Universidade Federal de São Paulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Universidade Federal de São Paulo
UNIFESP
Fundação 1 de junho de 1933 (89 anos) (Escola Paulista de Medicina)
15 de dezembro de 1994 (27 anos) (Universidade)
Tipo de instituição Pública federal
Localização São Paulo, {{{país}}}
Reitor(a) Nelson Sass[1]
Vice-reitor(a) Raiane Patrícia Severino Assumpção
Total de estudantes aprox. 23 000 (2020)
Graduação 13 000 (2020)
Pós-graduação 10 000 (2020)
Campi 7
Índice Geral de Cursos 5 (2018)
Orçamento anual 1 440 334 247 (2021)[2]
Página oficial www.unifesp.br

A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) é uma instituição de ensino superior pública brasileira localizada no estado de São Paulo,[3] sendo uma das três universidades federais do estado, ao lado da Universidade Federal de São Carlos[4] (UFSCar) e a Universidade Federal do ABC[5] (UFABC). Formada por 7 campi distribuídos pelo estado, eles estão localizados na cidade de: Diadema, Guarulhos, Osasco, Santos, São José dos Campos e São Paulo (com Campus São Paulo e Campus Zona Leste).[6]

A Escola Paulista de Medicina, que deu origem à universidade, foi fundada em 1933 como uma escola de medicina privada na Vila Clementino. Em 1938 foi inaugurada no mesmo bairro a Escola Paulista de Enfermagem e o Hospital São Paulo, usados como centro de pesquisa e extensão universitária.[7] Com o passar dos anos se sustentou por meio de recursos privados e subsídios governamentais até ser nacionalizada como instituição federal em 1956.[8] Em meio a uma série de crises nos anos de 1960 e 1970, foi planejada sua transformação em universidade, o que não se concretizou. Somente em 1994 foi fundada a Unifesp como universidade especializada em ciências da saúde[9]. A partir do Plano de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (REUNI), a Unifesp foi expandida em novos centros de ensino superior nos municípios de Santos, Diadema, Guarulhos, São José dos Campos e Osasco, lecionando cursos em diferentes áreas do conhecimento.[10]

O curso de Medicina foi classificado em 1º lugar no Ranking Universitário da Folha de S.Paulo de 2016,[11] avaliação feita entre as universidades do país. Em 2022, a Unifesp apareceu entre as melhores universidades da América Latina (4º lugar) pela Times Higher Education, sendo a 3ª melhor universidade brasileira e a primeira universidade federal do país.[12][13] É reconhecida pelo Ministério da Educação como uma das melhores instituições de ensino superior do país, possuindo nota máxima no Índice Geral de Cursos de 2019.[3]

Segundo o Guia da Faculdade do jornal Estado de São Paulo, a Universidade Federal de São Paulo obteve nota máxima em 10 cursos,[14] entre eles: Medicina, Enfermagem, Psicologia, Fonoaudiologia, Filosofia, História bacharelado, História Licenciatura, Pedagogia, Matemática Computacional e Educação Física.[15] O curso de Medicina foi considerado, em 2021, como o segundo melhor da América Latina, segundo o EduRank.[16]

História[editar | editar código-fonte]

Criada oficialmente em 1994, a Unifesp originou-se da Escola Paulista de Medicina (EPM), entidade privada fundada em 1933 que foi federalizada em 1956. Em 1940, a EPM inaugurou o Hospital São Paulo, primeiro hospital-escola do País, que hoje é o Hospital Universitário da Unifesp, localizado no campus São Paulo, no bairro Vila Clementino.[7] Desde o início do século XXI a Unifesp tem apresentado rápida expansão territorial e diversificação dos cursos oferecidos, deixando de ser a outrora "Universidade da Saúde" para ser a "Universidade do Conhecimento".[17]

Logotipo[editar | editar código-fonte]

O logotipo atual da Unifesp foi escolhido em 2008, baseado no prédio que abrigou a EPM a partir de 1936, o Edifício Leitão da Cunha, aonde hoje estão sediados a Diretoria da EPM, os Departamento de Morfologia e Genética, o Museu Histórico, a Sala EPM/Xingu e o Anfiteatro Leitão da Cunha. O logotipo atual substitui o logo que foi da Escola Paulista de Medicina desde 1938, criado pelo presidente do C.A.P.B à época, o aluno Delfino Oliveira Vianna e que em 1995 foi adaptado para ser o logo da nova Universidade com o acréscimo do nome Unifesp à parte superior do escudo.[18]

