Osasco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox important.svg
Foram assinalados vários aspectos a serem melhorados nesta página ou se(c)ção:
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Osasco (desambiguação).
Município de Osasco
"Osasco, Cidade do trabalho"
Bandeira de Osasco
Brasão de Osasco
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 19 de fevereiro de 1962 (56 anos)[1]
Gentílico osasquense
Lema Osasco - Cidade Trabalho
Padroeiro(a) Santo António de Lisboa
Prefeito(a) Rogério Lins (PODE)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Osasco
Localização de Osasco em São Paulo
Osasco está localizado em: Brasil
Osasco
Localização de Osasco no Brasil
23° 31' 58" S 46° 47' 31" O23° 31' 58" S 46° 47' 31" O
Unidade federativa São Paulo
Região
intermediária

São Paulo IBGE/2017 [2]

Região
imediata

São Paulo IBGE/2017

Região metropolitana São Paulo
Municípios limítrofes
Distância até a capital 15 5 km[3]
Características geográficas
Área 64,935 km² (SP: 617º BR: 5402º)[4]
População 696 850 hab. (SP: 7º SE: 11° BR:28°) –  Estimativa Populacional IBGE/2018[5]
Densidade 10 731,5 hab./km²
Altitude 740 a 1.009 m
Clima Clima subtropical Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,776 (SP: 83°BR: 168°) – elevado PNUD/2010 [6]
Gini Aumento0,530 est. 2010[7]
PIB R$ Aumento58 566 199 mil (SP: 2° BR: 8º) – IBGE/2014[8]
PIB per capita R$ 84 478,07 IBGE/2014[8]
Página oficial
Prefeitura www.osasco.sp.gov.br
Câmara http://www.osasco.sp.leg.br/

Osasco (pronúncia IPA[o'zaskʊ]) é um município brasileiro localizado na Sub-região Oeste da Região Metropolitana de São Paulo [9][10] (informalmente: "zona Oeste da Grande São Paulo").

Nascido como um bairro da capital paulista no final do século XIX, tornou-se município emancipado após um plebiscito em 1962.[11]

Possui importante atividade econômica nos setores industrial, comercial e de serviços. Com 696.850 habitantes, é o 7° mais populoso do estado de São Paulo, segundo estimativa populacional calculado pelo IBGE para 2018. Ainda de acordo com o mesmo censo, em 2014, Osasco possuía o 8º maior Produto Interno Bruto do Brasil, e o 2º maior do Estado de São Paulo,[12] ficando à frente de muitas capitais estaduais brasileiras, como Salvador, Fortaleza e Recife,[13] sendo a cidade não capital com o mais alto PIB da nação naquele ano.

O lema da cidade é "Osasco - Cidade Trabalho"[14], e seu padroeiro é Santo Antônio, sendo 13 de junho (data comemorativa do santo) feriado municipal[15].

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O primeiro nome, estabelecido pelo primeiro núcleo de povoamento de colonizadores, foi Vila de Quitaúna,[16] originado da língua tupi. O nome Osasco foi originalmente dado à estação ferroviária ao redor da qual a cidade cresceu. A estação foi construída em 1895 por Antonio Agù, considerado o fundador da cidade, e o nome foi dado em homenagem à sua cidade natal de Osasco na Itália, na região do Piemonte.[17] Com o tempo, a região em volta da estação ferroviária também passou a ser conhecida por Osasco. Atualmente a Estação Osasco ainda está em funcionamento.

História[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: História de Osasco

Origens e povoamento[editar | editar código-fonte]

Vista aérea de Osasco, em 1961

No período pré-cabralino, inúmeras tribos indígenas da família tupi-guarani habitavam a região onde hoje se situa Osasco.[18]

O primeiro núcleo de povoamento de colonizadores de origem portuguesa foi a Vila de Quitaúna (atualmente o nome de um bairro de Osasco), fundada no século XVII em plena época do Brasil Colônia, onde residiu o bandeirante Antônio Raposo Tavares, que supostamente estaria enterrado no local. A Vila de Quitaúna foi esvaziada no século XVIII com a descoberta do ouro em Minas Gerais.

Durante a época do Império, na região onde hoje se situa o Centro e em seus arredores, existiam vários sítios e chácaras. Próximo às margens do Rio Tietê, no século XIX, havia uma aldeia de pescadores e também grandes fazendas. Já no final do Império, uma delas foi vendida ao italiano Antonio Agù e outra ao português Manuel Rodrigues.[19]

Expansão econômica[editar | editar código-fonte]

No início do período Republicano Antonio Agù já era proprietário de vários negócios e terras na região. Em 1887 comprou uma gleba de terra no quilômetro 16 da Estrada de Ferro Sorocabana. Por volta de 1890, resolveu ampliar sua pequena olaria e convidou para sócio o Barão Dimitri Sensaud de Lavaud. A olaria que fabricava tijolos e telhas passou a produzir também tubos e cerâmicas, dando origem à primeira indústria da cidade.[19] Após outras iniciativas, em 20 de agosto de 1895 Antonio Agù construiu a estação ferroviária, erguendo várias casas nos arredores para abrigar os operários que chegavam para realizar a obra.[19] Os dirigentes da estrada de ferro quiseram batizar a estação com o nome do principal empreendedor da região, mas Antonio Agù pediu que a homenagem não fosse dada a ele e sim à sua vila natal da Itália: Osasco.[19] Com isso, a região também passou a ser conhecida como Osasco. Um telegrama emitido pelo superintendente da Estrada de Ferro Sorocabana, em 20 de agosto de 1895, informa a existência da estação construída por Antônio Agù, que originou a cidade de Osasco:

A região foi elevada a distrito da capital em 1918. Dois anos depois, em 1920, contava com 4.178 moradores, sendo 1.331 estrangeiros, contabilizando 31% da população.[20] Daí por diante Osasco, como a região passou a ser conhecida, não parava de crescer. Muitas pessoas conhecidas do comércio e diversas indústrias importantes se instalaram por lá. Para operar as máquinas dessas indústrias foi contratada mão-de-obra imigrante.

