Estação Jandira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Jandira
Estação Jandira
Vista da estação.
Uso atual Estação de trens metropolitanos
Proprietário Governo do Estado de São Paulo
Administração Estrada de Ferro Sorocabana (1931–1971)
FEPASA (1971–1996)
CPTM (1996–2022)

ViaMobilidade (Atualmente)

Linha Diamante
Sigla JDI
Posição Superfície
Serviços Terminal rodoviário Acesso à deficiente físico Escada rolante Bicicletário
Informações históricas
Nomes antigos Km 32
Jandyra
Inauguração março de 1925 (98 anos)
Reconstrução 10 de março de 1983 (40 anos)
Projeto arquitetônico Engevix/Sofrerail (1976) [1]
Intervenções plásticas Themag Engenharia
Teknites Consultores Associados (2007)
Localização
Localização Estação Jandira
Endereço Rua João Balhesteiro, 50, Centro, Jandira
Próxima estação
Sentido Itapevi/
Amador Bueno
Sentido Júlio Prestes
Jandira

A Estação Jandira é uma estação ferroviária pertencente à Linha 8–Diamante, operada pela ViaMobilidade. Está localizada no município de Jandira.

História[editar | editar código-fonte]

Entrada da segunda estação de Jandira, construída entre 1981 e 1983 e atualmente transformada em sala técnica.

Em março de 1925, a Estrada de Ferro Sorocabana instalou uma parada para carregamento de lenha no quilômetro 32, em terreno doado por Henrique Sammartino, um dos fundadores do município.[2] No dia 5 de setembro de 1930, a parada do "Quilômetro 32" foi rebatizada como "Jandyra" por Henrique Sammartino (que doara terras para a sua construção), em homenagem a sua sobrinha. A Parada Jandyra teve suas novas instalações inauguradas em 20 de março de 1931.[3] O posto consistia de um pequeno escritório e um vagão de carga, usado como bilheteria. Com o crescimento da localidade, elevada a subdistrito de Cotia, as instalações tornaram-se acanhadas e incapazes de atender a demanda.[4]

Assim, em 22 de agosto de 1960 a Sorocabana lançou edital de construção de uma nova estação, vencido pela empresa Sociedade de Engenharia e Materiais de Construcao Ltda (SENCO). O contrato, assinado em 5 de setembro, no valor de 2 980 854,60 cruzeiros, tinha um prazo de 240 dias de conclusão.[5] Apesar de a edificação da estação ter sido construída, as plataformas sofreram atrasos, por causa da falta de colaboração da prefeitura de Cotia, responsável pelo subdistrito. A nova estação foi concluída em meados de outubro de 1962. Constituía-se de duas plataformas laterais com capacidade para nove carros Toshiba (o que correspondia a cerca de 175 metros), com cobertura parcial e um prédio construído do lado sul da ferrovia, composto por bilheteria, sanitários, sala de chefia, bagagens e um bar (administrado por um concessionário privado).[6]

Em fins de 1971, a Estrada de Ferro Sorocabana foi absorvida pela FEPASA, que contratou junto as empresas Engevix e Sofrerail um plano de remodelação dos trens de subúrbio, incluindo a estação do recém-criado município de Jandira. No período de dezoito meses entre 1974 e 1975, o município de Jandira recebeu trinta novas indústrias, aumentando o tráfego de passageiros na estação.[7] A estação de Jandira teve suas obras contratadas em outubro de 1981, junto à empresa SEC-Sociedade de Engenharia e Construções Ltda.[8] [9]

Para a construção da nova estação, a estação construída em 1962 foi inteiramente demolida, enquanto uma estação provisória era construída para atender aos passageiros. Em 10 de março de 1983, foi inaugurada a segunda estação.[10]

Em 1996, a estação foi transferida da FEPASA para a CPTM. Em 2004, a CPTM contratou um novo projeto para a estação, junto ao consórcio Themag Engenharia/Teknites Consultores Associados, no valor de 624 828 reais, tendo o projeto sido apresentado em audiência pública em junho de 2007.[11] As obras da nova estação foram licitadas entre setembro e novembro de 2009, com vitória do consórcio Pedra Azul, formado pelas empresas Cronacon Engenharia e Massafera Ltda.[12] O contrato foi assinado em 29 de dezembro de 2009, no valor de 14 191 378,75 reais.[13][14]

A nova estação, construída com uma estrutura mista de aço e concreto, foi inaugurada em outubro de 2010.[15][4]

Em 20 de abril de 2021, foi concedida para o consórcio ViaMobilidade, composto pelas empresas CCR e RUASinvest, com a concessão para operar a linha por trinta anos. O contrato de concessão foi assinado e a transferência da linha foi realizada em 27 de janeiro de 2022.[16]

Bicicletário[editar | editar código-fonte]

A Estação Jandira foi o primeiro terminal de transportes públicos do Brasil a contar com um bicicletário, aberto em novembro de 1984. Apesar de sua operação efêmera, tendo sido desativado em fins de 1988, foi o incentivador da implantação desse equipamento anexo a estações de trem e metrô e terminais de ônibus.[17] [18]

Um novo bicicletário foi construído durante as obras de reconstrução da estação de Jandira, com capacidade para 48 bicicletas.[19]

Toponímia[editar | editar código-fonte]