Campi[editar | editar código-fonte]

Atualmente a Unifesp é composta por sete campi distribuídos pelo estado de São Paulo:

Campus São Paulo (Escola Paulista de Medicina e Escola Paulista de Enfermagem)[editar | editar código-fonte]

Edifício Leitão da Cunha, sede definitiva da Escola Paulista de Medicina (EPM). R. Botucatu, 720 - Vila Clementino, São Paulo

Os Campi São Paulo, localizados na cidade de São Paulo, com origem no bairro de Vila Clementino - com as atividades iniciadas em 1936, sendo o primeiro e maior, onde localiza-se a sede da reitoria da Unifesp (Rua Sena Madureira, 1 500), seu hospital universitário (Hospital São Paulo) e onde são atualmente ministrados os cursos de medicina, enfermagem, biomedicina, fonoaudiologia e tecnologias em saúde com habilitação em oftalmologia, radiologia ou informática em saúde.[19] Nele encontra-se a Biblioteca Regional de Medicina (BIREME), desde 1957; mantida com a ajuda da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS)/Organização Mundial da Saúde (OMS).[20]

A sede da Reitoria era o Edifício Octávio de Carvalho (que desde sua inauguração nos anos 1970 também foi a sede da Diretoria da E.P.M.) até dezembro de 2009, sendo agora o edifício localizado na Rua Sena Madureira, 1500; reunindo a Reitoria, as Pró-Reitorias e o aparato administrativo.[4]

Campus Baixada Santista (Instituto de Saúde e Sociedade e Instituto do Mar)[editar | editar código-fonte]

O campus Baixada Santista - primeiro fora da cidade de São Paulo, iniciou suas atividades na cidade de Santos com cursos sequenciais em saúde no ano de 2004. A partir de 2006, iniciaram-se nele os cursos de graduação na área de saúde: educação física, fisioterapia, nutrição, psicologia, terapia ocupacional e em 2009, o curso de serviço social. Até então, funcionava nas unidades provisórias do bairros de Vila Mathias (Unidade I), Ponta da Praia (Unidade II) e Vila Belmiro (Unidade III). Em 2006 a Unifesp recebeu do Governo do Estado de São Paulo os terrenos da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) e da Hospedaria dos Imigrantes de Santos, para a construção de sua sede definitiva. Em março de 2011, no entanto, a Universidade desistiu de contar com a Hospedaria e a devolveu ao governo estadual.[21] Em 2012, mais um curso é criado, o Bacharelado em Ciência e Tecnologias do Mar que possibilita o ingresso em outras duas engenharias: do Petróleo e Ambiental. A partir de 2012, o Campus passou a contar com 4 unidades, com a inauguração da Unidade Central construída em terreno da Codesp, na Vila Mathias. Em 2019 é criado o Instituto do Mar como segunda unidade universitária do campus Baixada Santista.[22]

Campus Diadema (Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas)[editar | editar código-fonte]

O campus Diadema, concentrado basicamente no Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas, foi inaugurado em 2007 ofertando os cursos de farmácia (integral), ciências biológicas (bacharelado), química e engenharia química (período integral), recebendo em 2009 os cursos de farmácia, química industrial e engenharia química no período noturno e em 2010, os cursos de ciências (licenciatura) e ciências ambientais. A partir de 2013, o Campus é constituído das unidades José de Fillipi, Manoel da Nóbrega, José Alencar - Complexo Didático, Prédio de Pesquisa e Antonio Doll.[23]

EFLCH - Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Unifesp Campus Guarulhos

Campus Guarulhos (Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas)[editar | editar código-fonte]

