Estância balneária[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Estância turística (São Paulo)

São Sebastião é um dos 15 municípios paulistas considerados estâncias balneárias pelo Estado de São Paulo, por cumprir determinados pré-requisitos definidos por lei estadual. Tal status garante a esses municípios uma verba maior por parte do Estado para a promoção do turismo regional. Também, o município adquire o direito de agregar a seu nome o título de Estância Balneária, termo pelo qual passa a ser designado tanto pelo expediente municipal oficial quanto pelas referências estaduais.

História[editar | editar código-fonte]

É a cidade mais antiga do litoral norte. Antes da colonização portuguesa, a região de São Sebastião era ocupada por índios Tupinambás e Tupiniquins, sendo a serra de Boiçucanga uma divisa natural das terras das tribos.

A ocupação portuguesa ocorre com o início da História do Brasil, após a divisão do território em Capitanias Hereditárias. Em 1608, aproximadamente, João de Abreu e Diogo de Unhate alegando "estarem na Capitania há muitas décadas, serem casados, terem filhos e terem ajudado às suas custas, nas guerras contra franceses, ingleses e índios inimigos" obtiveram sesmaria em São Sebastião sendo eles os sesmeiros que iniciaram a povoação com agricultura, pesca e alguns engenhos de madeira de cana-de-açúcar sendo, pois, os responsáveis pelo desenvolvimento econômico e a caracterização como núcleo habitacional e político. Isto possibilitou a elevação do povoado à categoria de vila em 16 de março de 1636 e a emancipação político-administrativa (elevação à categoria de cidade) em 20 de abril de 1875.[7]

Até hoje, a cidade ainda carece de sistemas de saneamento básico em alguns bairros.[8] Em novembro de 2010, menos da metade do esgoto produzido na cidade recebia tratamento adequado.[9] Contudo, após um projeto do governo do estado de São Paulo chamado "Onda Limpa", a porcentagem de casas com esgoto subiu para 94%, em janeiro de 2012.[10]

Além disso, a moradia irregular se tornou outro problema grave, pois muitas casas são construídas em áreas de Mata Atlântica que, além de serem protegidas, são sujeitas a deslizamentos de terra.[11]

Outro problema atual é a subida do nível do mar, que pode afetar diversas praias e prédios localizados na costa da cidade.[12]

Em março de 2012, o então vice-prefeito da cidade, Wagner Teixeira (PV) foi pego pescando ilegalmente, próximo à Ilha do Paredão, no Arquipélago de Alcatrazes.[13] Ele estava em seu barco pessoal com outros cinco homens, e não parou até ficar sem combustível, mesmo com a guarda costeira em seu encalço e com as sirenes ligadas.[13] Ele carregava 116 kg de peixes, incluindo espécies ameaçadas, e afirmou que não sabia da proibição da pesca na área.[13] Em entrevista posterior ao incidente, o político se defendeu dizendo que o combustível acabou somente quando já havia concordado em seguir para o continente acompanhado dos fiscais.[14] Disse também que não sabia que a área era protegida e que sempre lutou justamente pela preservação do arquipélago.[14]

O Porto de São Sebastião receberá vários investimentos nos próximos anos para que aumente sua capacidade de operação. A reforma deve durar até 2035,[15] caso seja liberada por parte da Secretaria do Meio Ambiente, pois a obra foi embargada em 2015 pelo impacto ambiental e extinção do Mangue do Araçá [6] O número de empregados no porto deve aumentar dos atuais 450 para 4500, sendo que dois terços deles devem ser mão-de-obra local.[15] Outra melhoria prevista para a região (esperada para 2016) é a duplicação da Rodovia dos Tamoios, que liga São José dos Campos ao município vizinho de Caraguatatuba e é o principal caminho em direção ao município para pessoas vindo de São Paulo e várias outras cidades.[15]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Seus limites são Caraguatatuba a Norte, o Oceano Atlântico a Leste, Bertioga a Sul e Salesópolis a Noroeste.

A Ilha de São Sebastião, cujo território corresponde ao do município de Ilhabela, fica defronte à costa leste de São Sebastião. Nessa costa é que se localiza o centro comercial da cidade. Por entre a cidade e a ilha está o canal de São Sebastião, que tem em sua largura mínima apenas 3 km, onde a travessia pode ser feita pela Travessia São Sebastião-Ilhabela de balsas.

No canal fica o porto de São Sebastião e o oleoduto da maior unidade da Transpetro (a subsidiária da Petrobras responsável pelo transporte de petróleo e demais combustíveis), responsável por 80% do combustível exportado pelo país. Já a costa sul conta com praias de turismo, como Toque-Toque, Maresias, Boiçucanga e Barra do Saí.

