Estação Jardim São Paulo-Ayrton Senna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Metrô-SP icon.svg Jardim São Paulo–Ayrton Senna
Panorama da Estação Jardim São Paulo–Ayrton Senna
Uso atual Estação de Metrô Estação de metrô
Proprietário Bandeira do estado de São Paulo.svg Governo do Estado de São Paulo
Administração Metrô-SP icon.svg Metrô de São Paulo
Linhas 1blue.png Azul
Sigla JPA
Capacidade 20 000 passageiros/hora/pico [1]
Movimento em 16 000 passageiros (média/dia útil em 2013) [2]
Serviços Táxi Elevador
Informações históricas
Nome antigo Jardim São Paulo
Inauguração 29 de abril de 1998 (21 anos)
Projeto arquitetônico Meire Gonçalves Selli [3]
Localização
Coordenadas 23° 29' 35,4" S 46° 37' 2,4" O
Endereço Av. Leôncio de Magalhães, 1000, Santana
Próxima estação
Sentido Tucuruvi 1blue.png Sentido Jabaquara
Parada Inglesa Santana
Jardim São Paulo–Ayrton Senna

A Estação Jardim São Paulo–Ayrton Senna é uma estação da Linha 1–Azul do metrô da cidade brasileira de São Paulo, originalmente conhecida apenas como Estação Jardim São Paulo. Foi inaugurada pelo governador Mário Covas no dia 29 de abril de 1998[1], juntamente com as estações Tucuruvi e Parada Inglesa, dentro do projeto de expansão norte da Linha 1, iniciado em 1996.

Localização[editar | editar código-fonte]

Localiza-se na Avenida Leôncio de Magalhães, 1000[1], no bairro Jardim São Paulo, no distrito de Santana, zona norte, junto ao Parque Domingos Luís.

Características[editar | editar código-fonte]

Trata-se de uma estação enterrada com estrutura em concreto aparente e plataforma central localizada abaixo do mezanino de distribuição. Possui também aberturas para iluminação natural no ambiente da plataforma e um projeto paisagístico diferenciado, com a presença de jardins no nível do saguão onde se localizam as bilheterias e os bloqueios.[1] O projeto desta estação conferiu à arquiteta Meire Gonçalves Selli o prêmio da II Bienal Iberoamericana de Arquitectura e Ingenieria Civil de Madrid, no ano de 2000.

Entrada da estação.

Tem 7 355 metros quadrados de área construída e sua capacidade é de 20 000 passageiros por hora, no horário de pico.[1].

Possui duas saídas, ambas localizadas dentro do Parque Domingos Luís e que possibilitam o acesso para portadores de deficiência.

Demanda média da estação[editar | editar código-fonte]

A média de entrada de passageiros nessa estação em 2013 foi de 16 000 passageiros por dia útil, sendo uma das menos movimentadas da Linha 1.[2]

Obras de arte[editar | editar código-fonte]

  • Construção de São Paulo (painel), Maria Bonomi, concreto convencional moldado em forma gravada (1998), concreto armado (2 painéis de concreto, medindo 3,00 m X 6,00 m X 2,70 m (total 52,20m²)), instalado na plataforma de embarque.[4]
  • Voo de Xangô (escultura), Gilberto Salvador, caldeiraria/fundição (1999), aço e tinta epóxi (8,00 m X 20,00 m X 4,00 m - 6.600 kg), instalada no jardim externo.[4]

Mudança de nome[editar | editar código-fonte]

Vôo de Xangô, obra de Gilberto Salvador, datada de 1990.

No ano de 2009 o deputado Campos Machado, do PTB, propôs um projeto para mudança de nome da estação Jardim São Paulo para Jardim São Paulo-Ayrton Senna, em homenagem ao piloto tricampeão de Fórmula 1, que nasceu e viveu na região do Jardim São Paulo. Em 2011 acabou sendo aprovada a mudança de nome pelo governo do estado, e tal mudança foi implantada a partir de outubro do mesmo ano. O projeto contou com várias manifestações de apoio da sociedade paulistana, inclusive com a coleta de milhares de assinaturas para um abaixo assinado. Uma escultura em homenagem ao piloto também deve ser instalada no local.[5][6][7] A escultura deverá ser criada pelo designer e artista plástico Paulo Soláriz, conhecido por seus troféus-escultura e arte voltada ao automobilismo e idealizador do projeto que levou à mudança de nome.[8]

Informações básicas[editar | editar código-fonte]

Linha Terminais Inauguração Comprimento (km) Estações Duração das viagens (min) Funcionamento (*)
1
Azul
TucuruviJabaquara 14 de setembro de 1974 20,2 23 47 Diariamente, das 4h40 à 0h32; Sábados até a 1 hora de domingo
Sigla Estação Inauguração Capacidade Integração Plataformas Posição Notas
JPA Jardim São Paulo–Ayrton Senna 29 de abril de 1998 20 mil passageiros hora/pico Bilhete Único da SPTrans Central Subterrânea Estação com estrutura de concreto aparente. O nome da estação é em homenagem ao nascimento e crescimento de Ayrton Senna na região, na Rua Condessa Siciliano.

Referências

  1. a b c d e Metrô de São Paulo. «Estação Jardim São Paulo - Ayrton Senna». Consultado em 21 de fevereiro de 2015 
  2. a b Metrô de São Paulo (2013). «Informações sobre a demanda». Consultado em 21 de fevereiro de 2015 
  3. «Arquitetura das estações:Linha 1 -Azul». Metrô-SP/recuperado pelo Internet Archive. 7 de março de 2005. Consultado em 8 de fevereiro de 2019 
  4. a b «Roteiro de Arte do Metrô de São Paulo» 
  5. «Agora é definitivo: Estação vai se chamar Jardim São Paulo - Ayrton Senna». SP Norte. jornalspnorte.com.br. 5 de agosto de 2011. Consultado em 1 de junho de 2019 
  6. «Estação do metrô de São Paulo ganhará nome de Senna em outubro». Virgula. virgula.uol.com.br. 29 de julho de 2011. Consultado em 1 de junho de 2019 
  7. «Senna vai dar nome a estação em SP». Estadão. estadao.com.br. 29 de julho de 2011. Consultado em 1 de junho de 2019 
  8. «Senna vai dar nome a estação de metrô em SP». UOL. noticias.uol.com.br. 29 de julho de 2011. Consultado em 1 de junho de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Parada Inglesa
Distância: 1 057 metros
Linha 1–Azul do Metrô
Jardim São Paulo–Ayrton Senna
Sucedido por
Santana
Distância: 1 474 metros