O campus de Guarulhos, composto pela Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, foi o primeiro na universidade dedicado a pesquisa, ensino e extensão na área de filosofia e ciências humanas. Está localizado no distrito dos Pimentas, e foi inaugurado em 2007. No Campus Guarulhos são ministrados desde esse ano os cursos de ciências sociais, filosofia, história (os três com habilitação em Licenciatura e Bacharelado) e pedagogia (com habilitação em Licenciatura). A partir de 2009 o campus recebeu os novos cursos de história da arte (Bacharelado) e letras (Bacharelado e Licenciatura). Possui também cursos de mestrado e doutorado. Entre setembro de 2013 e abril de 2016, a unidade passou por reforma e expansão, e as atividades foram transferidas para uma escola alugada no centro de Guarulhos. A sede começou a ser construída em 2013 e deveria ter sido entregue em janeiro de 2015. No entanto, com o atraso das obras, só foi concluído e inaugurado formalmente em 2 de junho de 2016.[24][25]

Campus São José dos Campos (Instituto de Ciência e Tecnologia)[editar | editar código-fonte]

O campus São José dos Campos, composto basicamente pelo Instituto de Ciência e Tecnologia, localizado no parque tecnológico, no distrito de Eugênio de Melo, sendo sede do curso de Ciência da Computação (Bacharelado); também inaugurado em 2007. Em 2009 teve início o curso de matemática computacional (Bacharelado). Em 2011 iniciou-se os cursos de ciência e tecnologia (Bacharelado Interdisciplinar), que dá acesso aos Bacharelados em biotecnologia, ciência da computação e matemática computacional e às engenharias biomédica, de computação e de materiais.[26]

Campus Osasco (Escola Paulista de Política, Economia e Negócios)[editar | editar código-fonte]

O campus Osasco, composto basicamente pela Escola Paulista de Política, Economia e Negócios, foi inaugurado em 2011 em prédio provisório cedido pela FAC-FITO e pela prefeitura municipal. Abriga a EPPEN - Escola Paulista de Política, Economia e Negócios, onde são ministrados os cursos de administração, ciências contábeis, ciências econômicas e relações internacionais. Recebeu, a partir de 2013, o curso de ciências atuariais e em 2021 começou a ofertar o curso de Direito.[27][28]

Campus Zona Leste (Instituto das Cidades)[editar | editar código-fonte]

O campus Zona Leste, localizado no bairro de Itaquera, em São Paulo, foi inaugurado em 2020 (iniciando apenas com o curso de geografia). Foram aprovados cinco cursos de graduação (administração pública, arquitetura e urbanismo, engenharia ambiental e sanitária, engenharia civil e geografia) pelo Conselho Universitário e pelo Conselho de Graduação, ambos da Unifesp. Os projetos pedagógicos estão em desenvolvimento por comissão específica nomeada por portaria da Pró-Reitoria de Graduação.[29][30]

Graduação[editar | editar código-fonte]

Listados conforme área do conhecimento, ano de criação, número de vagas (sistema universal + cotas), período, duração e respectivo Campus.

Biológicas

Exatas

Humanas

  • Administração (2011) - 80 vagas, integral e noturno, 4-5 anos, Osasco
  • Ciências Contábeis (2011) - 80 vagas, integral e noturno, 4-5 anos, Osasco
  • Ciências Econômicas (2011) - 80 vagas, integral 4-5 anos, Osasco
  • Ciências Atuariais (2013) - 40 vagas integral / 40 vagas noturno, 8 e 10 semestres, Osasco
  • Direito (2021) - 80 vagas, integral, 5 anos
  • Ciências Sociais (2007) - bacharelado, 120 vagas, vespertino e noturno, 4 anos, Guarulhos
  • Filosofia (2007) - bacharelado, 120 vagas, vespertino e noturno, 4 anos, Guarulhos
  • Geografia (2020) - bacharelado e licenciatura, 60 vagas, matutino, 4 anos, Zona Leste
  • História (2007) - bacharelado e licenciatura, 120 vagas, vespertino e noturno, 4 anos, Guarulhos
  • História da Arte (2009) 50 vagas, noturno, 4 anos, Guarulhos
  • Letras- bacharelado e licenciatura, especialização em inglês, espanhol e francês, 200 vagas, vespertino e noturno, 4 anos, Guarulhos
  • Relações Internacionais (2011) - 80 vagas, integral e noturno, 4-5 anos, Osasco
  • Serviço Social (2009) - 100 vagas, vespertino e noturno, 4 anos, Santos
  • Pedagogia (2007) - 120 vagas, vespertino e noturno, 4,5 anos, Guarulhos
Extintos ou interrompidos

  • Curso Superior Sequencial de Formação Específica em Gestão em Saúde (2003-2005), 2 anos, 25 vagas - São Paulo e Santos.
  • Curso Superior Sequencial de Formação Específica em Educação e Comunicação em Saúde (2004- 2007), 2 anos, 15 vagas - São Paulo.