A palavra Jandira, segundo o tupinólogo Eduardo Navarro, é originária da Língua geral paulista e designa um tipo de abelha.[20] O empresário Henrique Sammartino, proprietário de terras ao lado da Estrada de Ferro Sorocabana, construiu uma pequena edificação no posto de abastecimento do quilômetro 32 da linha-tronco da Sorocabana, doando-a para a ferrovia para se tornar um posto telegráfico (dado que Sammartino tinha um contrato de fornecimento desse insumo para com a Sorocabana). Como gesto de gentileza da direção da Sorocabana, foi dado a Sammartino o direito de batizar o posto. Assim, ele batizou-o de Jandira em 5 de setembro de 1930, nome de uma de suas sobrinhas e que se tornaria o nome daquela localidade.[21]

Tabelas[editar | editar código-fonte]

Linha Terminais Comprimento (km) Estações Observações
8
Diamante
Júlio PrestesItapevi 35,283 20 Possui extensão operacional.
Antiga Linha B–Cinza / Antiga Linha Oeste do Trem Metropolitano da FEPASA.
Sigla Estação Inauguração Integração Plataformas Posição Notas
JDI Jandira Março de 1925 Bilhete Único da SPTrans/Benfácil, Terminal Rodoviário Intermunicipal de Jandira (tarifada). Centrais Superfície Estação reconstruída no padrão FEPASA e reinaugurada em 11 de março de 1983, sendo modernizada no ano de 2010 pela CPTM

Referências

  1. Durval Ferreira (4 de junho de 1977). «São Paulo: um grande metrô de superfície-Engenharia brasileira». Revista Manchete, Ano 25, edição 1311, página 133/republicado pela Biblioteca Nacional-Hemeroteca Digital Brasileira. Consultado em 21 de julho de 2020 
  2. Estrada de Ferro Sorocabana (1926). «Novas Estações» (PDF). Relatório Anual de 1925, página 71/republicado pela Arquivo Público do Estado de São Paulo. Consultado em 21 de julho de 2020 
  3. Estrada de Ferro Sorocabana (1931). «Estações e postos telegráficos» (PDF). Relatório Anual para 1930, página 134. Consultado em 21 de julho de 2020 
  4. a b Ralph Mennucci Giesbrecht. «Jandira». Estações ferroviárias do Brasil. Consultado em 21 de julho de 2020 
  5. «Estrada de Ferro Sorocabana- Subdiretoria administrativa-Contratos» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo, Ano LXX, Edição 213, página 29, 2ª coluna. 23 de setembro de 1960. Consultado em 21 de julho de 2020 
  6. «Estrada de Ferro Sorocabana» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo, Ano LXXII, Edição 272, página 44, coluna inferior 2. 13 de dezembro de 1962. Consultado em 4 de novembro de 2018 
  7. «Jandira». Folha de S.Paulo Ano LV, edição 17087, Seção Interior, página 26. 23 de dezembro de 1975. Consultado em 4 de novembro de 2018 
  8. «FEPASA» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo, Ano 91, edição 191, página 1. 7 de outubro de 1981. Consultado em 4 de novembro de 2018 
  9. «Estação ferroviária de Jandira». SEC-Engenharia. Consultado em 4 de novembro de 2018 
  10. «De helicóptero, Marin inaugura subúrbios». Folha de S.Paulo, Ano 63, edição 19700, seção transportes, página 12. 11 de março de 1983. Consultado em 4 de novembro de 2018 
  11. «HOMOLOGAÇÃO-CONCORRÊNCIA Nº 8292402011» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo. 12 de abril de 2005. Consultado em 4 de novembro de 2018 
  12. «EXTRATO DE ADITAMENTO-TERMO DE ADITAMENTO Nº 01 AO CN 850209001100» (PDF). DiárioFicial do estado de São Paulo. 7 de outubro de 2010 
  13. «Estação Jandira na Linha 08 – Diamante da CPTM». Cronacon Engenharia. Consultado em 4 de novembro de 2018 
  14. «CPTM Homologações-CONCORRÊNCIA Nº 8502090011» (PDF). Diário Oficial do estado de São Paulo. 29 de dezembro de 2009. Consultado em 4 de novembro de 2018 
  15. CPTM (10 de setembro de 2010). «Obras deixarão estação Jandira mais moderna e acessível». Portal do Governo do Estado de São Paulo. Consultado em 21 de julho de 2020 
  16. «Resolução da STM autoriza a ViaMobilidade a assumir controle total da operação das Linhas 8 e 9 da CPTM a partir de 27 de janeiro.». Diário do Transporte. Consultado em 25 de janeiro de 2022 
  17. Reginaldo A de Paiva (2017). «MELHORES PRÁTICAS - BICICLETÁRIOS DE INTEGRAÇÃO MODAL» (PDF). Instituto de Engenharia de São Paulo. Consultado em 4 de novembro de 2018 
  18. Reginaldo Assis de Paiva (2003). «Bicicleta, veículo urbano?» (PDF). Revista Engenharia. Consultado em 4 de novembro de 2018 
  19. «Saiba quantos são e onde ficam os bicicletários na Grande São Paulo». Portal do Governo do Estado de São Paulo. 3 de março de 2010. Consultado em 21 de julho de 2020 
  20. NAVARRO, E. A. Dicionário de tupi antigo: a língua indígena clássica do Brasil. São Paulo. Global. 2013. p. 580.
  21. PEREIRA, Nicanor (2007). Jandira Favo de Mel-crônicas, poesias e relatos. [S.l.]: Otoni. 58 páginas. ISBN 978-85-7464-350-2 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Estação Jandira