Estação Tamanduateí

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura a estação homônima que funcionou entre 1955 e 2010, veja Estação Tamanduateí (1955).
São Paulo Metro logo.png CPTM red symbol.gif Tamanduateí
Entrada da estação.
Uso atual Estação de metropolitano
Estação ferroviária
Administração São Paulo Metro logo.png Metrô de São Paulo
CPTM red symbol.gif CPTM
Linha 2green.png Verde
10turquoise.png Turquesa
Código TMD (CPTM)
TTI (Metrô)
Posição 2green.png elevada
10turquoise.png superfície
Plataformas 2green.png (laterais)
10turquoise.png (centrais)
Serviços Escada rolante Elevador Acesso à deficiente físico Bicicletário
Informações históricas
Inauguração 21 de setembro de 2010 (7 anos)
Localização
Coordenadas Gnome-globe.png Estação Tamanduateí
Endereço Rua Guamiranga, 750, Vila Prudente
Próxima estação
Vila Madalena Vila Prudente
Sacomã Vila Prudente
Tamanduateí
Brás Rio Grande da Serra
Ipiranga São Caetano do Sul
Tamanduateí

A Estação Tamanduateí é uma estação ferroviária, pertencente à Linha 10 da CPTM e integrada à estação da Linha 2 do Metrô de São Paulo. Fica localizada no limite entre os distritos de Ipiranga e Vila Prudente, no bairro da Vila Independência, em São Paulo.

Futuramente, receberá também a Linha 18-Bronze, que fará desta uma estação terminal.[1]

Histórico[editar | editar código-fonte]

A Estação Tamanduateí original foi inaugurada em 1955 pela Estrada de Ferro Santos-Jundiaí e desativada em 21 de setembro de 2010, sendo substituída pela estação atual, que fica a cerca de cem metros de distância. Com a construção da nova estação de trem e metrô, o prédio antigo foi demolido.[2] A nova estação foi construída para atender tanto a Linha 10 da CPTM como a Linha 2-Verde do Metrô, com a parte do Metrô elevada. Foi a última a ser inaugurada na atual configuração da Linha 2, em 21 de setembro de 2010. Existe uma proposta do deputado estadual Edson Ferrarini para trocar o nome da estação para Tamanduateí-Imperador do Ipiranga, em homenagem à escola de samba Imperador do Ipiranga. "No Carnaval, o nome da escola é levado para todo o Brasil e o mundo", justifica o parlamentar.[3]

Trem do Metrô chegando à Estação Tamanduateí.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, a estação tem importância ressaltada por ser uma ligação entre o ABC Paulista e a região da Avenida Paulista.[4] Essa conexão, entretanto, preocupava alguns especialistas ouvidos pelo Jornal da Tarde em setembro de 2010, que falaram em sobrecarga da Linha 2, mas o Metrô respondeu que houve estudos de demanda e o ingresso de novos passageiros não ultrapassaria a capacidade da linha.[5]

Foi prevista a inauguração para março de 2010,[4] porém atrasos nas obras impediram a inauguração, sendo que o metrô preferiu não fazer uma nova previsão.[6] Em meados de setembro membros do governo do estado tentaram articular a inauguração para o fim de semana do dia 18, mas o Metrô acabou por inaugurá-la em 21 de setembro de 2010, com seis meses de atraso.[5] A cerimônia acabou ofuscada por uma pane na Linha 3-Vermelha na manhã daquele dia.[7]

A estação funcionou em operação assistida gratuita, inicialmente de segunda a sexta-feira, das 9 horas às 16h30,[8] horário estendido para entre 8h30 e 17 horas a partir de 30 de setembro[9] e para entre 8 e 17 horas a partir de 5 de fevereiro de 2011, quando houve também o início da cobrança de tarifa.[10] Fora desses horários, a Ponte Orca seguia fazendo o transporte entre a estação Tamanduateí da CPTM e a estação Sacomã do Metrô.[5] Apesar de haver cobrança de tarifas, a estação seguiu em operação assistida. O horário foi ampliado novamente em 19 de março, passando para das 4h40 às 21 horas.[11] Segundo o Metrô, o horário só não foi estendido até a meia-noite porque ainda restariam trezentas horas de testes a ser executadas no sistema de sinalização.[11] Com essa mudança, o sistema Ponte Orca foi desativado entre as estações Tamanduateí e Sacomã.[11]