Os imigrantes eram principalmente italianos,[21] recebendo também franceses, espanhóis, portugueses, alemães, irlandeses e também houve uma grande migração da região Nordeste do Brasil. Com o aumento da população de operários, tornou-se possível também o desenvolvimento do comércio, desenvolvido principalmente pelas colônias armênia, libanesa e judia.

Cidade de Deus, Osasco, 1970. Arquivo Nacional.

Na zona rural, muitos imigrantes japoneses plantavam verduras e legumes. Essa mistura de imigrantes marca as primeiras populações do atual município.[22]

Criação do município[editar | editar código-fonte]

Osasco cresceu tanto em população, quanto comercialmente, mas apesar desse progresso, até então não passava de mero subdistrito da cidade de São Paulo. Em 1953 foi feito primeiro plebiscito pela emancipação.[23] O movimento emancipacionista sofreu muitas contraposições e empecilhos, mas finalmente após o segundo plebiscito conturbado, em 19 de fevereiro de 1962, Osasco tornou-se um município. Em 16 de julho de 1968 teve início a greve da Cobrasma, organizada por José Ibrahim‎. Operários protestaram contra as mortes de seus colegas em caldeiras e o rebaixamento dos salários. Ato esse já um sintoma de resistência contra o Regime Militar da época.[24]

No ano seguinte, o Banco Brasileiro de Descontos (atualmente denominado Bradesco), sediado na Cidade de Deus, bairro de Osasco próximo à divisa com São Paulo, organizou e colocou em operação a Companhia Telefônica Suburbana Paulista - Cotespa. A nova companhia inicialmente proveu o novo município de três mil terminais telefônicos, que operavam com o prefixo 48. A COTESPA foi incorporada à Telesp em 1974. A área do município de Osasco foi gradativamente subdividida em novos centros telefônicos - Rochdalle, Santo Antônio, Quitaúna e Menck, além da área central.

Fatos notáveis[editar | editar código-fonte]

Lavaud no primeiro voo da América Latina.

O primeiro voo em aparelho mais pesado que o ar efetuado na América Latina aconteceu em Osasco, em 7 de janeiro de 1910. O autor da façanha foi o engenheiro espanhol Dimitri Sensaud de Lavaud, então morador de Osasco.[25][26][27][28]

Em 11 de junho de 1996 houve a explosão do Osasco Plaza Shopping. O acidente aconteceu na praça de alimentação devido a um vazamento de Gás Liquefeito de Petróleo, no subsolo do piso térreo. A violência da explosão fez com que o piso fosse elevado e o concreto desabasse sobre as pessoas que ali se encontravam, além de ter destruído 400 lojas. Morreram 42 pessoas e 300 outras ficaram feridas, algumas gravemente. A principal causa apontada para a explosão foi a falta de ventilação no porão onde se encontrava a tubulação de gás. Esse acidente repercutiu na mídia nacional e internacional.[29]

Geografia[editar | editar código-fonte]

Osasco é um município da sub-região oeste situado na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) com uma população de 696 382 habitantes (estimativa populacional 2016 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), sendo a sexta mais populosa do Estado de São Paulo e a vigésima sexta do Brasil. Localiza-se a uma latitude 23°3158" sul e a uma longitude 46°47'31" oeste.

Seus limites são a capital paulista a norte, leste e sul, Cotia a sudoeste, Carapicuíba e Barueri a oeste.

A altitude do município varia de 740 a 1009 metros, com uma área total de 64,935 km² e uma densidade demográfica de 10 700,62 habitantes por km². O clima é considerado subtropical úmido. tendo verões quentes e chuvosos; Invernos não muito secos e de temperaturas amenas; Demais estações do ano aparecem de modo intermediário.

Osasco possui atualmente 60 bairros oficiais. Localiza-se totalmente a oeste da capital paulista, distando desta cerca de 16 quilômetros.

Os principais problemas ambientais são as enchentes: várias ruas e avenidas de Osasco sofrem com a inundação quando chove. Entre as regiões onde esse problema é constante, se destacam os zonas baixas na zona norte do município. A poluição do ar na cidade é mediana, devido principalmente à grande quantidade de indústrias poluidoras e automóveis.

A cidade sofre com a poluição hídrica que atinge quase todos os córregos e rios da cidade.

Clima[editar | editar código-fonte]

Como a cidade se localiza muito próximo da capital, e como em quase toda Região Metropolitana de São Paulo, o clima de Osasco é considerado subtropical úmido (do tipo Cfa na classificação climática de Köppen-Geiger). As estações do ano são parcialmente definidas: o verão moderadamente quente e chuvoso, inverno ameno e subseco, com diminuição de chuva. Outono e primavera são estações de transição. A umidade do ar é relativamente elevada, com uma média anual de 78%. O recomendado para o bem da saúde humana é acima de 60%. No inverno, o aquecimento do ar frio vindo de ambientes externos pode diminuir os níveis de umidade relativa para abaixo de 30%, levando ao desconforto, tais como a pele seca e sede excessiva. No outono e primavera, é comum tardes entre 14° e 16°. Em invernos rigorosos, como em 2013, houve dias em que a temperatura sequer ultrapassou 10 °C. Por causa da altitude, os meses mais quente, nas noites e madrugadas, raramente as temperaturas ficam acima de 23 °C. A média de temperatura anual gira em torno dos 19,2 °C, sendo o mês de julho o mais frio (média de 15,3 °C) e o mais quente fevereiro (média de 21,7 °C), com isso ao longo do ano, as temperaturas médias podem variar 6.4 °C. Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), desde 1961 a menor temperatura registrada no Mirante de Santana (cerca de 23,7 km de distância de Osasco), foi de 0,8 °C em 10 de julho de 1994.[30] Já a maior temperatura atingiu os 37,8 °C em 17 de outubro de 2014.[31] As geadas ocorrem em invernos severos, principalmente em regiões afastadas do centro. O índice pluviométrico anual é de 1420 mm,[32] concentrados principalmente no verão, sendo janeiro o mês de maior precipitação (235 mm), e julho o de menor precipitação (38 mm).[33]

A cidade enfrenta frequentemente as enchentes, causadas principalmente no verão, causando um enorme prejuízo.

