Museu do Relógio Professor Dimas de Melo Pimenta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Museu do Relógio)
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura o museu com o mesmo nome em Serpa, veja Museu do Relógio (Serpa).

O Museu do Relógio Professor Dimas de Melo Pimenta é um museu brasileiro temático dedicado a mostrar a evolução histórica do relógio, localizado na Zona Oeste de São Paulo (cidade), na sede da DIMEP - Dimas de Melo Pimenta Sistemas de Ponto e Acesso Ltda.

Localizado na Avenida Mofarrej, 840, no bairro Leopoldina, na Zona Oeste de São Paulo, o Museu funciona de segunda à sexta-feira, das 10h30 às 16h00, não abrindo em feriados e vésperas. As visitas, com entrada gratuita, precisam ser agendadas com pelo menos um dia de antecedência através do telefone (11) 3646-4000.

História[editar | editar código-fonte]

Fundado em 1975 [1], pelo professor Dimas de Melo Pimenta, o museu possui relógios de vários tipos, modelos, marcas, mecanismos e épocas. O acervo, que começou com peças do próprio professor Dimas, hoje possui mais de 650 artefatos [2] e conta com relógios históricos, além de doações de pessoas de diversas partes do mundo.

O museu passou por reforma e ampliação, sendo reaberto em outubro de 2011. Em novembro do mesmo ano, o Museu do Relógio Professor Dimas de Melo Pimenta lançou um livro de nome homônimo [3]. A data foi escolhida por Dimas de Melo Pimenta II, filho do professor e atual presidente da DIMEP, em comemoração aos 75 anos de fundação da empresa criada por Pimenta em 1936. Na obra, encontram-se fotos e informações de cerca de 100 relógios dos mais de 600 expostos dentro do museu.

Retrospectiva anual[editar | editar código-fonte]

O Museu realiza anualmente a "Retrospectiva Anual", quando o acervo agrega à suas mais de 600 peças outros relógios históricos para exposição ao público.Esse evento é uma homenagem ao Professor Dimas de Melo Pimenta, que fazia uma mostra com o mesmo nome e com a mesma frequencia para apresentar para a sociedade as novas adições de sua coleção, que viria a se tornar o museu [4]. Em 2015 foi realizada a 43ª edição da "Retrospectiva Anual" [5], que teve como principal atração o relógio espião, criado na Alemanha Ocidental na década de 1950.

Principais itens do acervo[editar | editar código-fonte]

Alguns relógios da coleção atraem interesse particular. Entre os mais interessantes, é possível mencionar um relógio fabricado pela empresa suíça Alliez & Berguer, doado pela segunda imperatriz brasileira, Amélia de Leuchtenberg, esposa de D. Pedro I [6] ou um relógio despertador que prepara café automaticamente. Além destes, também é digno de nota o relógio mais antigo da coleção, fabricado na Alemanha, no século XVI, tão antigo que não sequer possui o ponteiro dos minutos porque essa funcionalidade ainda não havia sido concebida. [7]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]