Cinco meses após a abertura da estação, ela já apresentava três goteiras, sendo uma na plataforma da CPTM e duas na área do Metrô. A empresa alegou que o reparo seria feito pela construtora, sem ônus.[12] Moradores da região ouvidos pelo Jornal da Tarde em abril de 2011 reclamaram do suposto abandono do entorno da estação, já que a região deserta facilitaria assaltos.[13] O Metrô respondeu as reclamações dizendo que existia um projeto de reurbanização da área, cuja previsão de início de obras era para o segundo semestre.[13]

A partir de 12 de setembro de 2011 o horário de funcionamento foi ampliado para até a meia-noite, mesmo horário das demais estações do Metrô de São Paulo.[14] A expectativa era de que as três horas adicionais gerariam um aumento de cerca de 2% no número de passageiros da linha.[15]

O entorno da estação sofreu um alagamento em 15 de dezembro, devido ao transbordamento do Rio Tamanduateí.[16] Na ocasião, os funcionários que chegavam para trabalhar eram obrigados a seguir até a Estação Vila Prudente, de onde pegavam o metrô para seguir à estação.[16] Segundo uma funcionária ouvida pelo Jornal da Tarde, a água teria alcançado as escadas rolantes da entrada da Avenida Presidente Wilson.[16] Passageiros que desembarcavam na estação tiveram de esperar a água baixar e, mesmo após isso acontecer, tiveram de lidar com muita lama ao longo daquele dia.[16] A direção do Metrô ressaltou que o funcionamento da estação não foi interrompido, pois a estação fora projetada acima da cota de inundação da região, que tem "problemas crônicos com enchentes".[16] Uma dessas medidas previa um reforço na drenagem superficial de água, mas que é suficiente apenas se não houver transbordamento do rio.[16]

Características[editar | editar código-fonte]

A estação está localizada entre a Avenida Presidente Wilson e a Rua Guamiranga, possuindo acessos em ambos os logradouros.[17] A estação é elevada, com plataformas laterais.[17] Seu mezanino é comum às duas partes da estação (CPTM e Metrô).[17] São cinco níveis ao todo no complexo: porão de cabos enterrado, salas técnicas no nível térreo, salas operacionais logo acima das salas técnicas, mezanino interligado com as passarelas dos acessos e, no topo, as plataformas do Metrô.[17] A passarela de ligação entre a Avenida Presidente Wilson e a Rua Guamiranga fica do lado norte e serve como único acesso à estação, mas também permite livre trânsito de pedestres entre os dois lados da linha da CPTM.[17] O acesso às plataformas do Metrô é a partir do mezanino, por meio de dois conjuntos de escadas fixas, rolantes e elevadores.[17] A capacidade da estação, divulgada pelo Metrô, é de 33 118 passageiros por hora nos períodos de pico.[17]

Tabelas[editar | editar código-fonte]

Linha Terminais Estações Principais destinos Duração das viagens (min) Intervalo entre trens (min) Funcionamento
2
Verde
Vila MadalenaVila Prudente 14 Vila Madalena, Clínicas, Bela Vista, Paraíso, Vila Mariana, Cursino, Ipiranga, Vila Prudente 28 3 Diariamente, das 4h40 à 0h24; Sábados até a 1 hora de domingo
Linha Terminais Estações Principais destinos Duração das viagens (min) Intervalo entre trens (min) Funcionamento
10
Turquesa
BrásRio Grande da Serra 13 São Caetano, Santo Andre, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra 60 5 Diariamente, das 4h40 à 0h00