Dados climatológicos para Osasco
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 26,3 26,3 25,4 23,7 21,8 21 20,8 21,8 22,8 23,5 24,7 25,2 23,6
Temperatura média (°C) 21,5 21,7 20,8 18,8 16,8 15,7 15,3 16,3 17,5 18,6 19,9 20,4 18,6
Temperatura mínima média (°C) 16,8 17,1 16,2 14 11,8 10,4 9,8 10,8 12,2 13,7 15,1 15,7 13,6
Precipitação (mm) 235 218 161 72 62 52 38 43 74 130 139 196 1 420
Fonte: Climate-Data.org[32]

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O principal rio que corta a cidade é o Rio Tietê. Os seus principais córregos são: Córrego Baronesa, Córrego Bussocaba, Córrego da Divisa, Córrego Continental e Córrego Areia. Os principais lagos são: Lago Parque Chico Mendes e Lago Jardim Três Montanhas. Os ribeirões mais importantes são: Ribeirão João Alves e Ribeirão Vermelho.

Saneamento[editar | editar código-fonte]

Segundo o site Trata Brasil, Osasco é 45° município brasileiro em investimento em saneamento.[34]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Crescimento populacional
Censo Pop.
1960113 243
1970283 073150,0%
1980474 54367,6%
1991568 22519,7%
2000652 59314,8%
2010666 7402,2%
Censos demográficos do IBGE[35]

Segundo estimativa populacional do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para 2018, Osasco possui aproximadamente 696 850 habitantes, sendo o 7° mais populoso do Estado de São Paulo, e o 28° mais populoso do Brasil, com uma densidade demográfica de 10 700,62 habitantes por quilômetro quadrado. O bairro mais populoso de Osasco é o Jardim Veloso (32 168 habitantes).

No censo demográfico de 2010, 320 436 eram do sexo masculino (48,06%) e 346 304 do sexo feminino (51,94%). Ainda segundo o mesmo censo, 100% da população vivia na zona urbana e 0,00% na zona rural. A maioria da população era representada pelo grupo de idade entre 15 a 59 anos, com 453 589 (68,03%), posteriormente o grupo entre 0 a 14 anos, com 147 797 (22,17%) e enfim, o grupo entre 60 anos ou mais, com 65 354 (9,8%).

O rendimento domiciliar per capita de 60 143 habitantes (31,92%), era de 1 a 2 salários-mínimos, seguido de 47 239 (25,07%) de 1/2 a 1 salário-mínimo; 43 528 (23,1%) de 2 a 5 salários-mínimos; 23 599 (12,53%) até 1/2 salário-mínimo, e por último 13 905 (7,38%) recebem mais de 5 salários-mínimos.[36] O número de eleitores é de 565 990, sendo a maior parte entre 18 a 69 anos com 522 577 (92,33%), seguido de 70 anos ou mais, com 39 372 (6,96%) e por último o grupo de 16 e 17 anos, com 4041, representando 0,71%.

A expectativa de vida é de 75,4 anos, com uma taxa de fecundidade (filhos por mulher): 1,80. A taxa de alfabetização é de 98%.

O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M) é de 0,776 considerado alto, sendo:

  • IDH-M Renda: 0,776
  • IDH-M Longevidade: 0,840
  • IDH-M Educação: 0,718

A renda per capita média de Osasco cresceu 47,75% nas últimas duas décadas, passando de 679,13 reais, em 1991, para 780,28 reais, em 2000, e para 1 003,40 reais, em 2010. Isso equivale a uma taxa média anual de crescimento nesse período de 2,08%.

A esperança de vida ao nascer é o indicador utilizado para compor a dimensão Longevidade do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM). No município, a esperança de vida ao nascer cresceu 2,1 anos na última década, passando de 73,4 anos, em 2000, para 75,4 anos, em 2010.

A proporção de crianças e jovens frequentando ou tendo completado determinados ciclos indica a situação da educação entre a população em idade escolar do estado e compõe o IDHM Educação. No município, a proporção de crianças de 5 a 6 anos na escola é de 94,75%, em 2010. No mesmo ano, a proporção de crianças de 11 a 13 anos frequentando os anos finais do ensino fundamental é de 85,14%; a proporção de jovens de 15 a 17 anos com ensino fundamental completo é de 70,02%; e a proporção de jovens de 18 a 20 anos com ensino médio completo é de 52,23%.

O IDH-M de 0,776 é 35,66% maior que o registrado em 1991.

Fonte: PNUD[37]

Segundo a Universidade de São Paulo, Osasco teve os seguintes índices de desigualdade social (Coeficiente de Gini e Índice de Theil: quanto mais distante de zero e mais próximo de um, maior é a desigualdade social) registrados nos anos de 1991 e 2000:[38]

1991 Gini Theil T Theil L
Dados 0,50703 0,52841 0,44229
2000 Gini Theil T Theil L
Dados 0,51788 0,56017 0,46137

O município é a 48° maior área urbana do país, com 61 000 quilômetros quadrados.[39]

Etnias e Religiões[editar | editar código-fonte]

Cor/Raça Porcentagem
Brancos 66,3%
Negros 4,5%
Pardos 27,5%
Amarelos 0,8%
Indígenas 0,2%

Segundo o IBGE, a população de Osasco era predominante branca (66,3%), vindo a seguir os pardos (27,5%), os negros (4,5%), os amarelos (0,8%) e, por fim, a população indígena (0,2%).

