Estação Domingos de Moraes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
CPTM icon.svg Domingos de Moraes
Entrada da estação.
Uso atual Estação de Trem Urbano Estação de Trem
Administração CPTM icon.svg CPTM
Linha 8cinza.png Diamante
Sigla DMO
Posição Superfície
Plataformas Central
Informações históricas
Nome antigo Posto Telegráfico km 9,221
Inauguração 25 de junho de 1920 (97 anos)
Localização
Localização Rua João Tibiriça, s/n.º, Lapa
Próxima estação
Sentido Júlio Prestes 8cinza.png Sentido Itapevi/Amador Bueno
Lapa Imperatriz Leopoldina
Domingos de Moraes

A Estação Domingos de Moraes[1] é uma estação ferroviária pertencente à Linha 8–Diamante da CPTM, localizada no bairro do Anastácio, no município de São Paulo.

Futuramente, receberá uma nova linha CPTM, ainda sem cor e numeração definidas, que deverá ligar a Estação Piqueri à futura Estação Monte Belo, na região do Butantã.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Plataforma da estação

A estação foi inaugurada em 1920, com o nome de Posto Telegráfico km 9,221. Em 1921, teve seu nome alterado para Domingos de Moraes, em homenagem ao político brasileiro, que foi vice-presidente (hoje equivalente a vice-governador) de São Paulo em 1902. O posto telegráfico recebeu um novo prédio em 1926 e foi elevado a estação em 1 de março de 1931.

Durante a remodelação da Linha Oeste da Fepasa (atual Linha 8 da CPTM), no fim dos anos 1970, recebeu um novo prédio, inaugurada em 9 de agosto de 1978.[3] A Fepasa havia prometido várias novidades para a estação, como lanchonetes, bancas de jornal, telefones públicos e sanitários, mas nenhuma delas foi posta em prática.[3] Na verdade, a estação foi reinaugurada sem ao menos iluminação nas plataformas e catracas, as bilheterias estavam funcionando em local improvisado com tapumes de madeira e havia um grande desnível nas plataformas, projetadas para receber os trens franceses que só começariam a operar em 1979.[3]

O novo prédio, feito com pré-moldados de concreto, passou a ter quatro mil metros quadrados de área construída e poderia receber um movimento de cerca de 26 mil passageiros por dia em suas plataformas com 245 metros de extensão.[3] Para conter a evasão de renda, a Fepasa ainda previa construir muros de concreto ao longo de toda a linha, com espaços de dez centímetros entre cada placa, onde se formariam canteiros de flores.[3]

Desde 1996, pertence à Companhia Paulista de Trens Metropolitanos. Apesar de o sobrenome do político homenageado pela Estrada de Ferro Sorocabana ser atualmente grafado como "Domingos de Morais", a empresa preferiu manter a grafia original da época ("Moraes").

Em 2014, a estação foi modernizada. Entre as melhorias, destacam-se obras de acessibilidade, que incluem elevador de acesso à plataforma, nova comunicação visual — com opções em braille —, sala de apoio ao usuário na plataforma, banheiros públicos comuns e adaptados para pessoas com deficiência.

Tabelas[editar | editar código-fonte]

Linha Terminais Comprimento (km) Estações Funcionamento Observações
8
Diamante
Júlio PrestesItapevi 35,283 20 Diariamente, das 4 à 0 hora. Aos sábados, até a 1 hora de domingo. Possui extensão operacional. Veja quadro abaixo.
Antiga Linha B - Cinza / Antiga Linha Oeste do Trem Metropolitano da FEPASA.
Sigla Estação Inauguração Integração Plataformas Posição Notas
DMO Domingos de Moraes 1920 Bilhete Único da SPTrans. central superfície Estação reconstruída pela Fepasa e reinaugurada em 9 de agosto de 1978, porém a estação foi remodelada em 2014.
Precedido por
Imperatriz Leopoldina
Distância: 1 808 metros
Linha 8–Diamante
Domingos de Moraes
Sucedido por
Lapa
Distância: 2 477 metros

Referências

  1. A ortografia correta é Domingos de Morais
  2. Renato Lobo (17 de dezembro de 2013). «Futuras linhas do Metrô SP e CPTM: CPTM Planeja linha entre Piqueri e Butantã». Via Trólebus. Consultado em 21 de março de 2015. 
  3. a b c d e «Com falhas, começa a funcionar nova estação da Fepasa». São Paulo: S.A. O Estado de S. Paulo. O Estado de S. Paulo (31 718). 33 páginas. 10 de agosto de 1978. ISSN 1516-2931. Consultado em 16 de abril de 2018. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]