(Ambos os cursos foram ministrados no Campus de Santos e em São Paulo e visavam à formação técnica para atuação em gestão na área de Saúde e Educação e Comunicação na mesma. Sem previsão de novas turmas).

Modificado

  • Ortóptica - Técnico de 1947 a 1962; superior de 1962-1998 para Tecnologia Oftálmica (1997).
  • Tecnologia Oftálmica (1997 - 2007) para Tecnologia Oftálmica e Radiológica - Tecnologia em Saúde (2008).
  • Tecnologia em Saúde (Tecnologia Oftálmica e Radiológica) (2008) - para Tecnologias em Saúde: Oftálmica, Radiológica e Informática em Saúde (2009).
  • Ciências Químicas e Farmacêuticas (2009) - curso extinto pelo MEC em 2009, passando a ser Farmácia e Química Industrial, ambos os cursos noturnos.
  • Bacharelado em Ciência da Computação (2011) - Modificado para pós-BCT (Bacharelado em Ciência e Tecnologia).
  • Bacharelado em Matemática Computacional (2011) - Modificado para pós-BCT (Bacharelado em Ciência e Tecnologia).
  • Tecnologias em Saúde: Oftálmica, Radiológica e Informática (2009 - 2013) - para Tecnologia Oftálmica, Tecnologia em Radiologia e Tecnologia em Informática Biomédica.
  • Licenciatura Plena em Ciências (2010-2014) - Modificado para Ciências, após a aprovação do curso pelo MEC.
Cursos de Tecnologia em Saúde da Unifesp

O Curso de Tecnologia Oftálmica substituiu o tradicional Curso de Ortóptica que em 1962 passou a ser de responsabilidade da Disciplina de Oftalmologia da Escola Paulista de Medicina. Em 1988, o então Curso de Ortóptica teve seu currículo modificado, carga horária e áreas de abrangência ampliadas, formando, a partir desta data, um profissional com dupla capacitação: ortóptica e tecnologia oftálmica, até sua extinção, com a graduação da última turma de alunos com o curso nestes moldes, em 1998. A partir de 1997, o curso com nova estrutura e a nova denominação de Curso de Tecnologia Oftálmica, segundo Portaria do MEC n° 943 de 15.08.1997, passou a formar profissionais somente nesta área, tendo a primeira turma colado grau em 1999. Em maio de 2007 o CONSU Unifesp aprovou alteração no curso de Tecnologia Oftálmica para oferecer a partir de 2008 o curso de Tecnologia Oftálmica e Radiológica (Tecnologias em Saúde), aumentando a duração para 4 anos e oferecendo, após o ciclo básico comum, a vertente de Radiologia com 9 vagas ou a de Oftálmica com 16 vagas aos alunos, que posteriormente tornaram-se 15 vagas para ambas. Atualmente, são oferecidos 17 vagas para cada curso, sendo a modalidade de ingresso por meio do SISU.[31][32]

Em 2009, nova mudança no curso, foi aprovado mais uma área a ser oferecida, denominada Tecnologia em Informática em Saúde – 15 vagas. Atualmente são fornecidas 17 vagas com duração de 6 semestres.[33]

Órgãos estudantis[editar | editar código-fonte]

A transformação da Escola Paulista de Medicina para Universidade Federal de São Paulo trouxe também a necessidade de mudança da representação discente e organização estudantil, que foi tomando corpo nos anos 1990 e que está se expandindo na medida da implantação dos novos campi e cursos. Dos antigos "Centros Acadêmicos" que existiam no Campus Vila Clementino, como o pioneiro C.A.P.B. do curso de Medicina , houve a criação de uma estrutura de Diretório Central de Estudantes (DCE) e surgimento de Diretórios Acadêmicos, bem como novos CAs (Centros Acadêmicos) e associações acadêmicas ou atléticas para alguns dos cursos recém-implantados.