Quanto à religião, a maioria dos habitantes são católicos: 422 553 (cerca de 64,75%). Em seguida, vêm os evangélicos: 134 043 (cerca de 20,54%); os sem religião: 60 886 (cerca de 9,33%); espíritas: 5 873 (cerca de 0,90%); budistas: 1 500 (cerca de 0,23%); e judeus: 261 (cerca de 0,04%)

Fonte: IBGE 2000 (dados obtidos por meio de pesquisa de autodeclaração)

Economia[editar | editar código-fonte]

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de 2015, o município se encontra em 8° lugar no cenário nacional e em 2° do Estado de São Paulo, atrás apenas da capital em relação ao Produto Interno Bruto (PIB).[40][41] Osasco representa 1,04% do PIB nacional, colocando a cidade no grupo das oito do Estado de São Paulo que se destacaram na geração de riqueza do Brasil com participação de 0,5% do PIB do país. O Produto Interno Bruto registrado de Osasco é de R$ 55.515.707. Houve desconcentração industrial para outras regiões e hoje a cidade vem caminhando para a área comercial e de prestações de serviços, que representam hoje 71,7% do total, contribuindo com R$ 23 bilhões do PIB.

O Parque Industrial de Osasco, um dos maiores do Estado de São Paulo, destaca-se no cenário econômico com suas 500 indústrias de grande, médio e pequeno portes, preponderando a metalurgia pesada. Algumas das maiores indústrias do país no gênero estão instaladas em Osasco: Asea Brown Boveri, material pesado, com grande parte de sua produção exportada; Ford do Brasil, veículos e motores. Em Osasco está localizada a matriz do Banco Brasileiro de Descontos (Bradesco), a maior empresa bancária da América do Sul. A denominada Cidade de Deus, onde está instalada a matriz do Bradesco, situa-se na parte centro-sul da cidade e se constitui no maior centro de processamento de dados da América do Sul. Além dos edifícios de direção e escritórios, encontram-se os conjuntos sociais e esportivos dos funcionários do banco.[42] Com isso, os benefícios naturais que o município recebe da organização bancária, deve-se ressaltar a real fonte de trabalho que o banco oferece. Centenas de pessoas ali trabalham e estudam.

O setor comercial osasquense destaca-se na região Oeste da Grande São Paulo, com seus 4 mil estabelecimentos instalados nos ramos de atacado e varejo.

Segundo o Presidente da Associação Comercial de Osasco, André Menezes, "Osasco é a esquina comercial mais atraente do Brasil",[43] ressaltando o momento favorável para investimentos na cidade, com a atividade econômica crescente e um mercado imobiliário valorizado muitas vezes equiparado a regiões nobres da capital. Segundo o Presidente da Associação Comercial de Osasco, o mercado de offices em Osasco está em franco crescimento. Com isso, muitas construtoras começaram a apostar em Osasco, como a Banco de Projetos com o lançamento do Osasco Tower Center. Para muitos, a localização é o ponto mais forte da cidade, estrategicamente posicionado, e isto pesa muito na escolha de um imóvel.

Ao contrário de muitas cidades do Brasil, Osasco está avançando economicamente, mesmo em uma crise econômica que atinge o país inteiro nos últimos anos.

Muitas empresas estão sediadas na cidade, incluindo o SBT (ver: CDT da Anhanguera); RedeTV! (ver: CTD de Osasco); Bradesco; Avon Cosméticos; Mercado Livre; Sem Parar; Mãe Terra; Pão de Açúcar; Walmart; Carrefour; Sam's Club ;Assaí ; Makro; Alpicplast indústria e comércio, entre outras.

Shopping Centers[editar | editar código-fonte]

Osasco é constituído de muitos shoppings ao redor da cidade, muitos inaugurados recentemente entre 2005 e 2009. Inclusive, Osasco possui o 6° maior shopping do Brasil, o Shopping União de Osasco.

Mercado Municipal[editar | editar código-fonte]

O Mercado Municipal de Osasco é um mercado inaugurado em 1953, sendo o primeiro mercado na época bairro de Osasco, com seis corredores que se entrecruzam internamente.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Cultura de Osasco

Osasco apesar de contar com uma infinidade de equipamentos culturais de São Paulo, vem crescendo a sua quantidade de equipamentos voltados a cultura. Dentre eles, bibliotecas, teatros, museus, casas de eventos culturais, espaços culturais, lazer e meio ambiente. O município é constituído de diversas bibliotecas, incluindo a Biblioteca Municipal Monteiro Lobato, Biblioteca Heitor Sinegalia, Biblioteca Manoel Fiorita, a Biblioteca do Centro Universitário FIEO, e Biblioteca da Faculdade de Ciências da FITO.

Dentre os teatros, Osasco é constituído pelo Teatro Municipal Gloria Giglio, principal teatro do município, inaugurado em 1996, durante o governo do prefeito Celso Giglio. O ambiente tem capacidade para 450 espectadores. Há também o Espaço Cultural Grande Otello, Teatro do Sesi e Escola de Artes Cesar Antonio Salvi.

Os principais espaços culturais são o Osasco Cultural, Centro de Eventos Pedro Bortoloss e Espaço Cultural Grande Otelo.

Em Osasco, encontra-se também casas de eventos culturais, como Casa de Angola e Casa do Violeiro do Brasi.l[44]

Parque Chico Mendes, em City Bussocaba.

O município possui diversos parques de lazer e meio ambiente, entre eles o Parque Ecológico Nelson Vilha Dias (Rochdalle); Parque Municipal Dionísio Alvares Mateos (Jardim das Flores); Parque Municipal Chico Mendes (City Busocaba); Parque Clóvis Assaf (Cidade das Flores); Parque do Jardim Santa Maria; Parque Ecológico Ana Luiza (Jardim Piratininga); Parque Glauco Villas Boas (Três Montanhas); Parque Manoel Manzano (Conjunto dos Metalúrgicos); Parque Ignácio Gurgel Pereira (km 18); Parque do Jardim Bonança

O principal museu é o Museu Dimitri Sensaud de Lavaud, também conhecido como Chalé Brícola. Seu acervo, além de abrigar documentos a respeito de Dimitri Sensaud de Lavaud, e a única peça que ainda resta do avião “São Paulo”, com o qual ele realizou seu voo histórico, se encontram objetos, filmes, documentos e obras de arte que contam um pouco da memória do município. O Museu Municipal Dimitri Sensaud de Lavaud, foi construído pelo banqueiro Giovanni Brícola, no final do século passado, e de sua construção participou Antonio Agù, fundador de Osasco. Edificado em estilo flamenco, com o melhor material existente na época: pinho-de-riga, mármore de Carrara e azulejos europeus, o Chalé Brícola serviu como residência para várias outras famílias, entre elas a de Dimitri Sensaud de Lavaud, inventor e cientista, que das suas imediações, no dia 7 de janeiro de 1910, realizou o primeiro voo com um aparelho mais pesado que o ar na América do Sul.