Sigla Estação Inauguração Integração Plataformas Posição Notas
TMD Tamanduateí 21 de setembro de 2010 Bilhete Único da SPTrans
Linha 2 do Metrô e com linhas intermunicipais da EMTU-SP
Laterais e Centrais Superficie Estação construída pela CPTM
Sigla Estação Inauguração Capacidade Integração Plataformas Posição Notas
TTI Tamanduateí 21 de setembro de 2010 70 mil passageiros Bilhete Único da SPTrans
Linha 10 da CPTM e com linhas intermunicipais da EMTU-SP
Laterais Elevada
Precedido por
Ipiranga
Distância: 1 498 metros
Linha 10-Turquesa da CPTM
Tamanduateí
Sucedido por
São Caetano
Distância: 2 680 metros
Precedido por
Sacomã
Distância: 1 702 metros
Linha 2-Verde do Metrô de São Paulo
Tamanduateí
Sucedido por
Vila Prudente
Distância: 1 160 metros

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Linha 18 - São Paulo-ABC». Secretaria dos Transportes Metropolitanos. 28 de junho de 2013. Consultado em 4 de abril de 2015 
  2. Gerson Rodrigues (21 de setembro de 2010). «Nova estação de trem deve receber 33 mil usuários por dia». Folha da Vila Prudente. Consultado em 17 de dezembro de 2011 
  3. Caio do Valle (1 de setembro de 2010). «Muito nome para pouca estação». MTV na Rua (61). São Paulo: Editora Abril. 4 páginas 
  4. a b Alecar Izidoro (15 de setembro de 2010). «Metrô prepara a entrega da estação Tamanduateí para o fim de semana». Folha de S. Paulo (29 750). São Paulo: Empresa Folha da Manhã S/A. pp. C10. ISSN 1414-5723 
  5. a b c Eduardo Reina e Renato Machado (21 de setembro de 2010). «Tamanduateí abre hoje com trem e metrô». Jornal da Tarde (14 638). São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. pp. 5A. ISSN 1516-294X 
  6. «Plano de expansão do metrô de SP vai atrasar». Folha.com. 23 de março de 2010. Consultado em 17 de dezembro de 2011 
  7. «Problema ofusca inauguração da Tamanduateí». Jornal da Tarde (14 639). São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. 22 de setembro de 2010. pp. 4A. ISSN 1516-294X 
  8. «Estação Tamanduateí integra metrô e trens». Sítio da Prefeitura de São Paulo. 27 de setembro de 2010. Consultado em 17 de dezembro de 2011 
  9. «Novas estações do Metrô de SP têm horário de funcionamento ampliado». G1. 30 de setembro de 2010. Consultado em 17 de dezembro de 2011 
  10. Solange Spigliatti (3 de fevereiro de 2011). «Metrô: estações com horário ampliado». Jornal da Tarde. Consultado em 17 de dezembro de 2011 
  11. a b c Cristiane Bomfim (18 de março de 2011). «Linha Verde amplia atendimento». Jornal da Tarde (14 816). São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. pp. 6A. ISSN 1516-294X 
  12. Tiago Dantas (3 de março de 2011). «Chuvas pioram as goteiras nas estações de Metrô». Jornal da Tarde (14 801). São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. pp. 3A. ISSN 1516-294X 
  13. a b Marici Capitelli (25 de abril de 2011). «Crimes chegam junto com as novas estações». Jornal da Tarde (14 854). São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. pp. 3A. ISSN 1516-294X 
  14. «Mais de um ano após inauguração, linha 4 do Metrô de São Paulo passa a funcionar até 0h». UOL Notícias. 11 de setembro de 2011. Consultado em 11 de setembro de 2011 
  15. «Ainda não está definida abertura aos domingos». Jornal da Tarde (14 994). São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. 12 de setembro de 2011. pp. 5A. ISSN 1516-294X 
  16. a b c d e f Fabiano Nunes (16 de dezembro de 2011). «Temporal deixa estação ilhada». Jornal da Tarde (15 089). São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. pp. 5A. ISSN 1516-294X. Consultado em 17 de dezembro de 2011 
  17. a b c d e f g «Página da estação no sítio do Metrô». Metrô. Consultado em 17 de dezembro de 2011