Estação Vila Clarice

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Vila Clarice
Estação Vila Clarice
Estação Vila Clarice vista do alto
Uso atual Estação de trens metropolitanos
Proprietário Governo do Estado de São Paulo
Administração EFSJ (1955-1969) RFFSA (1975–1984)
CBTU (1984–1994)
CPTM (1994–atualmente)
Linha Rubi
Sigla VCL
Movimento em 2014 7,3 mil
Informações históricas
Nome antigo Vila Clarisse
Inauguração 1 de setembro de 1955 (68 anos)
Localização
Localização Estação Vila Clarice
Endereço Praça Comendador Sousa Cruz, s/n Pirituba, São Paulo,  São Paulo
Próxima estação
Sentido Jundiaí
Sentido Rio Grande da Serra
Vila Clarice

A Estação Vila Clarice é uma estação ferroviária, pertencente à Linha 7–Rubi da CPTM, localizada no município de São Paulo.

História[editar | editar código-fonte]

O loteamento de Vila Clarisse já aparecia nos mapas de São Paulo em 1930[1], sendo que em 1943 o núcleo já se encontrava em fase de povoamento. Entre a década de 1940 e o início da de 1950 surgiu um simples apeadeiro, com paradas ocasionais dos trens. Em 1953, a vereadora Anna Lamberga Zeglio solicitou ao diretor da Estrada de Ferro Santos a Jundiaí que os trens de subúrbio fizessem parada regular em Vila Clarisse.[2] Com o crescimento do bairro Vila Clarisse, a EFSJ implanta uma estação no lugar do apeadeiro, inaugurada em 1 de setembro de 1955.[3]

Após ser gerida pela RFFSA entre 1957 e 1983, Vila Clarice passa em 1984 para a administração da CBTU, que realiza em 1985 a ampliação das plataformas da estação a fim de comportar 9 carros ante os 6 para os quais estava preparada[4].

Em 1o de junho de 1994, a estação foi transferida para a CPTM. Apesar de ter escapado de depredação durante os tumultos de 1983, a estação Vila Clarice foi severamente depredada ao lado de outras 6 estações da Linha Noroeste da CPTM durante os Tumultos na CPTM em 1996. Por conta disso, a estação e a linha ficaram fechadas para reparos durante seis meses.[5]

Por conta da estação Vila Clarice estar situada em uma curva, o vão entre o trem e as plataformas é de 39 cm (superior aos 10 cm permitidos pela norma ABNT-NBR 14021), sendo o 4ª maior de toda a rede. Isso suscita reclamações de passageiros de tempos em tempos. Apesar da CPTM desenvolver diversos projetos para diminui os vãos da parada a fim de cumprir a norma, nenhum saiu do papel.[6][7]

Projetos[editar | editar código-fonte]

CPTM[editar | editar código-fonte]

A CPTM realizou duas licitações visando a elaboração de projetos de recuperação estrutural de plataformas e a readequação funcional da estação. Apesar de pequenas obras ter sido executadas, as principais (construção de um novo prédio e cobertura das plataformas) não foram realizadas.[8][9]

Metrô[editar | editar código-fonte]

Durante a campanha de São Paulo para a Expo 2020, um novo Centro de Exposições foi projetado para receber a exposição na região de Pirituba/Vila Clarisse. Para atender aos visitantes, o metrô projetou a expansão da Linha 6–Laranja da estação Brasilândia até a Rodovia dos Bandeirantes, integrando com a Linha 7 da CPTM em Vila Clarice. Com a derrota de São Paulo, o projeto acabou arquivado.[10]

Toponímia[editar | editar código-fonte]

O nome da estação deriva do loteamento lançado por volta de 1943 na região. Apesar do nome do bairro ser grafado "Vila Clarisse", a estação recebeu o nome "Vila Clarice", o mantendo até os dias atuais.[11]

Tabelas[editar | editar código-fonte]

Sigla Estação Inauguração Integração Plataformas Posição Notas
VCL Vila Clarice 1 de setembro de 1955 Bilhete Único da SPTrans. Laterais Superfície Estação construída pela EFSJ

Referências

  1. «Prefeitura disponibiliza mapa histórico de 1930 no Geosampa». Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento (SMUL)/Prefeitura de São Paulo. 20 de abril de 2016. Consultado em 12 de maio de 2019 
  2. «Câmara Municipal:Duzentos milhões para as obras de calçamentos da via pública-Expediente». Folha da Manhã, Ano XXIX, edição 9102 - vespertina- página 3, coluna 6. 26 de novembro de 1953. Consultado em 12 de maio de 2019 
  3. Ralph Mennucci Giesbrecht (2001). «Vila Clarice». Estações ferroviárias do Brasil. Consultado em 12 de maio de 2019 
  4. CBTU (1985). «Relatório Anual» (PDF). Companhia Brasileira de Trens Urbanos. Consultado em 12 de maio de 2019 
  5. «CPTM reativa hoje 11 estações de trem». Folha de S. Paulo, Ano 77, edição 24864, Caderno São Paulo página 9. 30 de abril de 1997. Consultado em 12 de maio de 2019 
  6. «Vão entre o trem e a estação da Vila Clarice». Folha Noroeste. 13 de julho de 2017. Consultado em 12 de maio de 2019 
  7. Fernando Galfo (15 de setembro de 2018). «CPTm publica edital para reduzir vãos das plataformas». Ferroviando. Consultado em 12 de maio de 2019 
  8. CPTM (2 de abril de 2005). «CONVITE Nº 8457402031» (PDF). Diário Oficial do estado de São Paulo, Caderno Empresarial, página 19. Consultado em 12 de maio de 2019 
  9. CPTM (17 de setembro de 2019). «TOMADA DE PREÇOS Nº 8297802021» (PDF). Diário oficial do estado de São Paulo, Caderno Empresarial, página 24. Consultado em 12 de maio de 2019 
  10. Renato Lobo (30 de junho de 2014). «Obras da Linha 6-Laranja começam em 40 dias, diz jornal». Via Trólebus. Consultado em 10 de março de 2015 
  11. São Paulo Tramway, Light and Power Company (janeiro de 1943). «Planta da Cidade de São Paulo e Municípios Circunvizinhos». Histórico Demográfico do Município de São Paulo-Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano/Prefeitura da Cidade de São Paulo. Consultado em 12 de maio de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]