Depois de ter ficado abandonado durante muitos anos, o chalé foi escolhido como sede para o Museu Municipal, instalado em 30 de junho de 1976.[42] Atualmente sofreu uma restauração.

Governo[editar | editar código-fonte]

A administração municipal se dá pelos poderes executivo, legislativo e judiciário. O atual representante do poder executivo é o prefeito Rogério Lins do PTN, eleito em 2016 no segundo turno com 218.779 votos (61,21% dos votos válidos), sendo o prefeito de Osasco com mais votos da história do município,[45] tendo Ana Maria Rossi (PR) como vice-prefeita.

O poder legislativo, por sua vez, é constituído pela Câmara dos Vereadores, composta por 21 vereadores distribuídos por uma grande variedade de partidos, sendo o PSDB e o PT, cada um com 3 vereadores, os partidos com maior representação.[46]

Havia 557.553 eleitores em dezembro de 2015, o que representava 1,737% do eleitorado do estado de São Paulo, conforme dados do TSE.[47]

O poder judiciário é representado pela Comarca de Osasco.

Relações internacionais[editar | editar código-fonte]

Osasco possui oficialmente cinco cidades-irmãs:

Educação[editar | editar código-fonte]

Colégio Nossa Senhora dos Remédios, na Vila dos Remédios.

Osasco possui um sistema de ensino primário e secundário, público e privado. De acordo com o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) de 2015, que indica a qualidade do ensino nas escolas públicas, Osasco ultrapassou a meta no primeiro ciclo do ensino fundamental, com nota 5.9 e meta de 5.8 (numa escala de avaliação que vai de nota 1 à 10). No segundo ciclo, a cidade permanece com a mesma nota de 2013, com 4.3 pontos, sem bater a meta de 5.[53] A taxa de analfabetismo indicado pelo censo demográfico do IBGE de 2010 foi de 3,61% (cerca de 18.708 pessoas),[54] sendo que o maior índice se encontra na faixa etária de 60 anos ou mais (12,1%). O percentual de alfabetização de pessoas acima de 15 é de 96,39% (cerca de 499.127 pessoas). Em 2010, a cidade tinha 49 escolas municipais e 76 escolas particulares.[55] A Prefeitura do Município de Osasco presta assistência aos alunos de todas as escolas das redes municipal e estadual, que recebem diariamente merenda escolar, preparada sob supervisão de merendeiras especializadas, contratadas pelo município.[42] Segundo o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), em 2010, 4,18% da população adulta (de 25 anos ou mais) possui fundamental incompleto e é analfabeto. Segundo o mesmo censo, a maioria (34,87% das pessoas com mais de 25 anos) possui fundamental incompleto e é alfabetizado; 18,78% possui fundamental completo e médio incompleto; 28% apresenta médio completo e superior incompleto; apenas 14,2% possui superior completo.[56]

Segundo o IBGE, em 2015 o número de matriculados no Ensino Fundamental era de 92 066, enquanto no Ensino Médio era de 35 703 jovens.[57]

Centro Universitário FIEO (UNIFIEO) é um dos mais antigos Centros universitários de Osasco. A Fundação tinha por primeira finalidade criar na região uma faculdade de Direito e, posteriormente diversos outros cursos que foram criados. 90% dos Professores que passaram no Concurso Público de professores do Governo do Estado de São Paulo em 2010, eram provenientes da UNIFIEO, colocando a Universidade a frente de outras renomadas como PUC e USP. A cidade ainda conta com universidades como a Anhanguera, UNINOVE, e a Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)

Principais instituições de ensino superior e técnico[editar | editar código-fonte]

Saúde[editar | editar código-fonte]

Principais hospitais do município[editar | editar código-fonte]

  • A.a.C.D. Associação de Assistência à Criança Deficiente[68]
  • ICESP - Hospital do Câncer Unidade regional de Osasco
  • Hospital Cruzeiro do Sul[69]
  • Hospital e Maternidade Amador Aguiar[70]
  • Hospital e Maternidade João Paulo II[71]
  • Hospital Montreal S/A[72]
  • Hospital Municipal Antonio Giglio[73]
  • Hospital Dr. Vivaldo Martins Simões ( Regional )[74]
  • Hospital e Maternidade Sino Brasileiro[75]
  • Hospital e Maternidade Nossa Senhora de Fátima[76]
  • Hospital e Maternidade Renascença

Segurança Pública e Criminalidade[editar | editar código-fonte]

Apesar de ter registrando queda na criminalidade nos últimos anos, Osasco continua sendo historicamente uma cidade com alta taxa de criminalidade, sendo considerada a quarta cidade mais violenta da Grande São Paulo.[77] Porém, os principais problemas de segurança pública que a cidade possui são roubos e furtos, registrando mais de mil roubos por cem mil habitantes, e cerca de 900 furtos por 100 mil pessoas em 2017.