O principal organismo estudantil, o Diretório Central de Estudantes, foi fundado em 2001, e está localizado na Rua Pedro de Toledo 840, ao lado da AAAPB, ocupando o prédio que foi no passado o Centro de Saúde da Vila Clementino.

Centros e diretórios acadêmicos[editar | editar código-fonte]

Centros e diretórios acadêmicos Sigla Fundação Cursos representados Campus
Centro Acadêmico Pereira Barretto CAPB 08/1933 Medicina São Paulo
Centro Acadêmico Ana Cristina Passarella Brêtas[nota 1] CAAB 10/07/1979 Enfermagem São Paulo
Centro Acadêmico de Economia CAE 25/11/2015 Ciências Econômicas Osasco
Centro Acadêmico de Relações Internacionais CARI 10/2014 Relações Internacionais Osasco
Centro Acadêmico de Ciências Atuariais CATU 06/2016 Ciências Atuariais Osasco
Centro Acadêmico Leal Prado[nota 2] CALP Biomedicina São Paulo
Centro Acadêmico de Tecnologias em Saúde CATS 10/2012 Tecnologia Oftálmica, Tecnologia em radiologia e Tecnologia em Informática em Saúde São Paulo
Centro Acadêmico de Fonoaudiologia Jacy Perissinoto[nota 3] CAF 1996 Fonoaudiologia São Paulo
Centro Acadêmico Ada King CAAK São José dos Campos
Centro Acadêmico Alexander Fleming CAAF Farmácia bioquímica Diadema
Cento Acadêmico Unifesp de Engenharia Química CAUEQ Engenharia Química Diadema
Centro Acadêmico III de Setembro CAIIIS Ciências Biológicas Diadema
Centro Acadêmico Simão Matias CASM Química, Química industrial Diadema
Centro Acadêmico de Ciências Ambientais Unifesp CACAU Ciências Ambientais Diadema
Centro Acadêmico Professora Anna Canavarro CAPAC Ciências Diadema
Centro Acadêmico Unificado da Unifesp Baixada Santista CA Unificado Baixada Santista
Diretório Acadêmico XIV de Março DA XIV/08 Administração, Ciências Atuariais, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas e Relações Internacionais Osasco
Centro Acadêmico de Pedagogia Cecília Meireles CAPED 2008 Pedagogia Guarulhos

Associações atléticas[editar | editar código-fonte]

A universidade possui pelo menos 6 associações atléticas em funcionamento:

  • Associação Atlética Acadêmica Pereira Barretto;
  • Associação Atlética Acadêmica Unifesp Diadema;
  • Associação Atlética Acadêmica Jean Azevedo;
  • Associação Atlética Acadêmica Unifesp Osasco;
  • Associação Atlética Acadêmica IV de Junho;
  • Associação Atlética Acadêmica Unifesp Guarulhos.[34]

Reitores da Unifesp[editar | editar código-fonte]

Lista de reitores da Unifesp desde o seu estabelecimento como universidade:[35]

  • 1994 - 1995: Manoel Lopes (quando da criação da Unifesp) * Pró-tempore;
  • 1995 - 2003: Hélio Egydio Nogueira (Departamento de Cirurgia - Disciplina de Urologia)
  • 2003 - 2008: Ulysses Fagundes Neto (Departamento de Pediatria)
  • 2008 - 2009: Marcos Pacheco Ferraz (Departamento de Psiquiatria. Após renúncia do reitor à época) * Pró-tempore;
  • 2009 - 2013: Walter Manna Albertoni (Departamento de Ortopedia e Traumatologia);
  • 2013 - 2017: Soraya Soubhi Smaili (Departamento de Farmacologia);
  • 2017 - 2021: Soraya Soubhi Smaili (Departamento de Farmacologia);
  • 2021 - atual: Nelson Sass (Departamento de Obstetrícia).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Anteriormente denominado por Associação dos Alunos do Departamento de Enfermagem da Escola Paulista de Medicina.
  2. até maio de 2004 chamava-se Associação Acadêmica Leal Prado.
  3. anteriormente Associação Acadêmica de Fonoaudiologia da UNIFESP - AAFUNIFESP.