Praticamente tudo na cidade está localizado nas estreitas áreas planas entre o mar e as montanhas, exceto por torres de telefonia celular e torres de transmissão elétrica. Na porção central da cidade, essas áreas não chegam a mais do que 3 km de largura, mas podem chegar ao dobro nas regiões menos povoadas à oeste. A maior parte da cidade se concentra entre a Praia da Enseada (a última antes de Caraguatatuba) e a Praia de Guaecá. De Toque-Toque à Boraceia (a última antes de Bertioga), há muitos hotéis, casas de veraneio e casas noturnas. O Rio Guaratuba faz a fronteira com Bertioga, enquanto que o Rio Juqueriquerê faz a fronteira com Caraguatatuba.

Três distritos formam o município: Distrito de São Sebastião, Distrito de São Francisco da Praia e Distrito de Maresias.

A cidade possui um clima oceânico, com uma temperatura média anual de 23 °C. A maior parte das montanhas e das ilhas são cobertas pela Mata Atlântica.

Dados climatológicos para São Sebastião
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 29,5 29,6 29,5 27,9 26,1 25,1 24,2 24,8 24,9 26,2 27,4 28,7 27
Temperatura média (°C) 26,3 26,3 25,8 23,9 21,9 20,6 19,7 20,8 21,7 23 24,1 25,2 23,3
Temperatura mínima média (°C) 23,1 23,1 22,2 20 17,7 16,1 15,3 16,8 18,6 19,8 20,9 21,7 19,6
Precipitação (mm) 223 211 216 143 104 72 61 62 80 134 143 189 1 638
Fonte: Climate-Data.[16]

Ilhas[editar | editar código-fonte]

Duas das ilhas de São Sebastião vistas da BR-101. As Ilhas estão no meio, e a Ilha das Couves pode ser vista à direita, atrás d'As Ilhas.

Há algumas ilhas espalhadas pelo litoral da cidade, todas resultantes de atividades vulcânicas. [17] A maior e mais famosa é a Ilha de São Sebastião, na qual está localizada a cidade de Ilhabela.

Ilhas de Toque-Toque[editar | editar código-fonte]

Do norte ao sul, a Ilha de Toque-Toque Grande é a primeira depois de Ilhabela, e localiza-se em frente ao morro à esquerda da praia homônima. Não há praias nem pessoas por lá, mas o local é visitado para mergulho.[18] A Ilha de Toque-Toque Pequeno, mais ao sul, é menor, igualmente desabitada e lembra uma tartaruga quando vista da Praia de Santiago.

Arquipélago de Alcatrazes[editar | editar código-fonte]

Formada por cinco ilhas maiores, sendo a principal denominada ilha de Alcatrazes, possui, além desta, as ilha da Sapata, do Paredão, do Porto ou do Farol e do Sul, além de quatro ilhas menores (ilhotas não nominadas), cinco lajes conhecidas como: Dupla, Singela, do Paredão, do Farol e Negra, além de dois parcéis (Nordeste e Sudeste).

Ver artigo principal: Alcatrazes

Ilha dos Gatos e das Couves[editar | editar código-fonte]

A Ilha dos Gatos, localizada a 1,8 km da Ponta da Baleia (um morro entre a Paia de Camburi e a Praia da Baleia) e a Ilha das Couves, localizada a 2,4 km da costa e a apenas 600 metros ao sul d'As Ilhas são ambas desertas, mas visitadas por turistas para mergulho livre, e por pescadores para capturar robalos. Ambas as ilhas possuem ruínas no topo de seus morros: na Ilha das Couves, há uma ruína de uma pousada que começou a ser construída em 2008, mas foi embargada pela Marinha do Brasil; já na dos Gatos, há ruínas de uma mansão que teria sido construída nos anos 1920 pelo então presidente dos EUA John Davison Rockefeller, mas que foi interditada pelo governo federal nos anos 1950. A Ilha dos Gatos é local de observação de baleias, que podem ser vistas no inverno.[17]

As Ilhas[editar | editar código-fonte]

Apesar do nome, As Ilhas são compostas por apenas uma ilha, que se diferem das outras ilhas por ter uma praia, que é frequentemente visitada por turistas da Barra do Sahy e da Praia de Juqueí, ambas localizadas a cerca de 2,4 km da ilha.