Já as mortes por agressões caíram de 70,93/100 mil habitantes em 1999 para 37,61/100 mil habitantes em 2004 uma redução de 47% segundo o Seade

Homicídios Dolosos por 100 mil habitantes em Osasco[78]

Esporte[editar | editar código-fonte]

A liga de vôlei feminino de Osasco (Audax) é de reconhecimento nacional, o que torna a cidade mais divulgada em outras localidades.[79] A equipe de futebol do Audax debutou na Série A1 2014, disputando pela primeira vez o escalão mais alto do Futebol Paulista. O Audax enfrentou o Santos na final do Campeonato Paulista em 2016, ficando em segundo lugar. Ginásio Poliesportivo Geodésico (Sebastião Rafael da Silva)

Estádios[editar | editar código-fonte]

A cidade possui dois estádios chamados:

Ginásios poliesportivos[editar | editar código-fonte]

A cidade possui três ginásios poliesportivos:

Clubes desportivos[editar | editar código-fonte]

Os principais clubes desportivos são:

Transportes[editar | editar código-fonte]

Osasco devido à proximidade com São Paulo, possui um trânsito semelhante ao da capital paulista. No município podem ser encontrados meios de transporte rodoviário e ferroviário.[81]

Principais vias[editar | editar código-fonte]

Arterial que liga a divisa com São Paulo à divisa com Carapicuíba, passando pelos bairros: Vila Yara, Vila Campesina, Vila Osasco, Centro, km 18 e Quitaúna.

O Viaduto Reinaldo de Oliveira, mais conhecido como viaduto metálico ou "Ponte Metálica", feito de metal, é localizado na Avenida dos Autonomistas. É o principal cartão-postal da cidade, com seus 300 metros de extensão, é o segundo maior viaduto da cidade de Osasco. Foi construída pela empresa mineira, em 20/12/1992, sediada em Ipatinga/MG, a Usiminas Mecânica, levando aproximadamente dois anos para a sua conclusão. No dia 28 de março, no "Hora do Planeta", a Secretaria do Meio Ambiente apaga as luzes do Viaduto Metálico por uma hora. Na época de natal, a prefeitura enfeita o viaduto e a Avenida Bussocaba, atraindo muitas pessoas de outras regiões.

  • Avenida Maria Campos
Liga a região central da cidade à Prefeitura, passando em frente ao Powercenter Osasco, centro comercial que engloba Super Shopping Osasco, C&C, Cobasi, Wal-Mart e Sam's Club.
  • Avenida Bussocaba/Avenida Prefeito Hirant Sanazar
Liga a Prefeitura aos bairros Jaguaribe, Novo Osasco, Jardim D'Abril, passando pela matriz do Bradesco - Cidade de Deus, pela Faculdade de Direito de Osasco e pelo Juizado Especial de Pequenas Causas.
Liga a Zona Norte à Zona Sul do município.
  • Avenida Presidente Médici
Uma das principais da zona norte que interliga os bairros do Helena Maria, Baronesa, Jardim Mutinga e Vila Ayrosa chegando a São Paulo (acesso Vila Piauí, Pirituba).
  • Avenida Getúlio Vargas
Liga os bairros IAPI e Jardim Piratininga aos bairros Helena Maria, Aliança e Baronesa, passando pelo Complexo Esportivo e Teatro do SESI, INCOR, FITO, AACD, Hospital e Maternidade Amador Aguiar e Capelinha.
  • Avenida Visconde de Nova Granada/Avenida Sport Club Corinthians Paulista
Liga o km 18 ao bairro Santo Antônio, passando pela UNIFESP, SESC e pela corporação dos Bombeiros de Osasco.
  • Avenida Santo Antônio
Liga o Jardim das Flores ao bairro Bela Vista.
  • Avenida Antônio Carlos Costa
Liga o Bela Vista ao bairro Jaguaribe.
  • Rua da Estação
Liga o Centro ao km 18.
  • Avenida Pedro Pinho
Liga o Km 18 ao Jardim Califórnia.
  • Avenida João de Andrade
Atravessa todo o Jardim Santo Antônio, do Jardim Califórnia, ao Jardim Veloso. Onde também se concentra um constante crescimento da região, em termos de comércio, bancos, mercados e etc. É onde o bairro deposita suas expectativas de ter uma qualidade de vida melhor.
  • Avenida Sarah Veloso
Atravessa o Jardim Veloso, interligando o Jardim Santo Antônio e Novo Osasco, ao Conjunto dos Metalúrgicos.
  • Complexo Viário Fuad Auada
Saída da Rodovia Castelo Branco, interligando ao Viaduto Dona Ignês Collino, levando ao Centro.
  • Avenida Hilário Pereira de Souza
Liga o Centro ao Jardim Wilson e Parque Continental.
  • Avenida Franz Voegelli
Liga a Vila Yara e Avenida dos Autonomistas ao Jardim Wilson, passando por dois campi do Centro Universitário Fieo e pelo edifício Osasco Prime Center.
  • Avenida Benedito Alves Turíbio
Liga os Bairros Jardim Cirino, Jardim Padroeira, Jardim Turíbio, Jardim Joelma, Jardim Santo Antonio, formando um "S".
  • Avenida Giuseppe Sacco
Liga os bairros Jardim Iguaçú, Jardim das Bandeiras e Jardim Padroeira ao Rodoanel e ao acesso do Bairro Parque Jandaia de Carapicuíba.
  • Avenida Padre Vicente Mellilo/Avenida Prestes Maia
Liga os bairros Bussocaba City, Jardim Novo Osasco, Jardim Umuarama e Jardim D'Abril.
Liga os bairros Jardim D'Abril, City Bussocaba ao Jardim Novo Osasco, dando acesso também ao bairro Jaguaribe.

Trens[editar | editar código-fonte]

O município é servido pelos trens das linha 8 e linha 9 da CPTM. As estações são:

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Empresas de ônibus[editar | editar código-fonte]

  • Viação Osasco
  • Auto Viação Urubupungá
  • Leads Transportes
  • Rápido Luxo Campinas (Antiga Osastur)
  • Ipojucatur (Filial)

Principais terminais rodoviários de Osasco[editar | editar código-fonte]

  • Estação Rodoviária Alfredo Tomaz (Rodoviária de Osasco), que atualmente encontra-se desativada.
  • Terminal Metropolitano Luiz Bortolosso (EMTU)
  • Terminal Amador Aguiar (Vila Yara)
  • Terminal Walt Disney (Helena Maria)
  • Terminal Largo de Osasco (Norte e Sul)
  • Terminal 1º de Maio
  • Terminal Jardim Veloso
  • Terminal Novo Osasco

Meios de comunicação[editar | editar código-fonte]

