Estação Ana Rosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Metrô-SP icon.svg Ana Rosa
Plataforma da Linha 2-Verde
Uso atual Estação de Metrô Estação de metrô
Proprietário Bandeira do estado de São Paulo.svg Governo do Estado de São Paulo
Administração Metrô-SP icon.svg Metrô de São Paulo
Linha 1blue.png Azul
2green.png Verde
Sigla ANR
Posição Subterrânea
Plataformas 1blue.png (Central)
2green.png (Central)
Serviços Elevador Acesso à deficiente físico
Informações históricas
Inauguração 17 de fevereiro de 1975 (44 anos)
(Linha 1)
12 de setembro de 1992 (26 anos)
(Linha 2)
Projeto arquitetônico Silvio Barros Sawaya (Linha 1) e

Roberto McFadden (Linha 2) [1][2]

Endereço Rua Vergueiro, 505 - Vila Mariana
Próxima estação
Sentido Tucuruvi 1blue.png Sentido Jabaquara
Paraíso Vila Mariana
Ana Rosa
Sentido Vila Madalena 2green.png Sentido Vila Prudente
Paraíso Chácara Klabin
Ana Rosa

A Estação Ana Rosa é uma estação do Metrô de São Paulo localizada no centro da Vila Mariana.

Faz a integração da Linha 1–Azul com a Linha 2–Verde.[3]

A estação da Linha 1–Azul foi inaugurada oficialmente em 17 de fevereiro de 1975, e a da Linha 2–Verde foi inaugurada em 12 de setembro de 1992.[3]

Possui acesso para pessoas portadoras de deficiência física com a utilização de plataforma de elevação inclinada. A estação esta integrada com Terminal de Ônibus Urbano e Estacionamento.

A estação possui este nome pois vem de Dona Ana Rosa de Araújo Galvão, que doou sua herança para a criação do Instituto Dona Ana Rosa, que cuidava de crianças abandonadas, depois o nome foi dado ao largo Dona Ana Rosa.

Demanda média da estação[editar | editar código-fonte]

A estação tem um número de entradas de 39 mil passageiros por dia, sendo que 33 mil deles vão para a Linha 1–Azul, e os apenas seis mil restantes, escolhem a Linha 2–Verde.[4]

Características[editar | editar código-fonte]

Estação subterrânea de integração da Linha 1–Azul e da Linha 2–Verde.[3]

Composta por mezanino de distribuição e uma plataforma central para cada linha com estrutura em concreto aparente.[3]

Capacidade de até 40.000 passageiros por dia.[3]

Área construída de 9.220 m² (Linha 1–Azul) e 6.013 m² (Linha 2–Verde).[3]

Obras de arte[editar | editar código-fonte]

  • "Engates Laterais", Glauco Pinto de Moraes, pintura (1992), tela e tinta a óleo (1,90 x 2,40 m), instalada na plataforma.[5]
  • "Figuras", Lygia Reinach, escultura (1992), barro queimado, 80 peças de 1,70 m de altura, instaladas no mezanino.[5]
  • "A Sagração da Primavera", Luiz Gonzaga Mello Gomes, painel/escultura (1999),(2,20 x 4,50 m), instalado no mezanino.[5]

Tabelas[editar | editar código-fonte]

Linha Terminais Inauguração Comprimento (km) Estações Duração das viagens (min) Funcionamento (*)
1
Azul
TucuruviJabaquara 14 de setembro de 1974 20,2 23 47 Diariamente, das 4h40 à 0h32; Sábados até a 1 hora de domingo
2
Verde
Vila MadalenaVila Prudente 25 de Janeiro de 1991 14,7 14 28 Diariamente, das 4h40 à 0h24; Sábados até a 1 hora de domingo
Sigla Estação Inauguração Capacidade Integração Plataformas Posição Notas
ANR Ana Rosa 17 de fevereiro de 1975 (Linha 1–Azul) e 12 de setembro de 1992 (Linha 2–Verde) 40 mil passageiros hora/pico Entre as Linhas 1–Azul e 2–Verde, e com o Bilhete Único da SPTrans Centrais Subterrânea Estação com estrutura de concreto aparente
Layout da via
(sentido Tucuruvi)
Plataforma
(sentido Jabaquara)
Precedido por
Paraíso
Distância: 702 metros
Linha 1–Azul do Metrô
Ana Rosa
Sucedido por
Vila Mariana
Distância: 973 metros
Precedido por
Paraíso
Distância: 706 metros
Linha 2–Verde do Metrô
Ana Rosa
Sucedido por
Chácara Klabin
Distância: 1.526 metros
Layout da via
(sentido Vila Madalena)
Plataforma
(sentido Vila Prudente)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Kássio Massa (15 de março de 2018). «Existe Arquitetura no subsolo! - As estações subterrâneas da Linha1-Azul do metrô paulistano em desenhos». Revista Viés Arquitetônico. Consultado em 5 de fevereiro de 2019 
  2. Alexandre Seixas e Renato Anelli (janeiro de 2008). «Arquitetura, cidade e transportes». Revista AU, edição 166. Consultado em 5 de fevereiro de 2019 
  3. a b c d e f Metrô de São Paulo. «Estação Ana Rosa». Consultado em 1 de abril de 2019 
  4. Demanda média da estação e outras estações do Metrô
  5. a b c «Roteiro de Arte do Metrô de São Paulo» 
Ícone de esboço Este artigo sobre Metropolitanos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.