Ilha do Montão de Trigo[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Ilha Montão de Trigo

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Economia[editar | editar código-fonte]

Em 2011 o PIB de São Sebastião foi de 2.892.006 mil reais.[19]

Pontos turísticos[editar | editar código-fonte]

Além das 36 praias (veja abaixo), a cidade tem alguns lugares para visitar, como a Igreja Matriz de São Sebastião, o Museu de Arte Sacra, o Museu do Mar no Balneário dos Trabalhadores, o Convento da Nossa Senhora do Amparo e o Convento Franciscano. O centro da cidade pode ser dividido em duas partes: uma, antiga, o centro histórico, em torno da Igreja matriz, cheia de casas do Brasil Colonial, que hoje abrigam bares, restaurantes, hotéis e repartições públicas. A outra parte, moderna, localiza-se próxima ao mar, num aterro. É um dos principais pontos de encontro dos moradores da cidade, tendo como principal logradouro a Rua da Praia, onde está localizada a pista de skate da cidade, que tinha sido considerada a maior do Brasil, com 7.000 m²,[20], além do teatro municipal. Há também muitas sorveterias, restaurantes, bares, feiras de artesanato e uma grande praça.

Praias[editar | editar código-fonte]

Distrito de Maresias[editar | editar código-fonte]

  1. Praia de Boraceia Norte
  2. Praia de Jureia Norte
  3. Praia do Engenho
  4. Praia Barra do Una
  5. Praia Juqueí
  6. Praia Preta
  7. Praia da Barra do Sahy
  8. Praia da Baleia (São Sebastião)
  9. Praia de Camburi (São Sebastião)
  10. Praia de Camburizinho
  11. Praia Boiçucanga
  12. Praia de Maresias
  13. Praia de Paúba
  14. Praia de Santiago (São Sebastião)[21]

Distrito de São Sebastião-Sede[editar | editar código-fonte]

  1. Praias de Toque-Toque Grande e Toque-Toque Pequeno
  2. Praia de Guaecá
  3. Praia de Barequeçaba
  4. Praia Grande (São Sebastião)
  5. Praia Preta do Norte
  6. Praia do Porto Grande
  7. Praia Deserta (São Sebastião)

Distrito de São Francisco da Praia[editar | editar código-fonte]

  1. Praia Pontal da Cruz
  2. Praia Arrastão
  3. Praia Cigarras
  4. Praia de São Francisco
  5. Prainha (São Francisco da Praia)[22][23]

Sítio Arqueológico São Francisco[editar | editar código-fonte]

Localizado na Praia da Figueira, está dentro do Parque Estadual da Serra do Mar . Possui vestígios arquitetônicos de uma antiga fazenda.

Comunicações[editar | editar código-fonte]

Na telefonia fixa, a cidade era atendida pela Companhia de Telecomunicações do Estado de São Paulo (COTESP), que construiu em 1971 a centrais telefônicas no centro da cidade e em São Francisco da Praia, utilizadas até os dias atuais. Em 1975 passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[24], que construiu as outras centrais telefônicas da cidade até que em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica. Em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[25][26][27][28].

Transporte[editar | editar código-fonte]

O único jeito de se chegar à cidade é pela BR-101, denominada Rodovia Doutor Manuel Hipólito Rego no trecho que vai de Ubatuba a Bertioga. É possível vir de Caraguatatuba pelo Norte e de Bertioga pelo Sul. A rodovia é a mais importante via da cidade, ligando os extremos Norte e Sul, e tendo uma linha regular de ônibus. Bicicletas também são muito utilizadas na cidade.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Carnaval[editar | editar código-fonte]

O Carnaval do município é organizado pela ASEC Associação Sebastianense das Entidades Carnavalescas em parceria com a Prefeitura Municipal de São Sebastião , que promovem os desfiles de blocos e escolas de samba na Rua da Praia. Participam do Carnaval as escolas de Samba Acadêmicos de São Francisco, Ki-Fogo, Mocidade da Topolândia e X-9 do Canto do Mar.

Espaços Culturais[editar | editar código-fonte]

No ano de 2011, dois espaços culturais foram inaugurados, no município, como forma de resgate da cultura caiçara: o Centro Cultural Batuíra e o Espaço de Cultura Adélia Barsotti. O Centro Cultural Batuíra conta com o auditório Beatriz Puertas Moura (homenagem à poetisa caiçara), com 45 lugares, onde acontecerão apresentações literárias, musicais e espetáculos teatrais.