Entre os veículos de comunicação da cidade, destacam-se:

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. IBGE. «Histórico - Osasco(SP)». Consultado em 12 de setembro de 2012. 
  2. «O recorte das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias de 2017» (PDF). Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2017. p. 20–34. Consultado em 10 de agosto de 2017. 
  3. «Distância entre a São Paulo e Osasco». Consultado em 28 de maio de 2016. 
  4. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010. 
  5. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de agosto de 2018). «Estimativas da população residente nos municípios brasileiros com data referência em 1º de julho de 2018» (PDF). Consultado em 29 de agosto de 2018.. Cópia arquivada em 29 de agosto de 2018 
  6. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 31 de julho de 2013. 
  7. «Crescimento Econômico e Desigualdade de Renda no Estado de São Paulo.PNUD 2010». Consultado em 15 de agosto de 2013. 
  8. a b «Produto Interno Bruto». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 18 de dezembro de 2016. 
  9. S.A, Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano. «Região Metropolitana de São Paulo». EMPLASA 
  10. «página inicial». www.emplasa.sp.gov.br. Consultado em 21 de janeiro de 2018. 
  11. Prefeitura de Osasco. «História». Consultado em 27 de fevereiro de 2013. 
  12. «Cidades | IBGE». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 18 de dezembro de 2016. 
  13. «IBGE - Cidades». www.cidades.ibge.gov.br. Consultado em 9 de julho de 2016. 
  14. «prefeitura.osasco.sp.gov.br/InternaCidade.aspx?ID=23». prefeitura.osasco.sp.gov.br. Consultado em 30 de dezembro de 2017. 
  15. «Calendário Oficial de Osasco — Camara Municipal de Osasco - Estado de Sao Paulo». www.osasco.sp.leg.br. Consultado em 30 de dezembro de 2017.  line feed character character in |titulo= at position 29 (ajuda)
  16. «Osasco Antiga - História de Osasco». www.hagopgaragem.com. Consultado em 19 de novembro de 2016. 
  17. «Prefeitura do Município de Osasco - História». www.prefeitura.osasco.sp.gov.br  Consultado em 05 de agosto de 2013
  18. «História de Osasco». cidadebrasileira.brasilescola.com  Consultado em 09 de janeiro de 2012.
  19. a b c d «História de Osasco pelo Museu Dimitri Sensaud de Lavaud». www.achetudoeregiao.com.br  Consultado em 09 de janeiro de 2012
  20. Recenseamento do Brazil realizado em 1 de Setembro de 1920, Volume IV, 1ª parte - População - população do Brazil por Estados, municípios e districtos, segundo o sexo, o estado civil e a nacionalidade - p. 545
  21. «Imigração Italiana». www.etur.com.br  Consultado em 09 de janeiro de 2012
  22. «Imigração Japonesa». www.camaraosasco.sp.gov.br  Consultado em 09 de janeiro de 2012
  23. «História de Osasco pelo site Nossa São Paulo». www.nossosaopaulo.com.br  Consultado em 09 de janeiro de 2012
  24. «Greve da Cobrasma pelo site Causa Operária.». www.pco.org.br  Consultado em 26 de abril de 2012
  25. Jareta, Gabriel (25 de outubro de 2015). «Primeiro voo da América Latina aconteceu em Osasco». Folha de S.Paulo. Consultado em 3 de julho de 2016. 
  26. O Estado de S. Paulo. «Cem anos depois, Osasco revive o primeiro voo da América do Sul». www.estadao.com.br. Consultado em 21 de maio de 2010. 
  27. «Primeiro voo da América Latina, pela Câmara de Osasco». www.camaraosasco.sp.gov.br  Consultado em 09 de março de 2012
  28. «O Primeiro Voo da América do Sul». Câmara municipal de Osasco. Consultado em 31 de maio de 2012. 
  29. «Explosão do Osasco Plaza Shopping pelo site Estadão.». blogs.estadao.com.br  Consultado em 26 de abril de 2012
  30. «Mirante de Santana - temperaturas mínimas» 
  31. «Mirante de Santana» 
  32. a b «CLIMA: OSASCO». Climate-Data.org. Consultado em 5 de janeiro de 2016.. Cópia arquivada em 5 de abril de 2015 
  33. «Clima: Osasco - Gráfico climático, Gráfico de temperatura, Tabela climática - Climate-Data.org». 5 de abril de 2015. Consultado em 12 de novembro de 2016. 
  34. Trata Brasil. «Trta Brasil» (PDF). Consultado em 12 de julho de 2011. 
  35. IBGE. «Histórico demográfico do município de Osasco». Consultado em 1 de janeiro de 2010. 
  36. «IBGE | Cidades | Infográficos | São Paulo | Osasco | População». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 16 de novembro de 2016. 
  37. «Osasco, SP». atlasbrasil.org.br  PNUD
  38. «Econômico e Desigualdade de Renda no Estado de São Paulo. Jeronymo Marcodes. USP- Ribeirão Preto.» (PDF). www.google.com.br  Consultado em 21 de agosto de 2012.
  39. Embrapa. «Base de dados sobre áreas urbanizadas nos municípios do Brasil». Consultado em 15 de junho de 2011. 
  40. «Produto Interno Bruto a preços correntes e Produto Interno Bruto per capita segundo as Grandes Regiões, as Unidades da Federação e os Municípios - 2010-2013». IBGE. Consultado em 5 de junho de 2016. 
  41. «IBGE Cidades». IBGE. Consultado em 5 de junho de 2016. 
  42. a b c «::: Câmara Municipal de Osasco ::: Estado de São Paulo». www.camaraosasco.sp.gov.br. Consultado em 15 de novembro de 2016. 
