Deslizamento de terra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Um local onde ocorreu deslizamento, na rua Viçosa, bairro São Pedro, Belo Horizonte.

Um deslizamento de terra ou escorregamento de terra é um fenômeno de ordem geológica e climatológica que inclui vários tipos de movimento do solo, tais como quedas de rochas, falência de encostas em profundidade e fluxos superficiais de detritos.

Pode-se considerar três fatores de influência na ocorrência dos deslizamentos:

  • Tipo de solo: sua constituição, granulometria e nível de coesão;
  • Declividade da encosta: cujo grau define o ângulo de repouso, em função do peso das camadas, da granulometria e nível de coesão;
  • Água de embebição: contribui para aumentar o peso específico das camadas; reduzir o nível de coesão e o atrito, responsáveis também pela consistência do solo, e lubrificar as superfícies de deslizamento.[1]

Como evitar o deslizamento[editar | editar código-fonte]

Existem mais de duas maneiras porém as principais são:

  • Reposição de vegeração 2.jpg
    Trabalho de reposição de vegetação em zona habitacional de morro em Florianópolis. Técnica de plantio em patamares.
    Deslizamento na estrada Rio de Janeiro-Petrópolis, Brasil.
    A primeira é repondo a vegetação para que a água que desce pelas encostas das montanhas perca a velocidade ou infiltre no solo;
  • A segunda, mais segura, é não construir terraços em forma de degraus a fim de proteger o solo da ação das águas pluviais;
  • Evite plantar arvores grandes nas encostas como, bananeira, mangueira...;
  • Evite cortar aterros nas encostas para não deixar o terreno fraco;
  • Nunca construa próximo a encostas e barrancos, quanto maior a distancia mais segurança para sua moradia;
  • Não jogar lixo nas encostas, isso produz acumulo de água escorrendo o lixo e assim arrastando o solo junto com ele;
  • Instalar canaletas ou tubos para o escoamento dessas águas usadas.[2]
Deslizamento de terra em Coronel Fabriciano, MG. O tipo de solo (barrento) junto a quantidade de chuvas ou atividades impróprias pra área como construção de casas próximos a estes locais, influenciam fortemente para que haja deslizamento.

Primeiros sinais de Perigo[editar | editar código-fonte]

  • Observe no terreno se árvores, postes ou muros estão com alguma inclinação anormal;[3]
  • Observe rachaduras, trincas ou saliências no chão ou nas paredes;
  • Observe se o local tem água mais barrenta que o normal. Pode ter algum cano com vazamento e infiltrando-se pelo terreno.

Tipos básicos de deslizamentos[editar | editar código-fonte]

Segundo Faiçal Massad (2003) os escorregamentos podem ser descritos, como se segue:[4]

Corridas[editar | editar código-fonte]

São movimentos rápidos onde os materiais se comportam como fluidos altamente viscosos. Isso acontece com a grande concentração de água superficial.

Fluxos de Detritos[editar | editar código-fonte]

O material inclinado que se torna saturado com água pode se transformar em um fluxo de detritos ou fluxo de lama. A pasta resultante de rocha e lama pode pegar árvores, casas e carros, bloqueando, assim, pontes e afluentes causando inundações ao longo de seu caminho. O fluxo de detritos é muitas vezes confundido com enchente, mas são processos totalmente diferentes.

Os fluxos de detritos lamacentos em áreas alpinas causam danos graves a estruturas e infraestruturas e muitas vezes reivindicam vidas humanas. Fluxos de detritos enlameados podem começar como resultado de fatores relacionados à inclinação e deslizamentos de terra rasos podem danificar leitos de rios, resultando em bloqueio temporário da água. Como os impasses falham, um " efeito dominó " pode ser criado, com um crescimento notável no volume da massa que flui, que ocupa os detritos no canal do fluxo. A mistura sólido-líquido pode atingir densidades de até 2 000 kg/m3 e velocidades de até 14 m/s.[5]

Esta seção de E. Grace Street, Richmond, VA, entrou em colapso durante a tempestade tropical Gaston. Gaston deixou cair doze polegadas de chuva na área.

Escorregamentos[editar | editar código-fonte]

Caracterizam-se como movimentos rápidos de curta duração, com planos bem definidos. São feições longas, podendo apresentar uma relação 10:1, comprimento – largura. Podem ser divididos em dois tipos:

  • Translacionais: Representam a forma mais freqüente entre os tipos de movimento de massa, possuindo superfície de ruptura com forma planar, a qual acompanha, de modo geral, descontinuidades mecânicas e/ou hidrológicas existentes no interior do material;
  • Quedas de blocos: São movimentos rápidos de blocos e/ou lascas de rocha que caem pela ação da gravidade, sem a presença de uma superfície de deslizamento, na forma de queda livre. Existe ainda uma categoria denominada rastejamento que Hansen (1984) descreve como sendo definida basicamente pela sua velocidade, devido à natureza lenta do movimento.[6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. CELEPAR. «Deslizamentos - Disciplina - Geografia». www.geografia.seed.pr.gov.br (em pt_BR). Consultado em 25 de fevereiro de 2017 
  2. «Como evitar deslizamentos». Saúde e Segurança no Trabalho. 12 de maio de 2017. Consultado em 7 de julho de 2021 
  3. «Sudec - Superintendência de Proteção e Defesa Civil». Consultado em 7 de julho de 2021 
  4. «IBDA - Forum da Construção». www.forumdaconstrucao.com.br. Consultado em 7 de julho de 2021 
  5. Luino, Fabio (1998). La prevenzione delle catastrofi idrogeologiche: il contributo della ricerca scientifica, atti. Frane / Landslides (em italiano). [S.l.]: Consiglio nazionale delle ricerche, Gruppo nazionale per la difesa dalle catastrofi idrogeologiche, Istituto di ricerca per la protezione idrogeologica nel Bacino Padano 
  6. «Deslizamentos». prezi.com. Consultado em 23 de fevereiro de 2017 
Ícone de esboço Este artigo sobre geologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.