Referências

  1. «DECRETO DE 3 DE MAIO DE 2021». Diário Oficial da União. 4 de maio de 2021. Consultado em 22 de setembro de 2021 
  2. «Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP». Portal da Transparência. Consultado em 23 de setembro de 2021 
  3. a b «e-MEC - Ministério da Educação». emec.mec.gov.br. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  4. a b «Apresentação — Universidade Federal de Sao Carlos». UFSCar. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  5. «Sobre - Universidade Federal do ABC». www.ufabc.edu.br. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  6. Unifesp. «Apresentação Unifesp» 
  7. a b A Universidade Federal de São Paulo aos 75 anos : ensaios sobre história e memória. Jaime Rodrigues, Ana Lúcia Lana Nemi, Karen Macknow Lisboa, Luigi Biondi. São Paulo, Brazil: [s.n.] 2008. OCLC 982228915 
  8. «Portal da Câmara dos Deputados». www2.camara.leg.br. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  9. «L8957». www.planalto.gov.br. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  10. Educa+Brasil. «Sobre a Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)» 
  11. «Medicina - Ranking de Cursos - Ranking Universitário Folha - 2016». ruf.folha.uol.com.br. Consultado em 30 de março de 2017 
  12. «Latin America Rankings». Times Higher Education (THE) (em inglês). 6 de julho de 2022. Consultado em 16 de julho de 2022 
  13. «Quais são as melhores universidades do Brasil e por quê». educacao.uol.com.br. Consultado em 16 de julho de 2022 
  14. «Os destaques entre as Instituições Públicas». Guia da Faculdade. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  15. «Você pesquisou por unifesp». Guia da Faculdade. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  16. «100+ Best Medical Schools in Latin America [2021 Rankings]». EduRank.org - Discover university rankings by location (em inglês). 11 de agosto de 2021. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  17. NEMI, ANA; GALLIAN, DANTE; MINHOTO, MARIA ANGÉLICA PEDRA (23 de março de 2021). Unifesp 25 Anos: Histórias e Reflexões. [S.l.]: Editora Unifesp 
  18. «Manual de Marca» (PDF)  - UNIFESP
  19. «Sobre o Campus». Campus São Paulo - UNIFESP. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  20. Silva, Márcia Regina Barros da; Ferla, Luis; Gallian, Dante Marcello Claramonte (março de 2006). «Uma 'biblioteca sem paredes': história da criação da Bireme». História, Ciências, Saúde-Manguinhos (1): 91–112. ISSN 0104-5970. doi:10.1590/S0104-59702006000100006. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  21. Rejane, Lima (11 de março de 2011). «Unifesp devolve ao governo paulista prédio doado há 6 anos». Estadão. Consultado em 23 de setembro de 2021 
  22. Unifesp. «Apresentação Campus Baixada Santista» 
  23. Unifesp. «Apresentação Campus Diadema» 
  24. Fajardo, Vanessa (2 de junho de 2016). «Com 15 meses de atraso, campus da Unifesp em Guarulhos é inaugurado». G1. Globo.com. Consultado em 1 de julho de 2016 
  25. Machado, Leandro (2 de junho de 2016). «Com quase um ano de atraso, Unifesp 'reinaugura' campus em Guarulhos». Folha de S.Paulo. Consultado em 23 de setembro de 2021 
  26. Unifesp. «Apresentação Campus São José dos Campos» 
  27. «Renan Quinalha e Soraya Smaili: Direito na Unifesp: a serviço da democracia e do interesse público». Folha de S.Paulo. 17 de maio de 2021. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  28. Unifesp. «Apresentação campus Osasco» 
  29. «Campus Zona Leste». www.unifesp.br. Consultado em 19 de novembro de 2015 
  30. «Universidade Federal abre vagas na zona leste de São Paulo». R7.com. 6 de novembro de 2019. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  31. «Cursos de graduação da UNIFESP». www3.unifesp.br. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  32. «Cursos de graduação da UNIFESP». www3.unifesp.br. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  33. «Cursos de Graduação - Ingresso». ingresso.unifesp.br. Consultado em 4 de fevereiro de 2022 
  34. «Quem somos». Associação Atlética Acadêmica Pereira Barretto. Consultado em 23 de setembro de 2021 
  35. «Gabinete Reitoria». www.unifesp.br. Consultado em 13 de março de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]