  43. «"Osasco é a esquina comercial mais atraente do Brasil"». www.novaon.com.br. Consultado em 20 de junho de 2016. 
  44. «Casa do Violeiro do Brasil, Centro Cultural Afro-Brasileiro na Cidade Osasco - São Paulo». www.encontraosasco.com.br. Consultado em 16 de junho de 2016. 
  45. «UOL Eleições 2016 Osasco/SP: Segundo turno Rogério Lins X Lapas, apuração dos votos e resultado». UOL Eleições. Consultado em 31 de outubro de 2016. 
  46. «Título ainda não informado (favor adicionar)». www.osasco.sp.leg.br 
  47. «Título ainda não informado (favor adicionar)». www.tse.jus.br 
  48. «Osasco (Itália), cidade irmã de Osasco.». www.osasco.sp.gov.br  Consultado em 22 de janeiro de 2011
  49. «Leis de Osasco / SP». leismunicipais.com.br. Consultado em 31 de outubro de 2016. 
  50. «Xuzhou, cidade irmã de Osasco.». www.osascoagora.com.br  Consultado em 22 de janeiro de 2011
  51. «Viana, cidade irmâ de Osasco.». www.jornalcemporcentobairro.com.br  Consultado em 22 de janeiro de 2011.
  52. «Tsu, cidade irmã de Osasco.». www.camaraosasco.sp.gov.br  Consultado em 22 de Janeiro de 2011
  53. Augusto, Fernando (9 de setembro de 2016). «Escolas municipais de Osasco ultrapassam meta no Ideb - Visão Oeste». Visão Oeste 
  54. «IBGE | Cidades | São Paulo | Osasco | Censo Demográfico 2010: Resultados do Universo - Indicadores Sociais Municipais». www.cidades.ibge.gov.br. Consultado em 1 de novembro de 2016. 
  55. «Lista das Escolas Municipais de Osasco | Osasco Agora - A um clique da Informação». www.osascoagora.com.br. Consultado em 1 de novembro de 2016. 
  56. «Título ainda não informado (favor adicionar)» 
  57. «IBGE | Cidades | São Paulo | Osasco | Síntese das Informações». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 15 de novembro de 2016. 
  58. «Site Vestibulinho ETEC». www.vestibulinhoetec.com.br  Consultado em 26 de abril de 2012.
  59. «Site do SEANAI- Unidade Osasco». www.sp.senai.br  Consultado em 26 de abril de 2012
  60. «Site do SENAC- Unidade Osasco». www.sp.senac.br 
  61. «Site do Centro Universitário FIEO» 
  62. «Site da Faculdades Anhanguera- Unidade Osasco.». www.anhanguera.com  Consultado em 26 de abril de 2012.
  63. «Site da Uniban- Unidade Osasco». www.uniban.br  Consultado em 26 de abril de 2012.
  64. «Site Oficial da Faculdade Fernão Dias». www.faculdadefernaodias.edu.br  Consultado em 26 de abril de 2012.
  65. «Site oficial da FIPEN». www.fipen.edu.br  Consultado em 26 de abril de 2012.
  66. «UNIFESP Campus Osasco». www.unifesp.br  Consultado em 26 de abril de 2012.
  67. [«Título ainda não informado (favor adicionar)» Verifique valor |url= (ajuda). www.fatecosasco.edu.br  Consultado em 24 de outubro de 2012.
  68. CNESNet. «Estabelecimento de Saúde». Consultado em 27 de fevereiro de 2013. 
  69. «Site Oficial do Hospital Cruzeiro do Sul». www.cruzeirodosul.com.br  Consultado em 26 de abril de 2012
  70. «Hospital Amador Aguiar pelo CNES.net». cnes.datasus.gov.br  Consultado em 26 de abril de 2012.
  71. «pelo CNES.net». cnes.datasus.gov.br  Consultado em 26 de abril de 2012.
  72. «Site do Hospital Montreal, pelo Help Saúde». www.helpsaude.com  Consultado em 26 de abril de 2012.
  73. «Hospital Antonio Giglio, pelo site CNES.net». cnes.datasus.gov.br  Consultado em 26 de abril de 2012.
  74. «Hospital Regional, pelo site CNES.net». cnes.datasus.gov.br  Consultado em 26 de abril de 2012.
  75. «Site Oficial do Hospital Sino Brasileiro». www.sinobrasileiro.com.br  Consultado em 26 de abril de 2012.
  76. CNESNet. «Estabelecimento de Saúde». Consultado em 27 de fevereiro de 2013. 
  77. «As cidades mais violentas da Grande SP; Osasco é a 4ª». 3 de agosto 2017 
  78. http://www.ssp.sp.gov.br/novaestatistica/Pesquisa.aspx
  79. «OSASCO VOLEIBOL CLUBE (F) - Equipe Feminina - Superliga de Vôlei». www.voleibrasil.org.br. Consultado em 18 de junho de 2016. 
  80. Confederação Brasileira de Volei. «Osasco Voleibol Clube». Consultado em 27 de fevereiro de 2013. 
  81. Departamento Nacional de Trânsito. «Denatran Frota 2010». Consultado em 12 de julho de 2011. 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • OLIVEIRA, Neyde Collino de; NEGRELLI, Ana Lúcia Marquetti Rocha. Osasco e sua história. São Paulo: CG Editora, 1992.
  • SANAZAR, Hirant. Osasco - Sua história, sua gente. Osasco: ed. do autor, 2003.
  • FAVARÃO, Mazé (apres.). Osasco conta sua história através dos bairros. Osasco: Secretaria de Educação, 2007.
  • METROVICHE, Eduardo (org.). Osasco - Um século de fotografia. Osasco: Maxprint Editora, 2007.
  • PAVÃO, Lucas. Memórias...Algumas histórias de Lucas Pavão na antiga Vila de Osasco. Osasco: Edifieo, 2010.
  • PIGNATARI, Helena Werner. Raizes do movimento operário em Osasco. São Paulo: Cortez Ed.
  • PITERI, Guaçu. Sonhar é preciso - Comunidade e política nos tempos da Ditadura. Osasco: Edifieo, 2008.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikcionário Definições no Wikcionário
Wikilivros Livros e manuais no Wikilivros
Wikisource Textos originais no Wikisource
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons
Wikinotícias Notícias no Wikinotícias
Wikivoyage Guia turístico no Wikivoyage
Meta-Wiki Meta-Wiki