Política[editar | editar código-fonte]

Câmara de Vereadores de São Sebastião

Prefeitos[editar | editar código-fonte]

Período Nome Partido / Coligação
1° de Janeiro de 2017 a 31 de dezembro de 2020 Felipe Augusto PSDB
1º de Janeiro de 2013 a 31 de dezembro de 2016 Ernane Primazzi PSC
1º de Janeiro de 2009 a 31 de dezembro de 2012 Ernane Primazzi PSC
1º de Janeiro de 2005 a 31 de dezembro de 2008 Juan Pons Garcia (Dr. Juan) PPS
1º de Janeiro de 2001 a 31 de dezembro de 2004 Paulo Roberto Julião dos Santos PSDB
1º de Janeiro de 1997 a 31 de dezembro de 2000 João Augusto Siqueira PSB
1° de Janeiro de 1993 a 31 de Dezembro de 1996 Luiz Aberto de Farias PDT
1° de Janeiro de 1989 a 31 de Dezembro de 1992 Paulo Roberto Julião dos Santos PSDB
1° de Janeiro de 1986 a 31 de Dezembro de 1988 Luis Rogério Martins PMDB
Abril de 1985 até 31 de Dezembro de 1985 Paulo Roberto Julião dos Santos PSDB

Mandato "Tampão"

Em abril de 1985, o governador de São Paulo, André Franco Montoro, nomeou o petroleiro e advogado Paulo Roberto Julião dos Santos, para o curto mandato de 8 meses, conhecido como mandato tampão. Neste período, a maioria das cidades do Brasil já tinha ido às urnas escolher seus governantes.

Eleição Direta

Por abrigar o Terminal Marítimo, a cidade era considerada Área de Segurança Nacional. Por isso, a eleição para escolha do prefeito foi extemporânea, tardia. A primeira eleição direta em São Sebastião, após 20 anos de regime militar, ocorreu em novembro de 1985.

O primeiro prefeito eleito pelo povo foi o professor de história, Luis Rogério Martins, do PMDB.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  2. «Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista». Consultado em 31 de janeiro de 2011 
  3. a b c São Sebastião
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 1 de agosto de 2013 
  5. «Municípios e Distritos do Estado de São Paulo» (PDF). IGC - Instituto Geográfico e Cartográfico 
  6. a b «Divisão Territorial do Brasil». IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 
  7. História IBGE
  8. Bergamo, Giuliana (8 de abril de 2009). «O nosso espião do espaço». Planeta Sustentável. Consultado em 8 de janeiro de 2012. Arquivado do original em 9 de abril de 2009 
  9. «Cidades turísticas lidam mal com esgoto». Folha de S. Paulo: C4. 14 de novembro de 2010 
  10. Eduardo Geraque; Talita Bedinelli; Daniel Marenco (29 de janeiro de 2012). «Esgoto de 31 mil casas do litoral vão parar no mar». Folha de S.Paulo. São Paulo, Ilhabela. p. C5 
  11. Manso, Bruno Paes (23 de janeiro de 2011). «Em um ano, 180 casas são construídas na Mata Atlântica de São Sebastião». O Estado de S. Paulo. Consultado em 23 de janeiro de 2011 
  12. Bergamim Jr., Giba (13 de maio de 2012). «Mar avança e "engole" 120 praias no país». Folha de S. Paulo: C1/C4 
  13. a b c Bedinelli, Talita; Joel Silva (23 de março de 2012). «Vice-prefeito de São Sebastião é flagrado fazendo pesca ilegal; veja». Folha.com. Consultado em 25 de março de 2012 
  14. a b «Wagner Teixeira deixa Secretaria de Governo, fala sobre incidente durante pesca e confirma projetos políticos» (PDF). Imprensa Livre. 3 de abril de 2012. Consultado em 15 de fevereiro de 2014. Arquivado do original (PDF) em 22 de fevereiro de 2014 
  15. a b c Castilho, Araripe (14 de outubro de 2012). «são Sebastião atrai recursos com megaporto». Ribeirão Preto. Folha de S.Paulo. O Brasil que Mais Cresce (30510): B6 
  16. «Clima: São Sebastião». Climate-Data. Consultado em 15 de julho de 2015. Cópia arquivada em 15 de julho de 2015 
  17. a b Zanchetta, Diego (31 de dezembro de 2011). «Ilhas são refúgio vip no litoral norte». O Estado de S. Paulo. Grupo Estado. Consultado em 10 de setembro de 2016 
  18. «A Ilha de Toque Toque». www.praiadetoquetoque.com.br. Consultado em 9 de agosto de 2009. Arquivado do original em 11 de março de 2008 
  19. «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  20. Villa, Bruno (11 de Novembro de 2011). «Itaguaí terá segunda maior pista de skate do Brasil no ano que vem». Extra. Consultado em 29 de julho de 2012 
  21. https://polis.org.br/wp-content/uploads/Resumo-Executivo-SAO-SEBASTIAO-Litoral-Sustentavel.pdf
  22. http://www.turismosaosebastiao.com.br/o-que-fazer/historia-e-cultura
  23. https://qualipraia.cetesb.sp.gov.br/qualidade-da-praia/saosebastiao.phtml
  24. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  25. «Telesp vai servir mais 86 cidades do estado». Acervo Folha de São Paulo 
  26. «Patrimônio da COTESP incorporado pela TELESP» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  27. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  28. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]